Torcedor do Santos é condenado por racismo contra jogador que errou pênalti

Enviado por / FonteUOL, por Rogério Gentile

A Justiça paulista condenou por injúria racial o torcedor Paulo Morales, que, no ano passado, ofendeu o jogador de futebol Bruno Mezenga, então atacante do Santos.

O torcedor chamou Mezenga de “macaco” em um grupo de WhatsApp após o atleta perder um pênalti decisivo na eliminação do Santos para o Bahia na Copa do Brasil.

Bruno Mezenga durante treino do Santos — Foto: Raul Baretta/ Santos FC

“Um ato racista não pode mais ser ignorado. Não cabe mais nos dias de hoje pessoas com atitudes racistas ficarem impunes. É triste ver uma pessoa que se diz torcedor do Santos cometer um ato racista”, afirmou o atleta à época, após registrar um boletim de ocorrência na polícia.

O torcedor, de 20 anos, confessou o crime à Justiça. Disse estar arrependido.

Ele afirmou que estava saindo da faculdade e acompanhava o jogo pelo rádio. Relatou que, “de cabeça quente”, acabou digitando a ofensa. Morales declarou no processo que, logo após enviar a mensagem, percebeu que havia exagerado nas palavras, e a apagou.

O texto, no entanto, segundo ele, já havia sido copiado por membros do grupo e enviado para a assessoria do jogador.

O torcedor disse que procurou o Santos e o atleta pedindo desculpas. “Não pedi desculpas da boca para fora”, afirmou à Justiça.

A juíza Silvava Borges disse na sentença que o fato de a ofensa ter ocorrido por conta da atuação do atleta em uma partida de futebol, em que os ânimos estariam exaltados, “certamente não exclui o crime”.

“O acusado teve a clara e evidente intenção de diminuir e discriminar o ofendido em razão de sua cor e raça, ferindo-o em sua dignidade”, declarou.

O torcedor, que ainda pode recorrer, foi condenado a uma pena de dois anos de reclusão, mas a punição foi substituída pela prestação de serviços a uma entidade social pelo mesmo período. Ele também terá de pagar um salário mínimo a uma entidade social.

+ sobre o tema

Para combater o racismo, Fundo Brasil vai doar R$ 490 mil para projetos

Inscrições já estão abertas e podem ser realizadas até...

Rafaella Leonarda tem apenas cinco anos de idade, já o racismo…

foto reprodução do Facebook Rafaella Leonarda tem apenas cinco anos...

para lembrar

Tom Morello: “o racismo é tão americano quanto a torta de maçã e o beisebol”

O guitarrista Tom Morello falou sobre racismo e sua relação com...

“O mundo vai ser negro”, diz filósofo camaronês

Teórico camaronês do pós-colonialismo Achille Mbembe é o homenageado...

Homenagens e protestos marcam Dia de Martin Luther King Jr. nos EUA

NOVA YORK (Reuters) - Homenagens ao líder de defesa...

Funcionário denuncia patrão por racismo após ser chamado de ‘preto’

O rapaz foi chamado de preto após ser questionado...
spot_imgspot_img

Da neutralidade à IA decolonial

A ciência nunca esteve isenta das influências e construções históricas e sociais do colonialismo. Enquanto a Revolução Industrial é frequentemente retratada como o catalisador...

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...
-+=