terça-feira, agosto 3, 2021

Tag: Graça Machel

Ativista moçambicana Graça Machel durante participação no Fronteiras do Pensamento, em 2019 - Greg Salibian - Divulgação

‘Nenhum país trata mulheres como seres completos’, afirma Graça Machel

A discriminação que sofrem mulheres e negros e a forma como nasce a desigualdade social dentro de cada um são temas abordados por Graça Machel em depoimento ao Fronteiras do Pensamento. ​ “Não há país nenhum no mundo que eu possa dizer que trata as mulheres como seres humanos completos, inteiros. Mesmo no caso de a mulher ter formação superior, expertise, ela ganha um menor salário. Todos os outros critérios estão absolutamente preenchidos, mas ela é mulher e só por isso ela tem que receber menos. Não há país no mundo que possa gabar-se de que já atravessou essas fronteiras”, afirma a ativista. O preconceito racial também é sentido e comentado pela moçambicana. Veja o vídeo. “O fato de eu ter a pele mais escura já faz com que eu seja considerada inferior. Mas, se eu rasgar uma veia minha, o sangue que sai daqui é tão vermelho quanto de ...

Leia mais

Graça Machel fez palestra em Salvador no Fronteiras Braskem do Pensamento

Em Salvador para palestrar no Fronteiras Braskem do Pensamento, que aconteceu nesta terça-feira, 5, no Teatro Castro Alves (TCA), a ex-primeira-dama de Moçambique e da África do Sul e ex-ministra da Educação e Cultura do primeiro país Graça Machel disse que “teria delicadamente declinado” caso fosse convidada a se encontrar com o presidente Michel Temer durante a sua passagem de três dias pelo Brasil. no A Tarde Viúva do líder sul-africano Nelson Mandela (1918-2013) e ativista dos direitos das mulheres, Machel visitou a ex-presidente Dilma Rousseff na última vez que esteve no país. Desta vez, entretanto, “não foi programado encontrar com o governo”, diz ela. “Mas, se tivesse sido, eu teria pedido para os organizadores evitarem. A minha relação com o governo atual não é muito feliz”, afirmou a intelectual africana na coletiva de imprensa que concedeu horas antes do evento, no Sheraton Hotel. “Não sei fazer de contas. Por ...

Leia mais
Ativista Graça Machel (Foto: Zahur Ramji / World Economic Forum,)

Graça Machel fica em ranking de 100 pessoas com melhor reputação do mundo

A ativista pelos direitos humanos moçambicana Graça Machel conquistou mais um reconhecimento público por seu trabalho de capacitação a mulheres e crianças em seu país. Seu nome é o 36º colocado na lista das 100 pessoas mais respeitáveis do mundo, da empresa de consultoria sul-africana Reputation Poll. Ela ganhou destaque por sua colocação apenas uma semana após ter recebido o prêmio Diamonds Do Good, da Diamond Empowerment Fund. O ranking conta com nomes que vão de Papa Francisco e Dalai Lama, passando por personalidades políticas como Barack e Michelle Obama, até figuras da cultura pop como Beyonce e Jay-Z.   A lista busca destacar pessoas de grande reputação nos setores de política, entretenimento, esporte, liderança e educação, para reconhecer e estimular o trabalho feito por estas pessoas em seus respectivos setores. Esta é a primeira lista publicada pela Reputation Poll, e envolve pessoas de 37 países, sendo 72 homens, 25 ...

Leia mais
Ativista Graça Machel (Foto: Zahur Ramji / World Economic Forum,)

Graça Machel e o protagonismo feminino em Moçambique

A luta pelo empoderamento feminino em Moçambique é um grande mérito da ativista Graça Machel. No entanto, o histórico de protagonismo das mulheres na construção do país tem início antes mesmo do processo de independência. Graça Machel é conferencista no especial do Fronteiras do Pensamento em Salvador. Aproveite o valor promocional e garanta sua participação nas três conferências! Diretora de uma série de organizações sociais, Graça Machel foi a primeira Ministra da Educação de Moçambique, por duas vezes primeira-dama de países africanos e última esposa de Nelson Mandela, com quem idealizou alguns dos projetos sociais nos quais trabalha hoje. Em entrevista ao Correio Braziliense, a ativista moçambicana falou sobre a história do país, o papel das mulheres no continente africano, seu trabalho social e os conflitos atuais de Moçambique. Seu trabalho é voltado para os direitos das mulheres e das crianças. Como a avalia a participação feminina na construção de ...

Leia mais

Desfecho do caso Josina Machel, vítima de violência doméstica, gera contestação em Moçambique

Um caso de violência doméstica voltou a levantar debate em Moçambique. Na semana passada, o empresário Rafael Licuco foi condenado a três anos e quatro meses de prisão, convertidos em pagamento de uma indemnização de 200 milhões de meticais (cerca de 3 milhões de dólares americanos), por ter espancado sua namorada Josina Machel, filha do ex-presidente de Moçambique Samora Machel, que perdeu a visão de um olho como consequência da agressão. Por Dércio Tsandzana Do Global Voices Após se conhecer a sentença, várias foram as pessoas que se indignaram pelo desfecho, questionando o valor da indemnização — cujo pagamento abonará o agressor da pena prisional — e a rapidez com o que o caso foi julgado, a que atribuem à influência da família da vítima. Muitos lembraram que há milhares de outros casos semelhantes em Moçambique que estão esquecidos. Já outros consideraram que o caso serve de exemplo para futuros agressores. Josina Machel, que também é ...

