Alckmin anuncia nomes da transição para Comunicações, Direitos Humanos, Igualdade, Mulheres, Planejamento e Indústria

Enviado por / FonteG1, por Guilherme Mazui

Equipe, dividida em 31 áreas temáticas, vai preparar primeiros atos de Lula após a posse. Entre nomes anunciados estão ex-ministros Paulo Bernardo e Guido Mantega.

O vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), anunciou nesta quinta-feira (10) novos nomes da equipe de transição de governo.

Entre eles estão os ex-ministros Paulo Bernardo e Guido Mantega, além da deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

O ex-governador paulista, que é o coordenador da transição, fez o anúncio no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), complexo que recebe o gabinete de transição do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A equipe de transição de Lula foi dividida em 31 áreas temáticas. O presidente eleito tem o direito de nomear 50 cargos remunerados para a transição e de contar com trabalho de voluntários.

Veja a lista dos novos nomes da equipe de transição anunciados nesta quinta:

Comunicações

  • Paulo Bernardo, ex-ministro das Comunicações;
  • Jorge Bittar, ex-deputado federal;
  • Cezar Alvarez, ex-secretário do Ministério de Comunicações;
  • Alessandra Orofino, especialista em economia e direitos humanos formada na Universidade de Columbia.

Direitos Humanos

  • Maria do Rosário, deputada federal e ex-ministra de Direitos Humanos;
  • Silvio Almeida, advogado;
  • Luiz Alberto Melchert, doutor em economia;
  • Janaína Barbosa de Oliveira, representante do movimento LGBTQIA+;
  • Rubens Linhares Mendonça Lopes, do setorial do PT para pessoas com deficiência;
  • Emídio de Souza, deputado estadual (SP);
  • Maria Victoria Benevides, socióloga, professora doutora.

Igualdade Racial

  • Nilma Lino Gomes, ex-ministra de Igualdade Racial;
  • Givânia Maria Silva, quilombola e doutora em sociologia;
  • Douglas Belchior;
  • Thiago Tobias, do Coalizão Negra;
  • Ieda Leal;
  • Martvs das Chagas, secretário do Planejamento de Juiz de Fora;
  • Preta Ferreira, movimento negro e movimento de moradia.

Planejamento, Orçamento e Gestão

  • Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda;
  • Enio Verri, deputado federal (PT-PR);
  • Esther Dweck, economista e professora da UFRJ;
  • Antonio Corrêa de Lacerda, presidente do Conselho Federal de Economia.

Indústria, Comércio, Serviços e Pequenas Empresas

  • Germano Rigotto, ex-governador do Rio Grande do Sul;
  • Jackson Schneider, executivo da Embraer e ex-presidente da Anfavea;
  • Rafael Lucchesi, diretor-geral do Senai Nacional;
  • Marcelo Ramos, deputado federal (AM);
  • Tatiana Conceição Valente, especialista em economia solidária;
  • Paulo Okamotto, ex-presidente do Sebrae e do Instituto Lula;
  • Paulo Feldmann, professor da USP;
  • André Ceciliano, presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Mulheres

  • Anielle Franco, diretora do Instituto Marielle Franco;
  • Roseli Faria, economista;
  • Roberta Eugênio, mestre em direito, pesquisadora do Instituto Alziras e ex-assessora de Marielle Franco;
  • Maria Helena Guarezi, ex-diretora de Itaipu;
  • Eleonora Menicucci, ex-ministra da Secretaria de Política para Mulheres;
  • Aparecida Gonçalves, ex-secretária Nacional da Violência contra a Mulher.

Gabinete de transição

O gabinete de transição faz um diagnóstico da situação da administração federal e prepara os primeiros atos a serem tomados por Lula após a posse.

O presidente eleito fez nesta quinta a primeira visita ao local neste processo de transição.

Outros nomes

Alckmin anunciou na terça-feira (8) os primeiros nomes da equipe de transição. Ele oficializou o ex-ministro Aloizio Mercadante como coordenador do grupo técnico do gabinete; o ex-deputado Floriano Pesaro como coordenador-executivo do gabinete; e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, como coordenadora da articulação política do gabinete de transição.

O vice-presidente também anunciou os coordenadores de dois grupos temáticos, o de economia e do de assistência social. Veja a seguir:

  • Economia: André Lara Resende, Persio Arida, Guilherme Mello e Nelson Barbosa.
  • Assistência social: Simone Tebet (MDB-MS), Márcia Lopes, Tereza Campello e André Quintão.

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

O nascimento da economia solidária mundial

Meados do ano de 2032. Algum lugar no Brasil,...

Promotoria apura alto índice de mortes entre motociclistas em SP

O Ministério Público prepara investigação sobre as causas...

PF apreende recibos do DEM nacional na casa de Arruda

Comprovantes de doação estavam no armário de suspeito de...

Mexer em colmeia com vara curta…

Por: Ceres Santos Tenho um amigo cuja amizade...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=