quinta-feira, outubro 15, 2020

    Tag: UnB

    GUI PRÍMOLA / METRÓPOLES

    Em 16 anos de cotas raciais, UnB formou 4.791 pretos, pardos e indígenas

    Pioneira na adoção de política de cotas raciais para acesso ao ensino superior, a Universidade de Brasília (UnB) formou 4.791 jovens pretos, pardos e indígenas desde a implantação do sistema, em 2004. Atualmente, 10.524 cotistas raciais estudam na instituição. Neste ano, denúncias de fraudes levaram a universidade a punir 25 estudantes e ex-alunos, acusados de burlar a política pública. Dezessete acusados recorrem da decisão, inédita na história da UnB, e a instituição ainda apura outras 137 denúncias de supostas irregularidades nas cotas. Ainda assim, a Universidade de Brasília ocupa as primeiras posições no ranking de inclusão racial à graduação no país. A Universidade de São Paulo (USP), por exemplo, ainda não formou cotistas. Desde 2006, a USP adota ações de inclusão social, mas o sistema de cotas só entrou em marcha em 2018, razão pela qual não há graduados nesta modalidade pela instituição. Segundo a assessoria da universidade, aproximadamente 8 mil cotistas estão matriculados ...

    Leia mais
    foto- Ana Rayssa:CB:D.A Press

    Única docente negra do Departamento de História da UnB luta por igualdade

    Ana Flávia Magalhães Pinto busca inspirações no passado para lutar por um futuro mais igualitário por Deborah Fortuna no Correio Brasiliense foto- Ana Rayssa:CB:D.A Press “Toda a pessoa sempre é as marcas das lições diárias de outras tantas pessoas.” É assim que Ana Flávia Magalhães Pinto começa a contar sua história: com a música Caminhos do coração, de Gonzaguinha. Aos 40 anos, a professora da Universidade Brasília (UnB) entrelaça a própria trajetória com a de outras pessoas negras, como se a luta e a resistência delas, no passado, fizessem com que ela chegasse onde chegou. “Estar aqui, a despeito de todos os desafios, é honrar um esforço coletivo, o que faz com que, apesar de ser a única professora negra deste departamento (de História), eu não sinta que estou aqui sozinha”, resume a doutora. Ana dedicou a carreira profissional a estudar as narrativas de pessoas negras no ...

    Leia mais
    Ilustração: Michael Morgenstern /The Chronicle

    Oficinas de Literatura na Universidade de Brasília (UnB)- “Escrevivências, da inspiração à produção na perspectiva de Conceição Evaristo”

    Ao idealizar a Oficina de Literatura- “Escrevivências, da inspiração à produção na perspectiva de Conceição Evaristo”- pretendemos, de fato, tornar a escritora Conceição Evaristo nossa interlocutora na comunidade acadêmica, especialmente, entre as/os estudantes negras/os do campus Planaltina (UnB-FUP) e movimentos sociais. O projeto será desenvolvido pelas oficineiras Zane do Nascimento (Ciências Sociais-UnB) e Renata Canto (Arquitetura e Urbanismo-UnB), ambas baianas e negras, que se somam a um movimento de pessoas negras que ressignificam seus olhares a partir da realidade do DF e Entorno. Por  Zane do Nascimento para o Portal Geledés  Ilustração: Michael Morgenstern /The Chronicle Além disso, o projeto foi pleiteado pelo Edital 03/2017 pela DOCCA/DAC (Diretoria de Organizações Comunitárias, Cultura e Arte). Conforme previsto pelas proponentes, os livros adquiridos serão doados para a biblioteca do campus da universidade de Brasília (UnB-FUP) que, até o momento, não conta com nenhum título da escritora Conceição Evaristo, ...

    Leia mais

    Professora da UnB registra boletim de ocorrência após ser ameaçada de morte

    Débora Diniz foi xingada por perfis e páginas contrários à descriminalização do aborto no Brasil. Ela registrou ocorrência na Delegacia da Mulher  Por Alexandre de Paula , do Correio Braziliense Imagem Retirada do Correio Braziliense Postagens em páginas e perfis em redes sociais contrários à regularização do aborto direcionam agressões à professora da Universidade de Brasília (UnB) Debora Diniz. A docente, que trabalha diretamente com o tema e defende a descriminalização, relata também ter recebido, por ligações e mensagens, ameaças explícitas e ofensas graves. Ela registrou queixa na Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (Deam), que apura o caso. Monstro e assassina são alguns dos adjetivos direcionados publicamente, em redes sociais, à antropóloga, que atua na Faculdade de Direito da instituição e foi escolhida em 2016 um dos cem pensadores globais pela revista norte-americana Foreign Policy, por pesquisas sobre grávidas infectadas pelo zika vírus. Diniz estuda temas como feminismo, bioética, direitos humanos e saúde. ...

