Meu Corpo

Um corpo, apenas um corpo. Mas é muito mais que um corpo.
Corpo humano, Corpo nu. Braços, pernas, cabeça, peitos, genitálias. Mulheres!
Pela genitália me construíram mulher. Me disseram: tu és mulher!
Porém me percebem, me olham, me tratam diferente. E então eu me descobri preta. E nessa descoberta me encontrei com minha história, com meu povo, minha ancestralidade, me origem.
e eu grito PRETA!
Antes de ser mulher, sou preta.
luto todo dia para permanecer viva.
amo meu corpo, meu cabelo afro, meus lábios e meus olhos.
Olho no espelho e sei quem sou.
Preta! Mulher Preta!
sim, essa sou eu, PRETA!
e a minha negritude sou eu e eu sou por ela.
Negramente PRETA!


** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE

+ sobre o tema

Literatura negro afetiva para crianças e jovens

Para Iris Amâncio Quando Nito nasceu foi uma alegria só....

Culpa

Nós, mulheres pretas temos um processo de culpa latente...

Mulher negra: tu és uma raiz sagrada

Contáramos estórias de negação. Açoitaram verdades sobre nós. Encobriram...

Meu lugar de fala

Me gritaram: negra! e muitos falaram que não, que era...

para lembrar

A cor do criminoso

observe bem a imagem das pessoas presas durante os...

Vitória’s e Carol’s

Quando eu nasci não tinha muito ideia de como...

Do tabuleiro de acarajé para a rede de salões de beleza

No Brasil, quando comparada com a população branca, a...

Falando sobre diversidade

por Flaviana Menezes via Guest Post Nas minhas palestras, pergunto aos adolescentes: – Vocês conhecem os Pokémons? – Sim! Tem o Bulbasaur, o Butterfree, o Weedle, o...

José do Patrocínio Marques Tocantins e a abolição em Goiás

A história de luta das pessoas negras em diáspora revela a constante renovação de estratégias na busca pelo direito fundamental à “liberdade”. Um olhar...

“Escravos da Religião”: Como era ser escravizado pela Igreja Católica no século XIX?

Em 23 de julho de 1863, a comunidade de cativos da Fazenda São Bento de Iguassú, no Recôncavo do Rio de Janeiro, estava de...
-+=