Livro traz a visão de 34 acadêmicos, escritores, poetas e ativistas sobre os 200 anos de independência

Enviado por / FonteEnviado ao Portal Geledés

Os desafios vividos hoje pelo Brasil se devem, em grande medida, a processos históricos inconclusos. Os principais deles são: a Independência e a Abolição, nos quais uma parcela expressiva da população foi deixada à margem. As consequências dessa exclusão sistemática se refletem até hoje em uma sociedade em eterno conflito e na qual a desigualdade é a regra. Dados do IPEA, do IBGE e da ONU exibem as duas faces do Brasil que, ao mesmo tempo em que figura entre as 10 maiores economias do mundo, pelo critério PIB, se destaca entre os 10 mais desiguais do planeta!

É nesse contexto que 34 personalidades, de diversos segmentos acadêmicos, escritores/as, poetas e ativistas afro-brasileiros/ as analisam a história do país no livro A Resistência Negra ao Projeto de Exclusão Racial – Brasil 200 anos (1822-2022). A obra foi idealizada e organizada por Helio Santos, doutor em administração pela FEA-USP e histórico militante da causa antirracista.

Helio conseguiu reunir um time potente, composto de 18 mulheres e 16 homens (entre os quais Conceição Evaristo, Elisa Lucinda, Kabengele Munanga, Sueli Carneiro, Cida Bento e Djamila Ribeiro), que apresentam uma visão crítica acerca das principais questões que dominam a pauta atual: meio ambiente, reforma tributária, políticas afirmativas e de reparação, segurança pública, política e economia.

Um importante diferencial de Brasil 200 Anos em relação às obras do gênero é que, além de analisar as contradições e o legado deixados por um passado de exclusão sistemática, também apresenta soluções. Elas aparecem como fio condutor dos 33 artigos, sendo acentuadas em “Um Novo Acordo para a Equidade Racial no Brasil”, assinado por Helio Santos e que funciona como um verdadeiro manifesto lançando pontes para o futuro a partir de ações práticas, em diversos campos.

Os textos e seus autores e autoras

1. Amauri Mendes Pereira – Unidade na diversidade e na luta: um desafio para o Movimento Negro

2. Ana Flávia Magalhães Pinto – Por uma história que confronte memórias desumanizadoras construídas pelo racismo

3. Ana Maria Gonçalves – O nome do pai

4. Anielle Franco – Além do genocídio, o Brasil de Marias, Marielles, Malês

5. Bianca Santana – Despachar o que nos assombra, eleger quilombo nos parlamentos

6. Carlos Alberto Medeiros – Protagonismo negro: conquistas e desafios de uma luta secular

7. Celso Prudente e Ana Vitória Luiz e Silva Prudente – O comportamento civilizatório afrodescendente versus o segregacionismo imagético do eurocaucasiano

8. Cida Bento – Independência branca e morte negra

9. Conceição Evaristo – Independência do Brasil: uma pátria de muitos gritos

10. Cuti (Luis Silva) – Ainda pendências do Brasil

11.Denise Carrascosa – 9 Eguns dançam entre Necro&IkuPolíticas: hino abolicionista para o bicentenário da “independência” do “Brasil”

12.Dennis de Oliveira – Amefricanidade e resistência secular no Brasil

13.Djamila Ribeiro – A urgente democratização das mídias: Uma abordagem gaspariana

14. Edna Roland – Vinte anos de transformações em 200 anos de história

15. Eliane Barbosa da Conceição – A parábola do Estado malvado: tributos e população negra no Brasil

16. Elias de Oliveira Sampaio – Que grito foi esse? 200 anos sem igualdade, sem democracia e sem desenvolvimento

17. Elisa Lucinda – Revolta das Lucindas

18. Jaqueline Gomes de Jesus – Dos julgamentos da inquisição aos das urnas: a resistência LGBTI+ negra brasileira

19. Joel Zito Araujo – Um cinema negro para decolonizar o Brasil

20. José Enes de Jesus – A resistência negra ao projeto de exclusão social

21. Kabengele Munanga – Qual é o lugar do negro no Brasil depois de 200 anos de independência?

22. Marcilene Garcia de Souza – O esquema racista de fraudes: um golpe na política de cotas

23. Mário Theodoro – A Sociedade Desigual: democracia ou autoritarismo

24. Michael França – De pai para filho, a meritocracia hereditária

25. Nivia Luzia Silva de Santana – Minha comunidade é Pirajá: Independência ou morte?

26. Renato Ferreira – Independência: liberalismo na lei, cativeiro na raça – a luta por justiça

racial no Brasil

27. Ronilso Pacheco – Uma denúncia profética contra 200 anos de políticas racistas de “segurança pública”

28. Samuel Vida – Racistocracia: o verdadeiro nome da democracia que se alimenta do racismo

29. Sueli Carneiro – Independência ou morte!

30.Valdirene Silva de Assis – A dívida histórica do escravismo

31.Valter Silvério – Estelionatários de sonhos

32. Zelia Amador de Deus – Independência sem escravidão: como seria?

33.Helio Santos – Um novo acordo para a equidade racial no Brasil

Ficha técnica:

Título: Resistência Negra ao Projeto de Exclusão Racial – Brasil 200 anos (1822-2022)

Organização: Helio Santos

Número de páginas: 440 pp

Preço: R$ 90,00

ISBN: 978-65-5094-021-8

Editora: Jandaíra

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Mr. Keynes, o coronavírus e o posto ypiranga

O caso da COVID-19 deverá ficar para a história...

Obama faz discurso histórico no centenário do NAACP

Fonte: UOL Internacional -   O presidente...

‘Meu sentimento é de indignação’, afirma Lula em nota

'Veja' afirmou que Lula pressionou ministro do STF para...

PV decide não apoiar candidato a presidente no 2o turno

O Partido Verde decidiu na tarde deste domingo...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=