Leia mais
(Foto: Bryan Steffy/ Getty Images)

Graça Machel entre os 100 africanos mais influentes do continente

Pelo quinto ano consecutivo, a  New African, uma revista africana, divulgou no seu número de Dezembro a lista das 100 personalidades africanas mais influentes  em diversos domínios de actividade. Graça Machel é uma das pessoas consideradas, pela publicação, que “cujos actos causaram impacto  e deixaram a sua marca num ano de desafios”. Fonte: VIVA TV A antiga primeira-dama de Moçambique já tinha sido distinguida como uma das 100 personalidades africanas mais influentes pela mesma publicação em 2012.  “Graça Machel, ou Mama África, como ela é carinhosamente conhecida, ainda granjeia enorme respeito internacional. A ativista  ainda está muito envolvida em muitas frentes, na sociedade civil com sua própria associação ajudando as mulheres e os desfavorecidos. Ela também é um membro-chave da comunidade empresarial, especialmente em seu país natal, Moçambique. Ela faz parte do conselho de várias organizações internacionais que se dedicam ao desenvolvimento e à governança em África”, escrevia a New African em ...

Leia mais

Viúva de Samora Machel diz que cabe a Moçambique e África do Sul apurar a verdade

A viúva de Samuel Machel, primeiro Presidente moçambicano, Graça Machel, disse esta segunda-feira ser responsabilidade dos governos de Moçambique e da África do Sul descobrir as causas do desastre aéreo que vitimou o estadista há trinta anos. Do Sic Noticias "É responsabilidade dos dois governos, de Moçambique em primeira mão, porque ele era Presidente de Moçambique, e da África do Sul, porque o avião caiu neste país, demonstrarem que de facto estão a trabalhar incansavelmente para trazer a verdade ao de cima", afirmou Graça Machel, em declarações aos jornalistas, à margem de uma cerimónia alusiva aos trinta anos da morte de Samora Machel em Mbuzini, África do Sul, local da tragédia. Graça Machel lembrou que todas as investigações ao desastre, ocorrido a 19 de outubro de 1986, foram inconclusivas e que a família continua à espera. Na cerimónia, que juntou centenas de convidados no memorial erguido em memória de Machel em ...

Leia mais
Getty Images

Bolsa de estudos Graça Machel para mestrado e doutorado. Só para mulheres.

Há mulheres, não há Mulheres que sinceramente até dão inveja pah. A semana passada em conversa com uma amiga disse que, para se ter inveja de alguém, esta pessoa tinha que ter ou ser alguma coisa muito grande, e era de coisas muito grandes como a iniciativa desta Grande Mulher Sra. Graça Machel, que estava a falar. Sim, um grande motivo para se ter inveja e uma grande causa para se imitar. Uma forma justa, não, uma forma gratificante e útil de usar o dinheiro que se tem a mais. Do Jovem Mulher  O site VOA Portugues noticiou no dia 17 de Junho, que a Sra Graça Machel está a oferecer bolsa de estudo de meio tempo ou tempo completo, para mestrado e doutorado a mulheres dos países da SADC (incluindo Angola). Requisitos: Ser do sexo feminino, nacional ou residente em um país da SADC. Ter o diploma de licenciatura ...

Leia mais

Quanto vale a África e vale a mãe de Michael?

Passados mais de 500 anos o governo brasileiro reconhece ser este um país de maioria negra- africana e o “Dia Nacional da Consciência Negra”, como um dia de importância cívica nacional. Poderíamos dizer que por fim, vamos nos tornando negros e negras  no esforço de sermos brasileiras de direitos. Dra. Ângela Maria Da Silva Gomes via Guest Post para o Portal Geledés Lembremos que o dia 20 de novembro foi transformado em “Dia Nacional da Consciência Negra, pelo Movimento negro Unificado, MNU, há 37 anos“. Entendemos que O MNU deve “agarrar a lança da matriz africana e lançá-la contra o racismo e o sexismo”. Bradar que esta É A NOSSA DATA DE LUTA e CONQUISTA! Primeiro porque compreendemos que é o momento de mostrarmos que a memória do sonho de liberdade unificada de Zumbi e Dandara está vivo entre nós [email protected] Enquanto negras e negros militantes carregamos o legado africano que construiu este ...