    Leia mais
    ONU Mulheres foi uma das entidades apoiadoras da Marcha das Mulheres Negras, em 2015. À direita, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

    ONU e UnB promovem ‘Diálogos Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50’

    Os 30 anos da articulação política do movimento de mulheres negras, celebrados ao longo de 2018, são o fio condutor da atividade acadêmica “Diálogos Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50: contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver” que acontecerá na próxima quarta-feira (20/6), das 14h às 19h, em Brasília, informou a ONU Mulheres. ONU Mulheres foi uma das entidades apoiadoras da Marcha das Mulheres Negras, em 2015. À direita, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-NgcukaFoto: ONU Mulheres/Bruno Spada Para participar do encontro, é necessário fazer inscrição pela Internet até terça-feira (19). Também haverá transmissão online. Os 30 anos da articulação política do movimento de mulheres negras, celebrados ao longo de 2018, são o fio condutor da atividade acadêmica “Diálogos Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50: contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver” que acontecerá na próxima quarta-feira ...

    Leia mais
    Foto: Beto Monteiro/Secom UnB

    UnB – Perfil do estudante mostra aumento de alunos negros e de baixa renda

    15 anos depois da vanguarda na política de cotas, perfil do estudante da UnB comprova ampliação do acesso de pessoas negras, de baixa renda e oriundas de escolas públicas à graduação no Andifes Beto Monteiro/Secom UnB Há exatos 15 anos, em 6 de junho de 2003, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da Universidade de Brasília marcava o nome da instituição na vanguarda da educação pública, ao aprovar a política que determinava um percentual de 20% do total de vagas no vestibular como cota para ingresso de estudantes negros na graduação. Em 2004, aconteceu o primeiro processo seletivo com essa possibilidade de acesso. Eram passos iniciais de uma cultura que resultou em uma Universidade mais inclusiva e diversificada, em todos os aspectos. Dados levantados pelos decanatos de Ensino de Graduação (DEG) e de Planejamento, Orçamento e Avaliação Institucional (DPO) da UnB atestam que, nos ...

    Leia mais

    Cotas raciais: 15 anos depois, professora da UnB faz balanço sobre reserva de vagas

    Universidade de Brasília foi 1ª federal do país a adotar sistema nos vestibulares. Por Marília Marques, do G1 Alunos conferem resultado de vestibular da UnB, em imagem de arquivo (Foto: (Foto: Divulgação/UnB Agência) No mês em que a política de cotas raciais da Universidade de Brasília (UnB) completa 15 anos, uma portaria publicada na última terça-feira (10), pelo governo federal, reacendeu o debate sobre o sistema que reserva vagas para negros e indígenas em seleções públicas. Com a nova medida, fica regulamentado no país que, ao se autodeclarar negro – preto ou pardo –, o candidato a um concurso público deverá passar, obrigatoriamente, por uma comissão avaliadora. A "heteroidentificação", como é chamado o procedimento, significa que a autodeclaração do candidato sobre a própria etnia será confirmada por uma banca. A medida tenta evitar fraudes, e garantir que apenas candidatos negros e indígenas sejam contemplados pelas cotas voltadas a eles. Pioneira na ...

    Leia mais

    Identificado um dos autores de ataque racista na UnB ocorrido em 2015

    Suspeito é aluno da própria universidade. Crime envolve a adulteração de fotografias de projeto idealizado por estudante da instituição por Carlos Carone no Metropoles Dois anos após repercutir no Brasil e no exterior, um caso de racismo dentro da Universidade de Brasília (UnB) está perto do desfecho. O episódio, ocorrido em 2015, envolveu a adulteração de fotografias de um projeto idealizado pela estudante Lorena Monique Santos (foto em destaque), 23 anos, do curso de ciências sociais. Desde então, o processo estava sob responsabilidade do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). No fim de novembro deste ano, no entanto, o caso foi transferido à Polícia Civil do DF (PCDF), para início das investigações. Na semana passada, a corporação descobriu que o crime foi praticado por duas pessoas, e chegou à identidade de uma delas: trata-se de um estudante da própria UnB. A identidade dele está sendo mantida em sigilo ...

