Beyoncé na Vogue e os cliques do 1º fotógrafo negro a fazer a capa da revista

O americano Tyler Mitchell, de 23 anos, foi o profissional escolhido por Queen B para ensaio histórico.

Por Amauri Terto, do Huffpostbrasil

eyoncé é (novamente) o assunto da vez nas redes sociais.

Na manhã desta segunda-feira (6) foram divulgadas as fotos da prestigiada edição de setembro da Vogue americana estampadas pela diva pop.

Junto com as imagens, a revista compartilhou uma rara entrevista na qual Queen B fala sobre diversos temas, incluindo aceitação corporal, família, ancestralidade e os recentes shows no festival Coachella.

A nova edição da revista Vogue é histórica. Não por um, mas por dois motivos.

Pela primeira vez na história, a editora Anna Wintour deu a um artista controle total sobre uma edição da revista.

Com o comando em mãos, Beyoncé escolheu o americano Tyler Mitchell, de 23 anos, para clicar o ensaio – fazendo dele o primeiro fotógrafo negro a assinar uma capa em 126 anos de história da publicação norte-americana.

New

Uma publicação compartilhada por Tyler Mitchell (@tylersphotos) em

Em um dos trechos da entrevista, Beyoncé explica o motivo dessa escolha.

“Quando comecei, 21 anos atrás, disseram que seria difícil eu estampar capas de revistas porque negros não vendiam. Claramente foi provado que isso é um mito. Não só temos uma afro-americana na capa do mês mais importante para a Vogue, como também esta é a primeira capa da revista realizada por um fotógrafo afro-americano.

Considero importante abrir portas para artistas mais jovens. Há tantas barreiras culturais e sociais à entrada que eu gosto de fazer o que posso para nivelar o campo de jogo, apresentando um ponto de vista diferente para pessoas que podem sentir que suas vozes não importam.

(…)

Se as pessoas em posições de poder continuarem a contratar e projetar apenas pessoas que se pareçam com elas, soem como elas, venham dos mesmos bairros em que cresceram, elas nunca terão um entendimento maior de experiências diferentes das delas.

Eles vão contratar os mesmos modelos, curar a mesma arte, lançar os mesmos atores repetidas vezes, e todos nós perderemos. A beleza das mídias sociais é completamente democrática. Todo mundo tem voz. A voz de todos conta e todos têm a chance de pintar o mundo a partir de sua própria perspectiva.”

Veja a seguir algumas fotos do miolo da publicação:

+ sobre o tema

para lembrar

Réquiem para Clark Terry

Mestre do trompete e do "flugel" morreu aos 94...

M O T U M B Á – Memórias e Existências Negras

Do Sesc SP Todo Corpo Importa – Poéticas para imaginar,...

Jennifer Hudson deve cantar em jantar

Jennifer Hudson deve ser a estrela de um jantar...

Um time de avós: a inovadora estratégia do Zimbábue para atender a pacientes com depressão

Certa noite, o psiquiatra zimbabuano Dixon Chibanda recebeu uma...
spot_imgspot_img

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...

14 de maio e a Revolta dos Malês

Quem passa pelo Campo da Pólvora, em Salvador, nem imagina que aquela praça, onde ironicamente hoje se encontra o Fórum Ruy Barbosa, foi palco...

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...
-+=