Seminário discute garantia de direitos das mulheres como requisito para os direitos humanos

Campo Grande (MS) – Na sociedade que evolui em diversos aspectos, a garantia dos direitos humanos ainda é uma batalha a ser vencida. Quando o assunto são os direitos das mulheres, a discussão não pode ser dissociada, ou tratada como assunto particular.

Esta opinião foi discutida durante o I Seminário Estadual “Os Direitos das Mulheres são Direitos Humanos”, promovido pela Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres. O objetivo do evento é possibilitar formação aos participantes, no intuito de criar e fortalecer os conselhos de direitos das mulheres, sobretudo no interior do Estado.

De acordo com Carla Stephanini, coordenadora especial de Políticas Públicas para as Mulheres, ao se promover o debate sobre direitos das mulheres é o primeiro passo para a garantia dos direitos. “Somente tendo seus direitos garantidos se torna possível possibilitar o protagonismo feminino nas áreas social, político, econômico e cultural”, explica Carla.

Entre os assuntos discutidos no seminário estão os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, e o enfrentamento à violência contra a mulher. Um dos principais instrumentos de combate aos casos de violência é a Lei Maria da Penha, um instrumento jurídico particular para atender desde ameaças até agressões físicas, abrangendo a família – em escala ascedente e descendente – e a comunidade onde o fato ocorre.

Ainda segundo Carla, um dos papéis da Coordenadoria é disseminar as informações sobre os direitos das mulheres, valendo-se da premissa que a informação é uma arma na luta pela garantia de direitos. “Não se pode afirmar que as mulheres tem seus direitos humanos garantidos quando ainda se encontra situações que obrigam as mulheres a condições precárias de trabalho, discriminação de genêro, orientação sexual, raça e etnia, e em especial a violência”, afirma a coordenadora.

Para permitir que os direitos humanos sejam certificados para toda a sociedade, e, no caso, o público feminino, a Coordenadoria da Mulher atua dentro da Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, um trabalho conjunto que encoraja as vítimas a denunciarem, que se fortalece com o apoio da sociedade, e que ultrapassa governos, instalando-se como ferramentas necessárias à manutenção da dignidade e o respeito.

O I Seminário Estadual “Os Direitos das Mulheres são Direitos Humanos” contou com a participação de advogados, estudantes, assistentes sociais e demais convidados.

Fonte: Pantanal News

+ sobre o tema

Campanha mundial denuncia trabalho escravo no Brasil

Uma campanha mundial para denunciar a continuidade da escravidão...

Saiba os horários das provas do Concurso Nacional Unificado

Os mais de 2,5 milhões de candidatos inscritos no...

Grupo cubano apresentará tratamento sem efeitos colaterais contra câncer

O grupo empresarial cubano Labiofam anunciou que em...

para lembrar

Paraná tem 1,4 mil vagas, mais cadastro de reserva

  Paraná tem 1,4 mil vagas, mais cadastro...

Povo Tupinambá de Olivença retoma pedaço de seu território

Famílias do povo Tupinambá de Olivença retomaram a área...

Amarildo, Presente!

Onde está Amarildo? Amarildo, Presente! Por: Anne Vigna, Pública...

A Negação do Brasil – O negro nas telenovelas brasileiras

O documentário é uma viagem na história da telenovela...
spot_imgspot_img

Evento do G20 debate intolerância às religiões de matriz africana

Apesar de o livre exercício de cultos religiosos e a liberdade de crença estarem garantidos pela Constituição brasileira, há um aumento relevante de ameaças...

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...
-+=