    Leia mais
    Brasília(DF), 09/11/2016 - Ocupação Unb - Faculdade de Medicina . Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

    Alunos de medicina da UnB acusam professor de assédio e preconceito

    Segundo estudantes, docente teria desqualificado alunos cotistas. Protesto chegou a ser realizado na quarta-feira (22/3) em sala de aula Por PEDRO ALVES, do  Metrópoles  Mais uma denúncia de assédio moral nos corredores da Universidade de Brasília (UnB) tem causado polêmica entre a comunidade acadêmica. Desta vez, são estudantes de medicina que fazem uma acusação contra o professor João Alexandre Gonçalves, do Instituto de Biologia. Os alunos alegam que o docente segrega cotistas e indígenas, colocando em xeque a capacidade deles. Na quarta-feira (22/3), estudantes fizeram um protesto silencioso na sala onde o professor daria aula. Um grupo colou cartazes na porta de entrada e no interior do local com dizeres como: “A casa grande surta quando a senzala vira médica” e “Vai ter cotista, sim”. João Gonçalves, no entanto, não compareceu ao local. Uma ex-aluna do professor conversou com o Metrópoles sob a condição de anonimato. Ela assistiu à disciplina bioquímica e biofísica médica com o ...

    Leia mais

    Jovem da etnia poianaua é o primeiro indígena formado em antropologia pela UnB

    O antropólogo Jósimo da Costa Constant, 27 anos, percebeu logo cedo a importância da educação para a manutenção da cultura do seu povo. Indígena da etnia poianaua, nasceu em uma aldeia do município Mâncio Lima (AC), na fronteira com o Peru. Criado com os costumes indígenas, precisou se mudar com a família para a cidade – o pai, que era professor na escola local, teve a oportunidade de cursar o ensino superior na Universidade Federal do Acre (Ufac). Do  Planeta Universitário  Como a aldeia só oferecia educação até o quinto ano do ensino fundamental, para Jósimo foi a chance de seguir com os estudos. “Senti muita dificuldade em sair de lá para estudar na cidade, me adaptar a um modo de vida diferente, passar por cima do preconceito”, lembra. Depois de concluir o ensino médio, retornou à aldeia com a família. Jósimo passou o ano seguinte lecionando na escola onde ...

    Leia mais

    Futuro do assassino de Louise será definido a partir de quarta (22/6)

    Vinicius Neres, que confessou ter matado a ex-colega de UnB, será interrogado pela Justiça nesta semana. Após essa fase do processo, juiz decidirá se o caso do rapaz será submetido a júri popular Do Metro Poles O futuro de Vinicius Neres, assassino confesso da universitária Louise Ribeiro, começa a ser definido nesta quarta-feira (22/6). Ex-colega da vítima no curso de biologia da Universidade de Brasília (UnB) e denunciado por feminicídio pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), Vinicius será interrogado em audiência na Vara do Tribunal do Júri de Brasília. Na ocasião, também serão ouvidas testemunhas. Após essa fase, o juiz terá algumas opções, como determinar que o caso de Vinicius seja submetido a júri popular ou até mesmo absolvê-lo sumariamente. Essa opção, entretanto, é considerada remota, uma vez que o rapaz admitiu ter assassinado Lousie e, na investigação, foi colhida uma série de provas que atestam a ...

    Leia mais

    Estudantes da UnB criam página para denunciar preconceito de professores

    Alunos de relações internacionais ironizam suposto destaque da graduação. Regra proíbe que frequentadores se deitem no chão; UnB apura postagens. Pro Mateus Rodrigues Do G1 Alunos do curso de relações internacionais da Universidade de Brasília criaram uma página em rede social para divulgar casos de racismo, machismo, elitismo e outros tipos de preconceito vividos em sala de aula. Nas postagens anônimas, os estudantes citam episódios de assédio moral protagonizados por professores e gestores da graduação (veja imagens ao longo desta reportagem). A página foi nomeada "No 'Melhor da América Latina'" e ironiza o título que, segundo os alunos, foi concedido pelos próprios docentes ao curso da UnB. Até as 22h desta sexta-feira (3), 24 horas após a criação, a comunidade já tinha 1.176 inscritos. Questionada pelo G1, a UnB informou que tomou conhecimento da página na tarde de sexta e tomará as "devidas providências", que não foram detalhadas. Se for preciso, um ...

