Guest Post »

Prêmio Oṣe Mimọ homenageará as maiores lideranças das Religiões de Matriz Africana do Rio

Evento que acontecerá no dia 5 de outubro premiará 12 lideranças e homenageará mais de 20 personalidades. A ação será realizada no Museu da Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Enviado para o Portal Geledes

O Rio é um dos lugares com maior incidência da cultura africana no mundo – é aqui que encontram-se tesouros históricos e arqueológicos afro-brasileiros. Nada mais justo do que ser aqui, nesta cidade, o lançamento do Prêmio Oṣe Mimọ – que reconhecerá e homenageará as lideranças mais expressivas das Religiões de Matriz Africana. Oṣe Mimọ, vem do idioma iorubá, significa ‘machado sagrado’. O prêmio procura valorizar e evidenciar personalidades da cultura afro-brasileira que contribuem para a construção e preservação da memória, da identidade, da história e do patrimônio imaterial dos Povos Tradicionais de Matriz Africana.

O evento contará com as presenças de grandes líderes religiosos, 12 deles serão premiados por premiados por Mãe Beata de Yemonjá; Ogan Luiz Bangbala; Rosinha de Oxosse; Mãe Detinha; Pai Elias de Iansã; Pai Zezito de Oxum; Mãe Meninazinha de Oxum; Oswaldo de Xangô; Mãe Mabeji; Mãe Regina Lucia de Yemonjá; Pai Bira de Xango; Edelzuita de Oxalá, e mais de 20 serão condecorados com menções honrosas por relevantes feitos em prol da manutenção da Cultura e fortalecimento da Identidade das Religiões Afrobrasileiras.

A iniciativa surgiu em outubro de 2015, durante a formatura do Curso de Elaboração de Projetos Sociais direcionado a terreiros e povos tradicionais de matriz africana, realizado pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) e pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR). A ideia inicial foi de dois sacerdotes do culto de matriz africana: Iyalorişa Rita d’ Oiyá e Pai Elias d’ Iansã. A princípio seria um prêmio homenageando apenas um expoente da religião de matriz africana, no entanto, o projeto se transformou em uma iniciativa de reconhecimento a 12 agentes da cultura e religiosidade de matriz africana destacado pelas categorias: Promoção da Cultura, Manutenção do Patrimônio, Proteção dos Direitos, Respeito entre as Religiões, Serviço de Assistência e Ações de Sustentabilidade, Mídia e Comunicação, e Combate ao Racismo.

A iniciativa inédita é idealizada pelo Coletivo Oṣe Mimọ, e conta com apoios e colaborações da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, através da Superintendência da Igualdade Racial, SUPIR, e do Museu da Justiça do Estado do Rio de Janeiro – aonde será realizada a cerimônia de premiação. “Quando sonhei esse sonho dourado, e ao entrar no salão, soube ‘é aqui’, tive a sensação de estar com Xangô e seus 12 ministros”, relembra a Iyalorişa Rita d’ Oiyá, quando visitou o museu, onde será realizada a premiação pela primeira vez. Segundo a SUPIR, o prêmio é uma forma de reconhecimento a importantes lideranças das religiões de matriz africana. “As pessoas têm preconceito pelo o que não conhecem, demonizando a Cultura. Esse prêmio é uma forma de valorizar a cultura e a história, além de fomentar políticas públicas de incentivo às religiões de matriz africana, não poderíamos deixar de apoiá-lo”, conta Mara Ribeiro, superintendente e integrante do Coletivo Oṣe Mimọ. “Esse prêmio foi delegado a nós por ancestralidade, estamos procurando fazer com que ele nasça com o porte que ele merece. As pessoas têm que se sentirem pertencentes, somos um movimento de resistência.”

Lista de premiados
1.      Iyá Maria d’ Xangô
2.      Mãe Glorinha
3.      Professor José Beniste
4.      Iyá Debora d’Oxum
5.      Mejitó Helena de Dan
6.      Babaloriṣa Odilon d’Xangô
7.      Babalawo Sandro Fatorerá
8.      Babaloriṣa Anderson d’Xangô
9.      Ogan Marivaldo d’Ogun
10.     Babaloriṣa George de Xangô
11.     Babaloriṣa Adailton d’Ogum
12.     Babaloriṣa João de Airá

Realização
Coletivo Oṣe Mimọ:
•       Ilé Aşé Efón – Babalorişa Elias d’ Iansã
•       Ilé Aşé Oiyá Iyá Mí – Iyalorişa Rita d’ Oiyá
•       Ilé Aşé Oiyá Tolore Osun – Iyalorişa Neném d’ Iansã
•       Ilé Aşé Omin Odara – Babalorişa Carlinhos d’ Oşaguian

Apoiadores
•       Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro – Superintendência de Igualdade Racial
•       CEDINE – Conselho Estadual dos Direitos do Negro
•       Instituto de Mulheres Negras Herdeiras de Candaces
•       Fernanda Santos – Gestão e Projetos de Educação, Cultura e Diversidade
•       Museu da Justiça do Estado do Rio de Janeiro
•       Designer e artista plástico Jesus
•       Revista Mistérios de Orunmilá
•       Ilza Cristina Transporte Alternativo
•       PMartins – Assessoria Jurídica
•       Diverso – Cultura e   Desenvolvimento

Serviço
O Prêmio Oṣe Mimọ acontecerá no dia 5 de outubro de 2016, no Salão Histórico do Tribunal do Júri, no Museu do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (Rua Dom Manuel 29, Praça XV, Centro, Rio de Janeiro). Das 17h às 21h.

Assessoria de Imprensa:
Tássia di Carvalho
[email protected]
(021) 3743-4305
(021) 97466-4633
(021) 98486-0137

Related posts