MPF entende que Lei Maria da Penha pode ser aplicada para mulheres trans

A manifestação vai ao encontro do entendido pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP), que foi contra uma decisão do Tribunal de Justiça paulista (TJSP), que negou proteção a uma mulher transexual agredida pelo pai

O Ministério Público Federal (MPF) constatou que mulheres transexuais têm direito às medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha. O órgão encaminhou o entendimento em prol das mulheres trans ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta quarta-feira (9/2).

A manifestação vai ao encontro do entendido pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP) que foi contra uma decisão do Tribunal de Justiça paulista (TJSP), que negou proteção a uma mulher transexual agredida pelo pai. 

O tribunal apenas considerou aspectos biológicos para rejeitar o pedido. O MPF, no entanto, afirma que este argumento deve ser rechaçado.

“Ao restringir a aplicação das medidas protetivas da Lei Maria da Penha por acepção biológica (sexual) de mulher, excluindo como sujeito passivo o transexual feminino, a decisão contrariou o artigo 5° da Lei Maria da Penha e ofendeu os princípios da igualdade e da dignidade da pessoa humana”, afirmou a subprocuradora-geral da República Monica Nicida Garcia, que assina a manifestação.

O MPF  ainda argumenta que, o artigo 5º da Lei Maria da Penha caracteriza a violência doméstica e familiar contra a mulher como qualquer ação ou omissão baseada no gênero, mas não especifica sobre aspectos biológicos. Logo, ainda que a mulher não tenha sido submetida a cirurgia de transgenitalização, ainda assim deve estar sob a proteção da lei. 

A manifestação ainda apresenta dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil (Antra) e do Instituto Brasileiro Trans de Educação (IBTE), que mostram que em 2020 ocorreram pelo menos 175 assassinatos de pessoas trans, sendo todas travestis e mulheres transexuais no Brasil. Segundo o levantamento, isso significa dizer que uma pessoa trans perdeu sua vida a cada 48 horas.

Leia também:

Sim, você tem direito a aplicabilidade da Lei Maria da Penha!

8 falas e atitudes transfóbicas para não se ter com pessoas trans e travestis

Crianças que não se identificam com seu gênero biológico falam sobre aceitação

+ sobre o tema

Viola Davis sobre racismo em Hollywood: ‘Ou você é branca ou a versão negra do ideal branco’

Viola Davis saiu da pobreza para se tornar a primeira pessoa negra...

Estudo revela por que as mulheres se desculpam tanto

Homens descrevem menos razões para receber desculpas   Um estudo...

Dayse Sacramento – Mulheres negras são oprimidas pelo machismo no Ilê Aiyê

A ordem arriscada do discurso de Foucault me obriga...

para lembrar

#LeiaMulheres: 23 livros escritos por mulheres que você precisa ler

Quantos livros escritos por mulheres você leu neste ano?...

Outubro Rosa: Super-heroínas ensinam autoexame para prevenir câncer de mama

Para lembrar que nenhuma mulher está imune ao câncer...

Caso Marielle: veja quem já foi preso e os movimentos da investigação

Uma operação conjunta da Procuradoria Geral da República, do Ministério...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=