Encontro discute trajetória das mulheres negras nas universidades

Enviado por / FonteDo Jornal da USP

Com o tema Política Institucional das Universidades e a Trajetória das Mulheres Negras, o Escritório USP Mulheres realizará o primeiro Encontro USP Mulheres Negras, Latino-Americanas e Caribenhas, nos dias 23 e 24 de julho, com a presença de profissionais, especialistas e pesquisadoras para analisar quatro grandes questões sobre o assunto. Equalizar as oportunidades na carreira docente; apoiar a trajetória acadêmica de mulheres; discutir gênero e política institucional; e inovar propondo medidas antidiscriminatórias são as linhas de debate nos dois dias do encontro.

A abertura contará com a participação do reitor da USP, Vahan Agopyan, e com a coordenadora do Escritório USP Mulheres, a professora Maria Arminda do Nascimento Arrudada, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. O encerramento terá a leitura de um documento elaborado a partir das apresentações realizadas. O evento terá transmissão on-line pelo Youtube neste link e para participar não é necessário fazer inscrição.

I Encontro USP Mulheres Negras, Latino-Americanas e Caribenhas

23 DE JULHO

14h40 – ABERTURA

Vahan Agopyan
Reitor da USP

Maria Arminda do Nascimento Arruda
Coordenadora do Escritório USP Mulheres

Mediação:
Juliana Maria Costa
Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP

15h – Equalizar as oportunidades na carreira docente

Gislene Aparecida dos Santos
Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP

Joacine Katar Moreira
ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa

Amarílis Regina Costa da Silva
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP

16h10 – Apoiar a trajetória acadêmica de mulheres

Adriana Alves
Instituto de Geociências (IGc) da USP

Ísis Conceição
Faculdade de Direito (FD) da USP / UNILAB-MAlês

Miriam Rosa dos Santos
Instituto de Psicologia (IP) da USP

24 DE JULHO

14h40 – ABERTURA

Maria Arminda do Nascimento Arruda
Coordenadora do Escritório USP Mulheres

Mediação:
Juliana Maria Costa
Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP

15h – Discutir gênero e política institucional

Angela Figueiredo
Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Mércia Consolação Silva
FFLCH USP / Diretora executiva do Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo – inPACTO

Elizabeth Suarez García
Secretaria de Equidad Etnico Racial y Poblaciones de la Intendencia de Montevideo – Uruguai (apresentação em espanhol)

16h10 – Inovar propondo medidas antidiscriminatórias

Ely Meléndez
Economista especialista em gênero, diversidade e inclusão social (apresentação em espanhol)

Eunice Prudente
Faculdade de Direito (FD) da USP

Allyne Andrade
Faculdade de Direito (FD) da USP / Diretora adjunta do Fundo Brasil Direitos Humanos

+ sobre o tema

Pela primeira vez na história, “Malhação” terá protagonista negra

Pela primeira vez na história, “Malhação” terá protagonista negra. A...

Mães pela Igualdade – Carta às mães e pais brasileiros

Nós, Mães pela Igualdade, gostaríamos de pedir dois minutos...

As dez coisas piores (e melhores) de ser uma mãe mais velha

O mais difícil de ser mãe ou pai são...

para lembrar

A mulher que pode ser presa por flagrar a traição do marido

Mulher que filmou o marido tentando agarrar e beijar...

MPE dá parecer favorável à união de casal gay em MT

As mulheres P.M e A.S.C anexaram ao pedido as...

Na luta contra as opressões atuais, mulheres camponesas se aprofundam na história do feminismo

Luiza Mahin, Teresa de Benguela, Sojourner Truth, Olympe de...

Pretahub: apoio e fomento ao empreendedorismo negro

No Terra Há 18 anos, a empreendedora Adriana Barbosa criou...
spot_imgspot_img

Em ano olímpico, Rebeca Andrade ganha homenagem da Barbie e quer inspirar outros sonhos

Rebeca Andrade, 25, possui uma longa lista de conquistas. A ginasta é medalhista olímpica, vencedora de ouro e prata, bicampeã mundial, medalhas nos jogos Pan-Americanos...

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...
-+=