Urge sensibilizar candidaturas ao Executivo para o SUS – Por: Fátima Oliveira

Nas campanhas eleitorais, causa indignação o tanto que os candidatos a cargos executivos (prefeitos, governadores e presidente da República) e seus marqueteiros não sabem o que é o Sistema Único de Saúde (SUS) e o desconhecem como a política nacional de saúde garantida na Constituição Federal de 1988 – uma política de Estado!

Por: Fátima Oliveira

 

Se soubessem, teriam apenas um compromisso: universalizar o SUS! Nem mais, nem menos! Como desconhecem, se danam a prometer “coisas” no varejo, como se não houvesse uma diretiva nacional a seguir: o SUS, a política de saúde mais ampla e completa de um país no mundo!

Um caso exemplar é o do Maranhão. A eterna governadora Roseana Sarney e o seu vice do PT, vulgo Luiz Macaxeira, dizendo ser o maior “programa” de saúde da história do Maranhão, inventaram o Saúde é Vida (olha a tolice: trocar política de Estado por programa!), cujo carro-chefe seria a construção de 72 hospitais, com abertura de 1.944 leitos. Nem metade dos prometidos existe! E os inaugurados, com problemas de diferentes ordens, como disse Martins Costa Neto (PRB), prefeito de São Félix de Balsas: “Eles construíram um hospital de grande porte para um município de pequeno porte. Além disso, sempre atrasam o repasse dos recursos, repasse que já não é suficiente para manter aquele elefante branco” (“Mais um prefeito desmascara farsa do Saúde é Vida”, 12.9.2013).

Ai, meus sais! Uma canseira a tosquice dessa gente que se dana a prometer UPAs a granel, ambulâncias e UTIs-cegonha e hospitais a granel, despudoradamente, como se não houvesse uma política nacional de saúde à espera de implantação/implementação e sem considerar que é a partir dos princípios do SUS que resolveremos, paulatinamente, os entraves à atenção à saúde de modo digno.

É emergencial uma alfabetização em SUS! Carmen Teixeira, em “Os princípios do Sistema Único de Saúde”, escreveu: “O SUS pode ser entendido, em primeiro lugar, como uma ‘Política de Estado’, materialização de uma decisão adotada pelo Congresso Nacional, em 1988, na chamada Constituição cidadã: ‘Saúde, direito de todos, dever do Estado'”.

E continua: “O SUS assume e consagra os princípios da universalidade, equidade e integralidade da atenção à saúde da população brasileira, o que implica concebê-lo como ‘imagem-objetivo’ de um processo de reforma do sistema de saúde ‘herdado’ do período anterior, um ‘sistema de saúde’ capaz de garantir o acesso universal da população a bens e serviços que garantam sua saúde e bem-estar, de forma equitativa e integral… Aos princípios ‘finalísticos’, que dizem respeito à natureza do sistema que se pretende conformar, agregam-se os ‘princípios estratégicos’: as diretrizes políticas, organizativas e operacionais que apontam ‘como’ deve vir a ser construído o ‘sistema’ que se quer conformar, institucionalizar. Tais princípios são a descentralização, a regionalização, a hierarquização e a participação social. A universalidade, portanto, é um princípio finalístico, ou seja, é um ideal a ser alcançado… Para que o SUS venha a ser universal, é preciso se desencadear um processo de universalização”.

Compromisso com o SUS é a promessa de universalizar suas ações. O resto é firula! É desconfiar de candidaturas que prometem “coisas” a granel, demonstrando a mais completa e absoluta ignorância das questões de saúde da cidade, do Estado e do país que querem governar.

Quem não sabe do que o povo de fato precisa não merece ser eleito!

Fonte: O Tempo

+ sobre o tema

Detenção de Mano Brown exemplifica a mensagem de Cores e Valores

Pedro Paulo Soares Pereira, 44 anos, também conhecido como...

Fragmentos do descobrir-se negra – Por: Gabriela Pires

Ser mulher negra é uma construção diária de identidade....

Chamada de textos – Sur – Revista Internacional de Direitos Humanos

CONTEXTO Conectas Direitos Humanos e o Geledés – Instituto da Mulher Negra convidam...

Últimas tropas de combate dos EUA deixam o Iraque

Segundo redes americanas, tropas deixam o país em direção...

para lembrar

1,5 milhão de mulheres negras são vítimas de violência doméstica no Brasil

Elas representam 60% das 2,4 mi de agredidas. Reportagem...

Continua campanha para a Proposta Lei de Iniciativa Popular para Reforma Política

Apresentada pela Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do...

A primeira juíza mulher da NBA e sua história de resistência

“Eu sabia que todo mundo estava esperando que eu...

‘Questão do racismo tem a ver com a sobrevivência do capitalismo’, diz Diva Moreira, intelectual negra de MG

"A despeito da rigidez da estrutura de dominação, eu sou uma mulher de muita esperança." É assim que a jornalista, cientista política, ativista e...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...
-+=