quarta-feira, setembro 16, 2020

    Tag: Projeto Rappers

    blank

    #Geledes30anos: Projeto Rappers: reflexão sobre o movimento hip hop – vídeo completo

    Resgate das ações desenvolvidas pelo Projeto Rappers, da participação do movimento hip hop no cenário musical nos últimos 30 anos, bem como sua atuação para os avanços nas discussões sobre a juventude negra brasileira. Palestrantes: Clodoaldo Arruda Filósofo; rapper; ex-articulista da revista Pode Crê e ex-membro do Projeto Rapper. Flávio Carrança Jornalista; ex- editor da revista Pode Crê; Coordenador da Comissão de Jornalistas Negros pela Igualdade Racial-COJIRA/SP Marco Antonio Silva Músico, rapper, Grupo DMN; ex-articulista da revista Pode Crê! e ex-integrante do Projeto Rapper. Sharylaine Rapper; compositora; arte-educadora e produtora cultural; ativista cultural. Debatedores:  Jaqueline Santos Doutoranda em Antropologia; pesquisadora dos temas juventude, educação, políticas sociais, relações étnico-raciais, gênero, pós-colonialismo, cultura hip-hop e PALOP (países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) Marcelo Cavanha  Educador social; militante da Rede Quilombaço e Fórum de Hip Hop de Jabaquara. Mediação:  Solimar Carneiro – Coordenadora Executiva – Geledés Instituto da Mulher Negra

    Leia mais
    blank

    Grupo Racionais MC’s anuncia lançamento de disco após 12 anos

    O grupo de rap Racionais MC's anunciou nesta quarta-feira (22), em sua página oficial no Facebook, o lançamento do novo disco para dezembro. Ainda sem título, o álbum é o primeiro trabalho de estúdio desde "Nada como um dia após o outro dia", de 2002. "Para fechar o ano, que foi recheado de muito trabalho, o grupo promove o lançamento do novo e tão esperado CD", diz a nota. A primeira apresentação do novo álbum será no Espaço das Américas, na Barra Funda, em São Paulo, no dia 20 de dezembro. Os ingressos estão à venda no site Ticket 360 e custam R$ 120 (R$ 60, a meia-entrada). Neste ano, o grupo formado por Mano Brown, Edi Rock, KL Jay e Ice Blue completa 25 anos de carreira. Os Racionais MC's estão fazendo uma turnê que já passou por diversas partes do país.   Fonte: CBN

    Leia mais
    Chuck D participa da Campanha do "Rap contra o Racismo na Argentina"

    Chuck D participa da Campanha do “Rap contra o Racismo na Argentina”

    Esta é uma Campanha encabeçada pela ONG argentina chamada DIAFAR (Diáspora africana da argentina) você vai me perguntar.. mas existe negro na argentina..? Sim existe, tanto os negros nascidos nas argentina e os imigrantes também. No Brasil os Afro-Descendentes representam cerca de 52% da população e sofremos altamente com racismo agora imagina um pais onde só 10% é preto. E o mais legal é ver o CHUCK D participando desta campanha. (ANTES QUE DIGAM ALGUNS RAPPERS NA MUSICA NÃO SÃO NASCIDOS NA ARGENTINA O UNICO QUE EU TENHO CERTEZA QUE É ARGENTINO É O FIDE NADAL) CONHEÇA MELHOR O TRABALHO DESTA ONG. www.diafar.or  FACEBOOK Diáspora Africana de la Argentina ACÁ ESTAMOS (LETRA) --- Estribillo --- No vamos a claudicar porque el racismo no lo vamos a aguantar Venimos con DIAFAR no vamos a abandonar porque acá estamos, acá estamos no nos vamos a marchar. (Bis) --- Fidel Nadal --- Somos guerreros, somos los primeros ...

