Início África e sua diáspora Entretenimento Yèyé: um espetáculo de contação de histórias para mulheres que vivenciam a...

Yèyé: um espetáculo de contação de histórias para mulheres que vivenciam a maternidade em tempos de pandemia

Espetaculo Yèyé-Projeto MAMA ÁFRICA (Foto: Ismael Silva)

A pandemia revelou algo que toda mãe já sabe, mas que agora está potencializado: a carga emocional e o acúmulo de trabalho. Nesse momento de confinamento e de distanciamento social quem acolhe, aconchega e as escuta?

Pensando nas mães, afinal a idealizadora deste projeto também é uma, e foi diretamente afetada pela pandemia. Josy Acosta, atriz, produtora cultural e mestra em artes cênicas, gaúcha radicada em Salvador há 10 anos, estreia no início de abril, no youtube, o espetáculo Yèyé (em yorubá arcaico pode ser traduzido como mãe, mãezinha, uma forma carinhosa de definir as mães), a montagem é fruto do projeto MAMA ÁFRICA aprovado no prêmio das artes Jorge Portugal.

O espetáculo foi construído a partir de uma pesquisa de campo na Fundação Pierre Verger, local onde a atriz e sua equipe escutaram a griote Vovó Cici contar histórias de orixás femininos. Josy revela: “pedi a Vovó que contasse histórias que versassem sobre mulher-guerreira, mulher-encantamento e mulher-mãe. Depois, entrei em sala de ensaio acompanhada pelo professor Negrizu para trabalhar corporalmente as histórias que atraíram minha atenção. Só então o roteiro surgiu, e a história que nos escolheu é sobre mulher-mãe, sobre a orixá que é mãe do ser humano. Você sabe quem é? Descubra assistindo o nosso espetáculo. Uma peça que dialoga com as minhas memórias da infância, com a religiosidade de matriz africana e com os ensinamentos que a maternidade me trouxe.

Como parte do processo de acolhimento do projeto MAMA ÁFRICA, até a estreia do espetáculo haverá encontros virtuais entre a atriz Josy Acosta e 20 mães que participaram de uma convocatória pública para dialogar com a artista, de modo que possam trocar experiências sobre maternidade em tempos de pandemia. Sendo a culminância deste encontro a participação das mães como plateia virtual na estreia do espetáculo, dia em que elas abrirão um presente feito especialmente para elas e seus bebês, vestimentas com a arte da marca BlackPim, produzidas exclusivamente para o espetáculo.

A BlackPim é parceira do projeto, pois assim como Josy Acosta, o casal Pablo Santos e Iele Portugal, moradores do Engenho Velho de Brotas, na condição de pais de um bebê de 1 ano e 6 meses também foram impactados pela pandemia. Inspirada na religião de matriz africana e todas as manifestações da cultura baiana, a Blackpim é uma marca de moda, com o propósito de ressaltar a identidade afro-baiana, o combate ao racismo e à intolerância religiosa.

A empresa de audiovisual Ori Imagem e som, é também outra parceira do MAMA ÁFRICA, responsável pelo registro audiovisual e edição do espetáculo que será gravado em um espaço cultural da capital baiana e ficará disponível para visualização no youtube durante sete dias. Quem assina a direção de vídeo é o Cineasta Ailton Pinheiro.

Mama África é um projeto que dialogou diretamente com a comunidade do Engenho Velho de Brotas e arredores, tanto na realização da pesquisa, como dos ensaios e formação da equipe técnica.

Este solo de contação de histórias tem roteiro, direção e interpretação de Josy Acosta, preparação corporal e coreografia de Negrizu, que também faz uma participação especial como dançarino. As composições são de Toni Edson e a direção Musical é do professor doutor Etnomusicólogo Pedro Acosta. O espetáculo Yèyé segue a linha dos trabalhos anteriores do Grupo Ìwà no qual é valorizada a musicalidade e recursos corporais para contar histórias. Acompanham a atriz em cena os músicos Gabriel Carneiro e Juliana Almeida. Os arranjos das composições são assinados por Pedro Acosta e Gabriel Carneiro. A produção executiva é de Karla Janaína colaboradora da Acosta Produções Artísticas.

Este projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

SERVIÇO

Estreia do espetáculo Yèyé

Quando: 03 de abril, às 16h.

Onde: Canal do Youtube do Grupo Ìwà http://bit.ly/iwagrupo

Informações: instagram @Ìwàgrupo

FICHA TÉCNICA
Coordenação de produção, roteiro, direção e atriz: Josy Acosta
Atriz mirim: Maisha Bárbara
Produtora executiva: Karla Janaína
Assistente de direção: Amanda Cervilho
Assistente de produção: Francine Cardoso
Preparador corporal, coreógrafo e dançarino: Negrizu
Griote entrevistada: Vovó Cici
Trilhas: Toni Edson
Diretor musical e arranjador: Pedro Acosta
Músico instrumentista e arranjador: Gabriel Carneiro
Percussionista: Juliana Almeida
Ilustrador: Pablo Santos
Figurino: BlackPim e Francine Cardoso
Costureiros: Adriano Silva e Maria Luiza Santana
Maquiagem: Douglas Navarro
Fotógrafo: Ismael Silva
Gestão de mídias e iluminadora: Bruna Immich
Programadora visual: Amanda Nascimento
Coordenador de audiovisual: Ailton Pinheiro
Vídeo mapping: Magno Black
Técnico de som: Jeferson Souza
Imagens e edição do teaser do processo criativo: Márcio Soares e Uriel Santana
Produção audiovisual: Ori Imagem e som
Assessoria de Imprensa: Iele Portugal

Maquiador: Douglas Navarro

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 
-+=