N-1 lança no Aparelha Luzia livro escrito por Marielle Franco que analisa militarização do espaço público

No dia 7 de novembro de 2018, às 20h, no Aparelha Luzia (Rua Apa 78, SP) a Editora N-1 lança o livro “UPP – Redução da favela a três letras: uma análise da política de segurança pública do estado do Rio de Janeiro”. A edição retoma integralmente, com pequenas adaptações, a dissertação de mestrado de Marielle Franco, defendida na Universidade Federal Fluminense.  O lucro obtido com as vendas deste livro será inteiramente revertido para a família de Marielle.

Marielle Franco, socióloga e vereadora, foi brutalmente assassinada a tiros em  março de 2018 na  região central do Rio de Janeiro, em um caso ainda sem solução.  A organização do livro é de Lia de Mattos Rocha e o prefácio de Frei Betto.   A curadoria do lançamento é de Sidney Santiago e Sonia Sobral. Os livros estarão à venda no site da N-1(https://n-1publications.org/) e no showroom da editora em São Paulo (Rua Frei Caneca 322).

Para o dia do lançamento vários nomes estão confirmados, como Akins Kinte, Allan da Rosa, Ana Maria Gonçalves , Anielle Franco, Aretha Sadick, casadalapa, Coletivo Transverso, Erica Malunguinho, Gumboolt Dance Brasil, Lia de Mattos Rocha, Lucelia Sérgio Os Crespos, Micro roteiros da Cidade, Monica Benicio,  Paulistanos,  Raul Zito,  Rico Dalasam,  Viny Rodrigues,  Zona Agbara.

Marielle presente!

A voz e o pensamento de Marielle não param de desafiar a brutalidade cometida contra ela e contra tantos. O livro não apenas denuncia e identifica o problema da militarização do espaço público, mas também  propõe soluções : “Unificar as polícias, desvinculá-las do Exército, caminhar para desarmar a sociedade e reforçar uma visão de segurança integrada, muito superior a questões policiais, são medidas fundamentais”, dizia Marielle.

Neste sentido, a publicação desta tese e sua difusão por todos os meios e formas é um passo fundamental  para propagar e alimentar a esperança apregoada por Marielle durante toda sua vida. “Este livro tem de ser lido, reproduzido, distribuído, debatido e repartido como pão quente capaz de alimentar a mesma esperança encarnada por sua autora, minha amiga , Marielle Franco”, declara Frei Beto, que assina a contracapa do livro.

 (…) “ O objetivo geral deste trabalho é demonstrar que as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPS), como política de segurança pública adotada no estado do Rio de Janeiro, reforçam o modelo de Estado penal, absolutamente integrado ao projeto neoliberal. Ainda que tenham diferenças, centradas na substituição das conhecidas incursões policiais por um modelo de controle e ocupação de território por armas oficiais, esse fato não significa, necessariamente, uma alteração profunda da política em curso. Cabe destacar que a política estatal de combate às drogas e à criminalidade violenta, nesses territórios das favelas, é caracterizada por estratégias de confronto armado contra o varejo do tráfico, em que as incursões policiais ou a sua permanência nesses locais reforçam a iminência de confrontos e o cerceamento da vida cotidiana. “(…)  Marielle Franco 

Serviço:

LançamentoUPP – Redução da favela a três letras”

Data e Local:Dia 7 de novembro, às 20h, no

Aparelha Luzia – Rua Apa, 78

Entrada Franca

(Foto: Divulgação/ N-1)

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 

+ sobre o tema

Avô de irmãs mortas em Belford Roxo desabafa: ‘Dor constante’

“Nós estamos vivendo numa dor constante”. A frase é...

Fátima Oliveira: A teologia da prosperidade não perde balcão de negócios

Quando apareceu a manchete "Pastor homofóbico deve presidir a...

Campanha anti-aborto gera respostas nas redes

Mulheres favoráveis à descriminalização do procedimento se recusam a...

A cada 2 dias ocorre um feminicídio em São Paulo

Dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de...

para lembrar

Alunas da UFRGS criam coletivo que reforça a presença da mulher negra na dança

'Coletivo Corpo Negra' reuniu e fortaleceu bailarinas negras dentro...

A consciência é negra: do gênero feminino

Mas não é amada (por quê?) Por Vanda Albuquerque e...
spot_imgspot_img

Mãe de Simone Biles ofereceu apoio crucial quando ela decidiu não competir em Tóquio: “Eu te amo e saiba que estamos rezando por você”

A Netflix lançou recentemente "Simone Biles Rising", uma série documental que oferece uma visão íntima da vida pessoal e profissional da ginasta Simone Biles...

Zezé Motta recebe Preta Gil, Sheron Menezzes e Aline Wirley no ‘Especial mulher negra’

Artista que acabou de completar 80 anos, Zezé Motta recebe Aline Wirley, Preta Gil e Sheron Menezzes no “Especial mulher negra”, que será exibido...

Julho das Pretas: ‘Temos ainda como horizonte sermos livres das amarras históricas’, diz ativista

No dia 25 de julho será celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. E em alusão a data, o Julho das Pretas é realizado...
-+=