    Leia mais
    blank

    O quadro FLASH BLACK trás essa semana o especial das revistas “Pode crê “

    O blog Olha Onde a Favela Chegou volta a lançar o especial “FLASH BLACK”,  só que dessa vez iremos publicar uma série especial com capas de revistas, fanzines e jornais importantes que mesmo com muita dificuldade de distribuição, contribuíram (e muito!) com a difusão da Cultura Hip Hop brasileira. Levando na medida do possível informações aos adeptos do Hip Hop a cerca do que rolava em cada época. Viagem nessa epopéia e vem com “nóis”!!! Na primeira postagem traremos pra vocês as capas das primeiras edições da revista PODE CRÊ! (que foi publicada entre 1993 e 1994), lendária revista idealizada pelo Geledés (Instituto da Mulher Negra), a revista PODE CRÊ!  É oficialmente a primeira revista brasileira especializada em Hip Hop de que se tem notícia. Em sua primeira edição (fevereiro/março 1993), a revista PODE CRÊ! Trás em sua capa na menos que Mano Brown dos Racionais, no auge dos seus 23 anos (hoje ...

    Leia mais
    blank

    Racionais Mc’s e o labirinto social da década de 90

    De um lado, o avanço dos produtos im­portados, shoppings e condomínios fe­chados. Do outro, o desemprego, a pre­carização do trabalho, as privatizações e os ataques aos direitos sociais provoca­dos por essa mesma ideologia. Em meio a essa contradição, eis que sur­ge um grupo de rap que começa a narrar a realidade que até então estava invisível Por José Coutinho Júnior, José Francisco Neto, Simone Freire e Eduardo Sales, no BdF Uma contradição entre o discurso e a realidade. É dessa forma que o pesquisa­dor Tiarajú Pablo D’Andrea, autor da te­se de doutorado A formação dos sujei­tos periféricos: cultura e política na pe­riferia de São Paulo, resume o que foi a década de 1990 com a chegada do neoli­beralismo e os efeitos que esse provocou nos bairros populares. De um lado, o avanço dos produtos im­portados, shoppings e condomínios fe­chados. Do outro, o desemprego, a pre­carização do trabalho, as privatizações e os ataques ...

    Leia mais
    blank

    KL Jay festeja 25 anos de Racionais e fala sobre racismo, mídia e ostentação

    Por Paulo Motoryn KL Jay é o DJ do grupo Racionais MC’s, uma das maiores referências do rap nacional. No vigésimo quinto ano de carreira ao lado de Mano Brown, Ice Blue e Edi Rock, Kléber Geraldo Lelis Simões já não é exatamente o mesmo jovem que começou a carreira em 1987 tocando em bailes nas madrugadas da zona norte de São Paulo. Hoje, aos 44 anos, é conhecido do centro às periferias. Mas nem por isso é possível dizer que sua revolução acabou. Longe disso. Não é a quarta década de vida que fez KL Jay perder seu brilho. No comando do som do Sintonia Dj Club, casa nos Jardins em que apresenta um eclético repertório às quintas-feiras e onde recebeu a Revista Vaidapé, ele mostra a mesma disposição com que faz um discurso forte e politizado. A idade o faz refletir. Perguntado sobre os filhos, ele respondeu: “Meu filho mais ...

    Leia mais
    RacismoCrime1

    Programa de Direitos Humanos de Geledés – Memória Institucional

    Programa de Direitos Humanos objetiva proteger, assegurar e expandir os direitos básicos de cidadania da população negra e tem conseguido resultados históricos, tanto na assistência jurídica quanto na capacitação de pessoas na luta contra o racismo. O Geledés estruturou este Programa em cinco módulos que se articulam: SOS Racismo; Atendimento Psicossocial à Mulheres Vítimas de Violência; Projeto Rappers; Centro de Estudos Jurídicos e Múcleo de Educação e Formação Política.