Leia mais

Graça Machel e outras figuras públicas mundias exigem que líderes africanos impeçam “embargo total” aos países afectados pelo Ébola

Figuras de destaque assinaram uma petição na Internet exigindo aos líderes africanos e à comunidade internacional que impeçam um «embargo total» aos países afectados pelo vírus Ébola, sublinhando que é impossível «pôr nações inteiras de quarentena». Reconhecendo que as preocupações por trás das restrições que, por exemplo, impedem as viagens para os países mais afectados pela epidemia, são «legítimas» e destinadas a proteger as populações, os signatários recordam aos líderes africanos que têm uma «dever de solidariedade» para com os vizinhos do continente e à comunidade internacional que tem «obrigações humanitárias em situações de emergência». Os signatários do “apelo à ação urgente” publicado na página Go Petition (http://www.gopetition.com/petitions/ebola-stop-quarantine-of-entire-countries.html) – entre os quais a política e activista moçambicana Graça Machel, ex-chefes de Estado como Olusegun Obasanjo (Nigéria) e Benjamin Mkapa (Tanzânia), vários representantes das Nações Unidas e o músico senegalês Youssou N’Dour – urgem a ambos que garantam «que o fluxo ...

Leia mais
Vozes d´África - Jaime Sodré

Vozes d´África – Jaime Sodré

Jaime Sodré A África clama por um novo olhar. Mulheres Africanas – A Rede Invisível é um filme de Carlos Nascimbeni que aborda cinco mulheres marcantes na história deste continente: Luiza Diogo ressalta a presença feminina na definição da agenda nacional; Graça Machel, ex-ministra da Educação de Moçambique, destaca que a presença feminina já atingiu uma massa crítica, faltando visibilidade; Sara Masasi conta como saiu da invisibilidade na Tanzânia muçulmana como empresária de sucesso; Leymam Gbowee, Prêmio Nobel, atuante pela paz na guerra civil da Libéria; Nadine Gordimer, escritora, vencedora do Nobel, argumenta da impossibilidade de falar de uma cultura africana única. Luiza Diogo, primeira-ministra entre 2004 e 2010, diz que a mulher luta principalmente pela segurança alimentar; o trabalho da mulher africana na zona rural é extremamente duro, “imagine uma mulher de vários braços”, comenta. Para Luiza, a mulher está a construir uma agenda do desenvolvimento do país, por ...

Leia mais
(Foto: Bryan Steffy/ Getty Images)

Graça Machel anuncia fim do luto por Mandela

A organização não-governamental Graça Machel Trust, com sede na África do Sul, anunciou que a sua fundadora terminou o luto pela morte de Nelson Mandela e vai voltar ao ativismo social em defesa das crianças e das mulheres. Em comunicado enviado no fim de semana à Lusa, a Graça Machel Trust, que a moçambicana fundou na África do Sul, anuncia que a viúva do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela terminou o período de luto e vai voltar a abraçar as causas sociais por que se vem batendo há vários anos. Apesar de ter aparecido em alguns eventos em Moçambique, após a morte do seu marido, Nelson Mandela, em 05 de dezembro, Graça Machel vinha oficialmente observando um "retiro" da vida pública desde o desaparecimento do líder da resistência antiapartheid e primeiro Presidente negro da história da África do Sul. "Depois de seis meses de retiro, em luto pela morte do Presidente ...

Leia mais
(Foto: Bryan Steffy/ Getty Images)

Graça Machel

Biografia Graca Machel - Graça Simbene Machel (Incadine, Província de Gaza, 17 de Outubro de 1945) é uma política e ativista dos direitos humanos de Moçambique. Foi a primeira-dama de Moçambique, desde 1976, quando casou com o presidente Samora Machel. Em 1998, casou com Nelson Mandela, o primeiro presidente negro da África do Sul. Graça Machel formou-se como Bacharel em Filologia da Língua Alemã pela Universidade de Lisboa. Voltou a Moçambique como professora e lutou clandestinamente com a FRELIMO durante a Luta Armada de Libertação Nacional. Foi Ministra da Educação e da Cultura no primeiro governo moçambicano durante cerca de 14 anos. Após a morte de Samora Machel, em 1986, continuou a sua atividade política no partido FRELIMO e criou uma organização sem fins lucrativos a Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade. Em 1990 foi nomeada pelo Secretário Geral da Organização das Nações Unidas para o Estudo do Impacto dos Conflitos Armados na Infância. ...

Leia mais
(Foto: @Imago/ Keystone)

Samora Machel

Samora Moisés Machel (Madragoa, Gaza, 29 de Setembro de 1933 - Montes Libombos, 19 de Outubro de 1986) foi um militar moçambicano, líder revolucionário de inspiração socialista que se tornou o primeiro presidente de Moçambique após a sua independência, de 1975 a 1986. Carinhosamente conhecido como Pai da Nação, morreu quando o avião em que regressava ao Maputo se despenhou em território sul-africano. Em 1975-1976 foi-lhe atribuído o Prémio Lénine da Paz.   Juventude Filho de um agricultor relativamente abastado, Mandande Moisés Machel, da aldeia de Madragoa (atualmente Chilembene), Samora entrou na escola primária com nove anos, quando o governo colonial português entregou a educação indígena à Igreja Católica. Quando terminou a escola primária, o jovem de cerca de 18 anos quis continuar a estudar, mas os padres só lhe permitiam estudar teologia e Samora decidiu ir tentar a vida em Lourenço Marques, actual Maputo. Teve a sorte de encontrar ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

No Content Available

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist