Guest Post »

Ato de protesto em frente rede de supermercado que jovem foi assassinado por segurança

Cartazes com dizeres como “Vidas negras importam” e “Minha cor não é um crime” foram colados na grade de proteção

no Revista Fórum

corpos deitados no chão do supermercado extra em protesto a morte de Pedro Henrique Gonzaga
Ato contra o assassinato de Pedro Henrique Gonzaga em Belo Horizonte – Foto Roger Damaceno

Uma grande manifestação ocorreu na tarde deste domingo (17), em frente ao supermercado Extra na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, local onde o rapaz Pedro Henrique Gonzaga foi brutalmente assassinado pelo segurança do estabelecimento.

Inúmeros movimentos sociais marcaram presença no protesto, realizado no estacionamento do supermercado. Cartazes com dizeres como “Vidas negras importam” e “Minha cor não é um crime” foram colados na grade de proteção, de acordo com informações de Matheus Rodrigues, do G1.

O ator Aílton Graça também esteve no protesto. Ele falou sobre a importância de protestar e pediu um “basta” e respeito ao cidadão.

A Polícia Militar enviou equipes para acompanhar a manifestação e reforçar o policiamento.

O protesto também ocorreu em outras localidades do país, como São Paulo e Pernambuco. O protesto no Extra Benfica, na Zona Oeste do Recife, teve início por volta das 14 horas deste sábado (16), com cerca de 20 participantes.

Conforme um dos participantes, os organizadores percorreram áreas do estabelecimento e fizeram performances gritando frases como “a carne mais barata do mercado é a carne negra”. Alguns dos clientes que estavam no estabelecimento acompanharam a ação.

Rio de Janeiro

 

View this post on Instagram

 

Pedro Gonzaga foi brutalmente assassinado no último dia 14 de fevereiro, sendo acusado de tentativa de furto no supermercado Extra na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro. A criminalização da juventude negra é uma cultura que tem executado dezenas dos nossos e legitimado ações arbitrárias sobre nossos corpos. Centenas de pessoas se reuniram no último dia 17 de fevereiro no supermercado Extra na Barra – RJ transformando o luto em luta. Vidas negras importam, nossos corpos nos pertencem e nossas vidas merecem respeito e dignidade. Imagens: @dom_filo e @pedroliveira_02 Edição: @pedroliveira_02 Produção: @cultne #vidasnegrasimportam #extranuncamais #cultne #cultnenatv #racismo #jovensnegrosvivos #genocidionegro

A post shared by Cultne (@cultne) on

Mais imagens do Ato no Rio de Janeiro

Mulher segurando cartaz com dizeres: Genocídio: a cada 100 vitimas da violência 71 são negros"
Foto: Matheus Machado \ Mídia Ninja
Famoso youtube Spartakus segurando cartaz escrito "Vidas Negras Importam"
Foto: Matheus Machado \ Mídia Ninja
Mulher negra segurando cartaz escrito "minha cor não é de luto"
Foto: Matheus Machado \ Mídia Ninja

São Paulo

Na capital paulista, manifestantes fizeram uma manifestação no Extra da Avenida Brigadeiro Luís Antônio, na altura da Alameda Ribeirão Preto, região central de São Paulo. O ato começou por volta das 14h30 deste domingo (17).

O grupo levou faixas com as frases “não consigo respirar” e “vidas negras importam”.

Ao ser questionados sobre as manifestações, Extra afirmou que “entende a dor e se solidariza com o sentimento em torno da morte do Pedro Henrique”. A empresa disse, também, que é “contra todo ato de violência, excessos e racismo”.

Leia Também: 

Precisamos falar sobre o racismo e a violência dos seguranças do Extra

Vídeo prova que Pedro Henrique Araujo, jovem assassinado no Extra não tentou roubar arma de segurança

Related posts