Fotos raras de Bob Marley de bouas curtindo a Jamaica nos anos 1970

Parte da mitologia quase divinal ao redor da figura do cantor e compositor jamaicano Bob Marley vem, somando-se ao seu magistral talento, de suas origens. Marley é praticamente o único superstar mundial que veio do terceiro mundo. Não somente, mas de um país especialmente pobre, periférico e negro como a Jamaica – de onde saiu para se tornar um dos maiores nomes de toda a história da música pop, especialmente na segunda metade dos anos 1970.

No início da década, porém, Marley ainda era um astro local em ascensão, lutando para conquistar outros mercados que não somente o jamaicano – em especial, o inglês e o americano, que lhe garantiriam, se conquistados, o resto do mundo. Foi nesse início de carreira que a fotógrafa jamaicana Esther Anderson conheceu e se tornou amiga de Marley, a quem fotografou em 1973.

Foto: Esther Anderson
Foto: Esther Anderson
Foto: Esther Anderson

Esther registrou o jovem cantor, ainda sem os característicos dreadlocks, pelas ruas e praias de Kingston, capital jamaicana, assim como em sua casa. Suas fotos foram utilizadas como primeiros materiais publicitários para o lançamento da carreira de Bob Marley pela Island Records, que o levaria ao estrelato global. Uma das fotos se tornaria a icônica capa do primeiro disco dos Wailers, Catch a Fire, na qual Bob fuma um imenso baseado.

Foto: Esther Anderson

A clássica foto que se tornou capa do primeiro disco; abaixo, a foto seguinte

Foto: Esther Anderson

Tal material fotográfico foi reunido na exposição Bob Marley: A Rebel Prophet (Bob Marley: Um Profeta Rebelde) que ocorreu em Londres no início desse ano. Antes de se elevar à condição do mensageiro rebelde, do profeta rasta, do guerreiro negro, as imagens mostram um jovem artista rumando ao campo de batalha dos palcos para mostrar o impressionante talento que já possuía e poder, assim, transformar o mundo.

Esther Anderson e Bob Marley (Foto: Esther Anderson)
Foto: Esther Anderson
Foto: Esther Anderson

Leia a matéria da Vice que entrevistou a fotógrafa e cineasta jamaicana que ficou amiga de Marley antes de sua ascensão à fama.

+ sobre o tema

Jovem com distrofia muscular assina contrato com grande agência de modelos

Ainda não conhece Jillian Mercado? Pois guarde este nome,...

Museu Judaico de SP e parcerias realizam debate Memória e Testemunho

O Museu Judaico de São Paulo, o Instituto Brasil Israel...

‘Sex and the City africana’ retrata lado glamouroso do continente

A câmera passeia por um sofisticado restaurante, no qual...

para lembrar

África, não!

Namíbia, fica no sul da África e foi um...

Instituto de museus dos EUA terá o primeiro diretor geral negro

Pela primeira vez, o Smithsonian, um complexo de museus...

Promotoria sul africana suspende acusações polêmicas

As acusações de homicídio contra 270 mineiros que...

Casa da Utopia na FLIP

O Instituto Casa da Utopia é uma organização voltada...
spot_imgspot_img

Jordan Peele faz anúncio misterioso nas redes sociais

Jordan Peele tem planos para outubro. Ele publicou uma foto com a data de 23 de outubro deste ano em fundo preto e não acrescentou...

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...

Diaspóricas 2: filme revela mundo futurista a partir do olhar de mulheres negras

Recém-lançado no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), em Goiás, no último dia 13 de junho, o filme “Diaspóricas 2” traz o protagonismo negro feminino e brasileiro...
-+=