    Leia mais

    Primeiro negro trans a se formar na UnB fala sobre suas experiências

    O cientista político Marcelo Caetano conta como foi o processo de transformação da mulher que nasceu para o homem que se tornou Por Flávia Duarte Do Correio Braziliense "Não importa a voz da pessoa, se ela tem barba ou não... Por que os outros não podem só chamá-la pelo nome que ela quer e tratá-la da maneira que ela deseja? Por que o corpo dela tem que corresponder à expectativa linguística do outro?" Marcelo Caetano tem 25 anos, mas nasceu em 2010. Foi batizado com nome de mulher, em Santos, em 1989, porque suas características físicas diziam que assim deveria ser. Mas, com o tempo, a alma disse outra coisa. Ela se sentia ele. Resolveu renascer. Ela escolheu outro nome. Pediu para que os amigos a chamassem por Marcelo e, assim, começou vida nova, com identidade diferente. O jovem ficou badalado na internet e nas redes sociais depois de fazer um ...

    Leia mais

    Feminicidio: Unb decreta luto de três dias e convoca ato oficial contra violência

    O evento acontecerá no Teatro Arena do campus Darcy Ribeiro e terá representantes da ONU Mulheres Brasil Por Camila Costa Do Correio Braziliense Está previsto para segunda-feira, às 15h30, um ato oficial contra a violência, no teatro de arena do campus Darcy Ribeiro. A convocação foi feita em nome da Universidade de Brasília (UnB) para que alunos, professores, técnicos-administrativos e toda a comunidade se unam em uma homenagem à estudante Louise Maria da Silva Ribeiro, 20 anos, assassinada em um laboratório da universidade. O evento contará com a participação de membros da administração superior, docentes da Universidade e representantes da ONU Mulheres Brasil. Em nota, a UnB reiterou a indignação com o crime e o pesar pela morte violenta da aluna. “A instituição se solidariza com a família e os amigos de Louise e se coloca à disposição para conceder o apoio necessário”, declarou em sua página na internet. A UnB ...

    Leia mais

    Desabafo de um estudante transexual negro em sua formatura na UnB

    O primeiro estudante transexual da Universidade de Brasília (UnB) que institucionalizou o direito ao uso do nome social se formou e, em um discurso dirigido à academia, se esforçou para fazer a instituição rever seus conceitos. por Grasielle Castro no Pragmatismo Político O primeiro estudante transexual da Universidade de Brasília (UnB) que institucionalizou o direito ao uso do nome social se formou e, mais uma vez, trabalha para fazer a instituição rever seus conceitos. Marcelo Caetano Zoby, 25 anos, surpreendeu ao discursar na colação de grau do curso de ciência política, na quinta-feira (18). Em um discurso dirigido à academia, o estudante questiona e impessoalidade da universidade e seu papel na implementação das políticas públicas. Marcelo denuncia o estudo da raça e da sexualidade do ponto de vista branco e masculino e também questiona a marginalização da população LGBT e dos negros. “Se a Democracia existe, ela não é para ...

    Leia mais

    Professora se revolta com comentário do global Alexandre Garcia e vídeo explode nas redes sociais

    Um comentário do jornalista Alexandre Garcia, em um noticiário da Globo em Brasília provocou uma revolta entre alunos e professores da rede pública e também na comunidade acadêmica Do Diário do Brasil O jornalista afirmou que os alunos cotistas da Universidade de Brasília entrariam pelas costas na universidade pública, sem ter mérito para estudar nas instituições federais de ensino superior. De acordo com Garcia, eles estariam lá por “pistolão”. “Temos que pensar na qualidade do ensino. Aqui no Brasil ele é todo assim por pistolão, empurrãozinho, ajuda. A tradução disso é cota. Aí põe lá um monte de gente… só 67%, você viu aí, passaram por mérito. Estão aprendendo como é a vida, a concorrência, sem nenhuma humilhação de receber empurrãozinho. O mérito é a base”, disse o jornalista. A interpretação de Alexandre Garcia gerou indignação e revolta na professora da rede pública Flávia Helen, que fez um vídeo que está bombando nas redes sociais. Confira, ...

