Quem vestiu a Globeleza?

Enviado para o Portal Geledés

Engana-se os que acham que foi a globo que vestiu a Globeleza.

Quem vestiu a Globeleza foram as feministas.

Foi o grito das mulheres contra a objetificação do corpo feminino e contra a hipersexualização do corpo negro que calou o assanhamento dos machos brancos.

A Globeleza nunca representou o carnaval, ela representava apenas o samba carioca bordelizado que nasceu nos tempos do Sargentelli.

A mulata Globeleza se saracoteando pelada, era o símbolo da exploração do corpo negro, da carne barata servida nos baquetes bacantes da casa grande desde a hora primeva.

Nua, a mulata Globeleza evidenciava apenas a beleza negra que importa aos mercadores: peito, bunda e tapa sexo.

A Globeleza, vestida, é uma vitória das pretas cansadas de serem virtualmente mucamizadas.

A ESQUERDA SEM DIREITOS

Com Temer o povo perdeu até o direito de reclamar. não há mais direitos, só deveres.

Antes a polícia chegava no cidadão e dizia: você tem o direito de permanecer em silêncio.

Agora, chegam nas manifestações descendo a porrada e gritam: você tem o dever de permanecer em silêncio.

Enquanto isso, a direita e seus miditoas fascistóides gritam, berram, esperneiam e pedem a morte e a prisão de todos os pretos, pobres e esquerdistas.

Mesmo sem provas, mesmo sem crime.

DO JEITO QUE O DIABO GOSTA

O impostor Valdemiro, o pastor/fazendeiro que faz o povo pastar, tomou algumas facadas no cangote.

Alguns imbecis aplaudiram esse horror.

Descrentes na justiça, a moçada passou a torcer pelo justiçamento.

Estamos nos tornando uma sociedade bestializada.

A CADEIA DE HOMENS LIVRES

O ano começou com duas rebeliões no norte do Brasil. Preso contra preso.

A carnificina vitimou quase uma centena de seres humanos desumanizados.

Dezenas foram degolados, alguns tiveram olhos e corações arrancados.

Do lado de fora, choro e ranger de dentes.

Ainda mais do lado de fora, um pouco mais distante da cena do crime – na covardia das redes sociais – sociopatas gargalhavam e pediam mais sangue.

Esses justiceiros são os mesmíssimos que se diziam todos Cunha.

Porque bandido bom é bandido rico.

O outro, bardoto, teve o disparate de dizer que ali entre os que matavam e os que morriam não tinha nenhum santo.

Disso todos o sabemos, porque não há santos vivos.

O único lugar que tem um santo vivo é no PSDB.

E é um santo muito vivo; vivíssimo, diria.

Outra coisa que estamos carecas de saber é que a maioria da nossa população carcerária – a 4º do mundo – é formada por cidadãos que sequer foram a julgamento.

Por isso, uma enorme quantidade de inocentes, e pessoas que cometeram pequenos delitos, está misturada nos presídios com homicidas, latrocidas e ladrões de banco.

O cara que não pagou pensão alimentícia, está agora encarcerado com mais 20 caras que faziam assalto a mão armada.

O outro que foi preso numa praça fumando um baseado antes de ir pra aula, agora dorme ao lado de caras que daqui a pouco arrancarão o coração de um colega de cela.

O infeliz que foi preso com um frasco de vinagre durante uma manifestação, está morando num cubículo minúsculo com quase duas dezenas de brutamontes dispostos a cortar cabeças e arrancar os olhos de colegas de pátio.

Nossas cadeias, que deveriam ser espaços de ressocialização, são escolas do crime, incubadoras de monstros.

Ah, mas o estado gasta 5 mil reais com um preso, porque não investem isso em educação?

Ora, que relincho é esse, meu caro midiota?

Habitando uma espelunca podre, cheia de ratos, ferrugem e goteiras, comendo um rango azedo e tomando banho gelado, esses caras não custam nem cem paus por mês.

Os outros 4 mil e 900 ficam nas mãos dos homens de bens que ganham licitações fajutas para servirem ao sistema prisional.

Diretores de presídios, carcereiros, secretários de segurança, governadores, advogados, juízes… tem uma cadeia de gente fora das cadeias ganhando com quem está dentro.

Mas não é verdade que entra drogas, mulheres e até piscinas de plástico em algumas cadeias?

Claro que é.

E só quem tem direito a esses serviços vip é quem tem grana para alimentar a cadeia de bandidos livres e de colarinhos engomados.

Porque são eles que têm as pulseiras dos camarotes.

A cadeia é apenas mais uma instituição usada pelos brancos para oprimir os pretos, para apartá-los do convívio social e para sugar de canudinho a grana dos impostos que outros pretos e pobres pagam.

Porque os bandidos brancos, corruptos e corruptores da Petrobrás, da Odebrecht, do diabo a quatro, estão agora contando dinheiro, jogando golf, baforando charutos e frequentando o Jóquei Clube.

A mulher do Cunha, veja que coisa curiosa, continua por aí batendo perna em shoppings, com ozoião arregalado, livre, leve e solta.

Gastando a grana que os suíços provaram que o marido dela surrupiou do povo brasileiro.

Com mil diabos!

Palavra da salvação.

+ sobre o tema

Veto Já! Contra o golpe em nossos corpos e direitos

Contra o retrocesso, o racismo, a violência e Pelo...

Quase 50 anos depois, clássico da literatura negra chegará ao Brasil

Clássico da literatura negra chegará ao Brasil: chegará às...

estilista baiana, Mônica Anjos, apresenta sua nova coleção em São Paulo

Bazar VIP será promovido, neste sábado dia 9, para...

Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo com Baile de Favela nas Olimpíadas

Um passo. Foi isso que separou Rebeca Andrade de...

para lembrar

1,5 milhão de mulheres negras são vítimas de violência doméstica no Brasil

Elas representam 60% das 2,4 mi de agredidas. Reportagem...

A primeira juíza mulher da NBA e sua história de resistência

“Eu sabia que todo mundo estava esperando que eu...

É Tempo de Anastácia!

Quantas de nós, mulheres negras, ainda somos silenciadas nos...

Maria Júlia Coutinho será a primeira mulher negra a apresentar o Jornal Nacional

Jornalista entra para o rodízio de apresentadores do noticiários...
spot_imgspot_img

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Refletindo sobre a Cidadania em um Estado de Direitos Abusivos

Em um momento em que nos vemos confrontados com atos de violência policial  e  não punição, como nos recentes casos de abuso de poder...
-+=