Professora se revolta com comentário do global Alexandre Garcia e vídeo explode nas redes sociais

Um comentário do jornalista Alexandre Garcia, em um noticiário da Globo em Brasília provocou uma revolta entre alunos e professores da rede pública e também na comunidade acadêmica

Do Diário do Brasil

O jornalista afirmou que os alunos cotistas da Universidade de Brasília entrariam pelas costas na universidade pública, sem ter mérito para estudar nas instituições federais de ensino superior. De acordo com Garcia, eles estariam lá por “pistolão”.

“Temos que pensar na qualidade do ensino. Aqui no Brasil ele é todo assim por pistolão, empurrãozinho, ajuda. A tradução disso é cota. Aí põe lá um monte de gente… só 67%, você viu aí, passaram por mérito. Estão aprendendo como é a vida, a concorrência, sem nenhuma humilhação de receber empurrãozinho. O mérito é a base”, disse o jornalista.

A interpretação de Alexandre Garcia gerou indignação e revolta na professora da rede pública Flávia Helen, que fez um vídeo que está bombando nas redes sociais.

Confira, abaixo, o desabafo da professora:

+ sobre o tema

Combate ao retrocesso nas cotas

"...Quando a universidade pública abriu as portas e ampliou...

Um livro para interpretar o Brasil

Em 2022, um conjunto de instituições e grupos de...

Cafona é ser racista

por Reinaldo Bulgarelli Ações afirmativas e cotas visam corrigir situações...

para lembrar

Para 94% da população brasileira, negros têm mais chance de ser mortos pela polícia

Nove em cada dez brasileiros reconhecem que pessoas negras...

Internet reage com extremo racismo à coroação de descendente de indianos a Miss EUA

Entre as "barbaridades", disseram que ela é terrorista e...

Em série, casais inter-raciais revelam insultos que ouvem diariamente

Ver um casal de diferentes etnias não deveria ser...

Líder comunitário denuncia secretário municipal por racismo

Fonte: F@to Re@l - O presidente da Associação dos...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=