    Leia mais

    UnB realiza concurso para professor com cota para negros

    Pela primeira vez, a Universidade de Brasília abre concurso para professor com vaga específica para candidatos negros. A seleção para docente de Direito Público e Privado para a Cidadania, da Faculdade de Direito (FD), cumpre lei do governo federal e destina uma das três oportunidades para o sistema de cotas raciais. O cargo para professor adjunto, com regime de dedicação exclusiva, exige doutorado e a remuneração total prevista no edital é de R$ 8.639,50. As inscrições podem ser feitas pela internet, até o dia 19 de fevereiro. A seleção conta com provas discursiva, oral, didática e de títulos. “A novidade resulta de uma adaptação à lei”, explica a decana de Gestão de Pessoas, Maria Ângela Feitosa. “O que fizemos foi atualizar as condições gerais do edital”. “Fico satisfeito. É a evolução das coisas. As cotas podem promover a integração”, diz o diretor da FD, George Galindo. A Universidade foi a ...

    Leia mais

    Alunas denunciam professor de comunicação da UnB por assédio moral e sexual

    A Universidade de Brasília investiga o caso. As violações teriam sido cometidas por um docente de audiovisual dentro de sala de aula. Os casos ganharam repercussão por ocasião da campanha #meuamigosecreto, nas redes sociais Por  Maryna Lacerda Do Correio Braziliense A Universidade de Brasília (UnB) vai investigar denúncias de assédio moral e sexual de um professor contra alunas da Faculdade de Comunicação (FAC/UnB). As violações teriam sido cometidas por um docente de audiovisual dentro de sala de aula. Os casos ganharam repercussão por ocasião da campanha #meuamigosecreto, nas redes sociais. Por meio das postagens, alunas relatam terem que participar de atividades em posições constrangedoras e de terem ouvido comentários machistas e misóginos durante as aulas. Uma estudante, que estava de minissaia, pediu para não participar de um exercício em que era obrigada a ficar de quatro. O professor, no entanto, não a liberou e ainda a reprimiu na frente dos ...

    Leia mais

    Aluna da UnB é primeira cigana a concluir doutorado na América Latina

    Paula Soria teve de deixar seu grupo, que preza a oralidade e rejeita a escrita, para estudar. Em sua tese, analisa os estigmas atribuídos aos romà na literatura Por Marcela D´Alessandro Do UnB Foto: Marcelo Jatobá/UnB Agência A tese de 330 páginas e a dissertação, de 112, foram pouco para preencher a necessidade e a vontade de estudar de Paula Soria. Agora doutora em Literatura pela Universidade de Brasília (UnB), a pesquisadora, que pertence ao grupo romà – nomenclatura para ciganos, ratificada durante o I Congresso Mundial Romani, realizado na Inglaterra em 1971 –, espera que sua história seja exemplo para que outras romani possam trilhar trajetórias acadêmicas sem abandonarem seu povo. Apesar dos obstáculos que teve de enfrentar para chegar ao título, Paula se prepara para continuar no caminho da pesquisa. "Tem muita coisa para escrever ainda. Meu desejo era começar e não parar nunca mais", afirma ...

    Leia mais
    Lélia Gonzales (Foto: Acervo JG/Foto Januário Garcia)

    UnB inaugura espaço dedicado à Lélia Gonzalez

    O Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UnB) inaugurou nesta sexta-feira (12) a sala Lélia Gonzalez. O espaço homenageia a socióloga e antropóloga que influenciou o pensamento político contemporâneo brasileiro a partir de seus artigos, ensaios e livros sobre as temáticas racial e de gênero. No Palmares A proposta em homenagear Lélia partiu dos alunos do Programa de Iniciação à Docência que terão a partir de agora, o desafio e a missão de produzir pesquisas que sejam base à materiais didáticos e para-didáticos, em consonância com o papel intelectual, político e pedagógico relacionados com as questões etnicorraciais e feministas. Coordenadora da Licenciatura em Ciências Sociais, a professora Haydée Caruso afirmou que a ideia é articular a proposta do laboratório com outras áreas da Universidade, com os movimentos sociais e com as instituições governamentais que trabalham as duas temáticas. “O nome de Lélia Gonzalez vai nos abrir várias possibilidades de diálogos. ...

    Leia mais
    Página 1 de 2 1 2

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist