A mensagem forte de Kondogbia contra a escravatura na Líbia

Enviado por / FonteDo Sapo Desporto 

Kondogbia foi um dos jogadores a reagirem à realidade da escravidão que ainda subjuga povos em África.

A mensagem é forte. Em plena crise na Líbia com muitos dos emigrantes a serem transformados em escravos, Geoffrey Kondogbia, foi a voz da revolta de um povo oprimido e com pouca voz no mundo.

A reportagem da CNN sobre os emigrantes vendidos por contrabandistas mostrou um dura realidade em 2017: A que a escravidão ainda existe.

Esse cenário de inferno é abafado pelo silêncio e pela indiferença do primeiro mundo que muitas vezes parece esquecer os problemas dos países sub-desenvolvidos.

Geoffrey Kondogbia, médio francês do Valência, mas com ligações fortes ao continente berço da humanidade – Nasceu na República Centro Africana  – deixou uma mensagem em jeito de apelo na partida entre o Valência e o Espanhol e em que Kondongbia foi protagonista ao apontar um dos golos do triunfo.

O médio do Inter emprestado ao clube que mora no Mestalla e foi o portador de um grito de revolta do povo libanês. No final do encontro Kondogbia envergou uma camisola com a seguinte mensagem “Não estou à venda”. Mais tarde, através da sua conta no Twitter, o centrocampista publicou a seguinte mensagem: “A rebelião está em movimento. Apoio as pessoas exploradas na Líbia”.

Kondongbia não foi o único jogador a ter reagido. Cheick Doukouré, dianteiro do Levante, registou o momento do seu primeiro golo na liga espanhola com uma mensagem forte no Twitter.

“Todos os meus pensamentos estão com os escravos da Líbia”, referiu.

Foto em destaque: Imagem retirada do site Sapo Desporto

+ sobre o tema

Liderança indígena é assassinada no MS

Cacique da aldeia Guariroká é assassinado em Caarapó ...

Pobre Palmares!

  por Arísia Barros União,a terra de Zumbi, faz parcas e...

“Somos índios, resistimos há 500 anos. Fico preocupado é se os brancos vão resistir”

Há 30 anos, em plena Assembleia Constituinte, pintou o...

Lei 13.019: um novo capítulo na história da democracia brasileira

Nota pública da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais...

para lembrar

Dado racial em documento trabalhista é passo no combate a desigualdades

Em 20 de abril de 2023, o governo federal sancionou...

Maritacas

Fonte: Ìrohin - por: Edson Lopes Cardoso Quem pode passar o...

Os novos Navios Negreiros

Por André Godinho Como historiador e professor, sempre achei importante...
spot_imgspot_img

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU em Genebra, na Suíça, com três principais missões: avançar nos debates...

Conselho de direitos humanos aciona ONU por aumento de movimentos neonazistas no Brasil

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), órgão vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, acionou a ONU (Organização das Nações Unidas) para fazer um alerta...

Toussaint Louverture, o general negro que libertou o Haiti

Toussaint Louverture liderou a revolução haitiana que conquistou a libertação de dezenas de milhares de escravos negros da antiga colônia francesa no Haiti e abriu caminho...
-+=