MPF entende que Lei Maria da Penha pode ser aplicada para mulheres trans

A manifestação vai ao encontro do entendido pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP), que foi contra uma decisão do Tribunal de Justiça paulista (TJSP), que negou proteção a uma mulher transexual agredida pelo pai

O Ministério Público Federal (MPF) constatou que mulheres transexuais têm direito às medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha. O órgão encaminhou o entendimento em prol das mulheres trans ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta quarta-feira (9/2).

A manifestação vai ao encontro do entendido pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP) que foi contra uma decisão do Tribunal de Justiça paulista (TJSP), que negou proteção a uma mulher transexual agredida pelo pai. 

O tribunal apenas considerou aspectos biológicos para rejeitar o pedido. O MPF, no entanto, afirma que este argumento deve ser rechaçado.

“Ao restringir a aplicação das medidas protetivas da Lei Maria da Penha por acepção biológica (sexual) de mulher, excluindo como sujeito passivo o transexual feminino, a decisão contrariou o artigo 5° da Lei Maria da Penha e ofendeu os princípios da igualdade e da dignidade da pessoa humana”, afirmou a subprocuradora-geral da República Monica Nicida Garcia, que assina a manifestação.

O MPF  ainda argumenta que, o artigo 5º da Lei Maria da Penha caracteriza a violência doméstica e familiar contra a mulher como qualquer ação ou omissão baseada no gênero, mas não especifica sobre aspectos biológicos. Logo, ainda que a mulher não tenha sido submetida a cirurgia de transgenitalização, ainda assim deve estar sob a proteção da lei. 

A manifestação ainda apresenta dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil (Antra) e do Instituto Brasileiro Trans de Educação (IBTE), que mostram que em 2020 ocorreram pelo menos 175 assassinatos de pessoas trans, sendo todas travestis e mulheres transexuais no Brasil. Segundo o levantamento, isso significa dizer que uma pessoa trans perdeu sua vida a cada 48 horas.

Leia também:

Sim, você tem direito a aplicabilidade da Lei Maria da Penha!

8 falas e atitudes transfóbicas para não se ter com pessoas trans e travestis

Crianças que não se identificam com seu gênero biológico falam sobre aceitação

+ sobre o tema

Aborto: Uma dívida da democracia brasileira

No Brasil, uma em cada 5 mulheres de até...

Democracia feminista

à generosidade de cada feminista que se reuniu no dia...

6 documentários essencias para compreender o Feminismo

Estas produções possuem 100% de protagonismo feminino e falam...

“Homens não vão protagonizar o feminismo”, afirma Pitty

Segundo cantora, cabe ao gênero masculino dar apoio ao...

para lembrar

Ameaças e violência têm transformado minha vida em uma grande tensão

Dentro da faculdade em que estudo, recebi por meses...

PLP 2.0: aplicativo para o combate à violência contra a mulher é lançado oficialmente

Ferramenta apoiada pela AJURIS passará por período de testes...

Site oferece guia sobre ‘como estuprar uma mulher na UFMG’

Texto afirma que 'a mulher mineira é famosa por...

No ano passado, 29 mulheres mortas na intimidade deixaram 46 crianças órfãs

Menos mulheres foram assassinadas em contexto de violência doméstica...
spot_imgspot_img

Projeto permite que mulheres chequem antecedentes criminais de parceiros

Um projeto de lei que tramita na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) quer permitir que mulheres tenham acesso aos antecedentes criminais de seus parceiros. O texto,...

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Lula sanciona lei que protege mulheres de violência em bares e shows

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à...
-+=