Obama condena ataques em Brasília e defende transição pacífica como pedra angular da democracia

Democratas Biden e Clinton também se posicionaram, enquanto republicanos como Trump e Bush silenciaram

SÃO PAULO – O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama juntou-se à extensa lista de lideranças mundiais que condenaram a invasão e depredação das sedes dos Três Poderes por uma multidão bolsonarista no domingo (8) e defenderam as instituições democráticas do Brasil.

“O mundo inteiro tem interesse no sucesso da democracia brasileira”, escreveu Obama em uma publicação no Twitter na noite da segunda-feira (9). “Juntos, devemos rejeitar qualquer esforço para derrubar ou perturbar a vontade do povo brasileiro e [devemos] afirmar a transferência pacífica de poder como pedra angular da democracia.”

O atual presidente dos EUA, Joe Biden, reagiu aos ataques em Brasília ainda na noite de domingo. “Condeno o atentado à democracia e à transferência pacífica do poder no Brasil. As instituições democráticas do Brasil têm todo o nosso apoio e a vontade do povo brasileiro não deve ser abalada”, escreveu o democrata no Twitter, acrescentando que continuaria a trabalhar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Biden falou por telefone com Lula nesta segunda e reforçou o convite ao brasileiro para uma visita a Washington. De acordo com comunicado divulgado pela Casa Branca, a viagem deve ocorrer no começo de fevereiro. “[Biden] transmitiu o apoio inabalável dos EUA à democracia do Brasil e ao livre arbítrio do povo brasileiro, conforme expresso nas recentes eleições presidenciais vencidas pelo presidente Lula”, diz a nota do governo americano.

Dos ex-presidentes americanos ainda vivos, dois republicanos e um democrata não se manifestaram até esta terça-feira (10). Donald Trump, que insuflou a invasão do Capitólio em 6 de janeiro de 2021 —movimento considerado a inspiração dos extremistas que atacaram Brasília— não se pronunciou publicamente sobre a insurreição brasileira.

George W. Bush, que governou os EUA de 2001 a 2009, também não fez comentários públicos sobre o ataque. Jimmy Carter fecha a lista. Aos 98 anos, porém, o democrata não costuma manifestar suas posições e deixou de participar de eventos públicos.

Já o democrata Bill Clinton usou as redes para manifestar apoio e solidariedade ao Brasil. “Associo-me à condenação do ataque às instituições democráticas do Brasil. É crucial que a transição pacífica de poder seja mantida e a vontade do povo respeitada”, escreveu o ex-presidente.

Chefes de Estado e de governo de dezenas de países manifestaram repúdio ao que chamaram de ataque e atentado contra a democracia e as instituições. A reação à insurreição de bolsonaristas também inclui mensagens de apoio e solidariedade a Lula.

+ sobre o tema

Obama precisa se justificar perante o Congresso sobre ação militar na Líbia

A Casa Branca enviou, nesta quarta-feira, um dossiê de...

O duplo desafio de Obama

- Fonte: O Estado de São Paulo - Conforme...

Entenda 5 propostas do governo Temer que acabam com direitos trabalhistas

A possibilidade de aumento da jornada diária para até...

Total de policiais militares expulsos da corporação cresce 76% em dois anos em SP

  Ato desonroso, atentado às instituições nacionais ou até mesmo...

para lembrar

Maravilha! Por Luiz Fernando Veríssimo

A única alternativa para a velhice é a morte....

Where was the Afro-Brazilian community at the protests against Dilma Rousseff?

The racism of a middle class who is harsh...

Democracia, Liberdade e Igualdade é “Coisa de Preto”!

A repercussão gigantesca causada pelas declarações racistas do jornalista...

Manifesto de operadores do direito condena ‘ação genocida’ de Bolsonaro

Manifesto assinado por profissionais do direito –de diferentes matizes...

Segunda mulher negra na história do TSE toma posse como ministra da Corte

Primeiro foi a mineira Edilene Lôbo, advogada de Taoibeiras (MG) que em 8 de agosto de 2023 foi pioneira ao tomar posse como primeira...

Pé-de-meia: quando começa, como se inscrever e como receber a bolsa do ensino médio

Alunos de famílias inscritas no Bolsa Família poderão receber, a partir de março deste ano, um incentivo financeiro do governo federal de até R$ 9,2 mil...

Os desafios para efetivar gestão democrática em conferência de educação no Brasil

A Conferência Nacional de Educação (Conae), que acontece de 28 a 30 de janeiro em Brasília, tem uma missão nada simples: formular as diretrizes,...
-+=