Centésima criança baleada no Rio, Kaio Guilherme, de 8 anos, permanece internado em estado grave

O menino Kaio Guilherme, de 8 anos, atingido por uma bala perdida na cabeça na última sexta-feira (17), em Bangu, Zona Oeste do Rio, permanece internado em estado grave no Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz. Uma tia do menino afirmou à GloboNews que o garoto teve morte encefálica decretada na manhã desta segunda-feira (19).

De acordo com o jornal Extra, o garoto estava com a mãe, a professora Thais Silva, de 29 anos, em uma festa infantil quando caiu no chão com a cabeça sangrando. O evento acontecia em espaço aberto, com cerca de 30 crianças e outros três adultos.

A mãe afirmou ao jornal que não havia confronto na região. Um vizinho, que é socorrista, ajudou a levar Kaio às pressas para o hospital.

Segundo levantamento da plataforma Fogo Cruzado, o menino foi a 100ª criança baleada na Região Metropolitana do Rio de Janeiro entre 2016 e 2021. Bangu foi o bairro com mais crianças atingidas, com 5 baleados. Vila Aliança empata com o Morro do Juramento, com 3 em cada.

Das 100 vítimas com idade inferior a 12 anos, 29 não resistiram. Do total de vítimas, 39 foram baleadas em ações onde havia a presença de agentes de segurança – destas, 10 morreram.

+ sobre o tema

Brancos, vamos falar de cotas no serviço público?

Em junho expira o prazo da lei de cotas nos...

Em junho, Djavan fará sua estreia na Praia de Copacabana em show gratuito

O projeto TIM Music Rio, um dos mais conhecidos...

O precário e o próspero nas políticas sociais que alcançam a população negra

Começo a escrever enquanto espero o início do quarto...

Estado Brasileiro implementa políticas raciais há muito tempo

Neste momento, está em tramitação no Senado Federal o...

para lembrar

Como falar com seus filhos sobre abuso sexual

A orientação dos especialistas para tratar de um tema...

Mais de 3 mil crianças indígenas morreram nos últimos 4 anos

O projeto Achados e Pedidos, iniciativa da Abraji e Transparência Brasil, em parceria...

Desigualdade de acesso aos direitos humanos começa no nascimento

A Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 75 anos...

Mais quantas Ágathas vão precisar morrer?

Segurança Pública e Política de Morte no século XXI Por:...
spot_imgspot_img

“Perda de aulas por tiroteios na Maré agrava desigualdade”

Desde 2014 à frente da editora Caixote, a jornalista e escritora carioca Isabel Malzoni mergulhou no universo das violências sofridas por crianças e adolescentes que moram no complexo...

Estereótipos sobre crianças e adolescentes alimentam violências cotidianas

Quando o assunto é proteção de adolescentes, nós, pessoas adultas, temos muito o que aprender. E eu estou me incluindo nessa conta aí, viu?...

Desigualdade de acesso aos direitos humanos começa no nascimento

A Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 75 anos neste domingo (10) e destaca as crianças como detentoras do direito a “cuidados e assistência...
-+=