UFMG realiza evento sobre I Congresso de Escritores e Artistas Negros

NA PROGRAMAÇÃO, SERÃO EXIBIDOS FILMES SOBRE O TEMA, SEGUIDOS DE DEBATES

No UFMG

O Primeiro Congresso de Escritores e Artistas Negros, realizado em setembro de 1956 na Sorbonne, em Paris, foi um espaço privilegiado em que pensadores das colônias e ex-colônias francesas na África e na América e uma delegação de intelectuais estadunidenses debateram o lugar da cultura negra após o fim da II Guerra Mundial. Foi um momento de construção e (re)formulação de discursos que giravam em torno do Négritude em uma nova ordem mundial. O evento foi organizado pela Revista Présence Africaine, coordenada por Alaine Diop, e contou com a participação de mais de 600 pessoas de diversas nacionalidade, entre eles Frantz Fanon e Mário de Andrade.

Para refletir sobre esse momento histórico, o Departamento de História e o Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) organizam, de 11 a 13 de novembro, o I Congresso de Escritores e Artistas Negros – seis décadas depois. O evento tem o apoio do Centro de Estudos Africanos (CEA/UFMG).

Na programação, serão exibidas obras cinematográficas sobre o Primeiro Congresso de Escritores e Artistas Negros, seguidas de debates sobre o tema. A programação será realizada no Auditório Baesse, da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich). Informações e inscrições para ouvintes podem ser feitas pelo email [email protected]

Programação

A abertura do evento, no dia 11 de novembro, será às 10h30 com a participação da professora Maria Nazareth Fonseca (PUC Minas) e de Fernanda Murad Machado (USP). De 17 às 19 horas, será exibido o documentário francês Aimé Césaire: une voix pour l´histoire (França, 2006), que será comentado por Fernanda Murad.

No dia 12 de novembro, será exibido o filme senegalês Xala, do diretor Ousmane Sembene, que será comentado por David Marinho de Lima Júnior (Uerj). No último dia do evento, 13 de novembro, serão apresentados os documentários Concerning Violence (Suécia, 2014); e Lumière Noires (França, 2006). Gustavo Durão (UFMG) e Raissa Brescia (UFMG) comentarão a primeira obra. O segundo filme será comentado pelos professores Patrícia Teixeira Santos (Unesp) e Luiz Arnaut (UFMG).

+ sobre o tema

Herói de série da Netflix questiona racismo

As séries produzidas pela plataforma de streaming Netflix têm...

Peça O Duelo, com Camila Pitanga, lota teatro no Cena Contenporanea

    Nahima Maciel, A peça mais longa do Cena Contemporânea teve...

Países ibero-americanos criam fundo para história do povo negro

Ao fim do Encontro Ibero-americano do Ano Internacional dos...

“Entre Margens” valoriza a literatura negra no Vale do São Francisco

Quinta edição do evento acontece com exposições, oficinas e...

para lembrar

15 anos sem Chico Science

Há 15 anos, música brasileira perdia Chico Science Há...

Lançamento do Curta “O lá e o aqui” sábado, 16 de setembro

O lançamento do documentário “O lá e o aqui”...

Conselho de Igualdade Racial faz sua primeira reunião de 2011

O calendário e as atividades para o ano do...
spot_imgspot_img

O atleta negro brasileiro que enfrentou o nazismo nas Olimpíadas de 1936

A poucos dias da abertura dos Jogos Olímpicos de Paris, em uma Europa cada vez mais temerosa com a agenda política de forças alinhadas...

Ícone da percussão, Naná Vasconcelos ganha mostra no Itaú Cultural

O Itaú Cultural, localizado na avenida Paulista, em São Paulo, abre nesta quarta-feira (17) a Ocupação Naná Vasconcelos, em homenagem ao músico pernambucano falecido em 2016. A mostra é...

Livro sobre Luiz Gama o consagra como o maior advogado negro da abolição

Impossível não ficar mexido, ou sair a mesma pessoa, com a mesma consciência dos fatos narrados, depois da leitura de "Luiz Gama Contra o Império",...
-+=