    Leia mais
    samba-rock

    Samba-Rock

    Clodoaldo Arruda - escrito para o Portal Geledés O samba-rock é uma típica manifestação popular: espontâneo, criativo e, ao mesmo tempo, embora seja um fenômeno de massa, completamente alternativo. Na nossa indústria cultural, toda e qualquer manifestação nascida na periferia e de difícil rotulação acaba crescendo e se criando sozinha. No caso do samba-rock, o grande diferencial é que, ao contrário do que se pensa, esse swing contagiante não é um gênero musical, e sim, um estilo de dança! No final dos anos 60, na cidade de São Paulo, a população dos bairros periféricos da capital e do interior de São Paulo realizava muitas festas familiares que, originalmente, eram batizados, aniversários, noivados ou casamentos, mas sempre se transformavam em bailes. Não demorou muito para que esses bailes invadissem os salões e danceterias, e, assim, nasciam os bailes nostalgia. Em um baile nostalgia, evento em que a dança samba-rock é predominante, ...

    Leia mais
    Clodoaldo Arruda

    Música Afro-Urbana Brasileira

    por Clodoaldo  Arruda A música brasileira é, sem dúvida alguma, uma das melhores do mundo. Sua qualidade é atestada por todos os músicos e críticos do planeta, não só por suas várias vertentes, gêneros e sub-gêneros ou por suas várias influências étnicas e culturais, mas por sua grande capacidade antropofágica. Por sua facilidade de importar estilos, estéticas, ritmos e técnicas, adaptá-los, transformá-los e devolvê-los completamente modificados, mutados em algo novo, que, depois, será mais um elemento que nós vamos chamar de MPB (música popular brasileira).Na música negra e urbana do Brasil, essa transformação ocorre de forma ainda mais rápida e soa ainda mais natural. Num país de maioria afrodescendente e de dimensões continentais como o Brasil, temos espaço e elemento humano para aprendermos várias músicas negras e criarmos várias MPBs.Podemos citar vários exemplos de movimentos musicais: a Tropicália, com suas fusões de rock'n'roll, bossa nova e músicas regionais nordestinas, seguida pelos ...

    Leia mais
    Solimar Carneiro atuou durante 16 anos como Secretária Executiva de empresas e órgão municipal em São Paulo Membro fundadora de Geledés – Instituto da Mulher Negra

    Solimar Carneiro – Coordenação Executiva – Administração

    Solimar Carneiro - Coordenação Executiva [email protected] Atuou durante 16 anos como Secretária Executiva de empresas e órgão municipal em São Paulo. - Membro fundadora de Geledés – Instituto da Mulher Negra - Coordenadora do Projeto Rappers no período de 1992 a 2000. - Coordenadora do Projeto PLPS – 1ª Turma - Coordenadora do Projeto Geração XXI no período de 1999 a 2000 - Coordenadora do Projeto Brio – Igualdade de Oportunidades - Presidenta de Geledés nas gestões de: 2003/ 2006 e 2006/ 2009 - Representante de Geledés no CASC – Conselho Assessor da Sociedade Civil do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID

    Leia mais
    Projeto Rappers

    Projeto Rappers – Memória Institucional de Geledés

    Desenvolvemos de 1992 a 1998 um projeto específico para a juventude negra chamado Projeto Rappers. Não foi um projeto que decorreu de uma definição institucional; ele foi provocado por demanda de jovens negros pertencentes a bandas de rap da cidade de São Paulo. Esses jovens chegaram ao Geledés trazendo-nos questões muito complexas que nos questionaram institucionalmente nos impulsionando a assumir responsabilidades e protagonismo em relação às diferentes facetas da violência que se abate sobre os jovens negros na cidade de São Paulo. O que ocorria naquele momento? Bandas de rap formadas por esses jovens que se exibiam nas periferias de São Paulo para um público semelhantes a eles, com músicas com denúncias contundentes sobre as condições de marginalização social, racismo, preconceitos e violência a que estão expostos os jovens negros eram sistematicamente vítimas da violência policial que, via de regra, os tiravam dos palcos em que se apresentavam com agressão ...

    Leia mais
    blank

    Revista Pode Crê! Memória institucional

    Esta revista foi pensada inicialmente para ser apenas uma cartilha, pois não tínhamos a dimensão exata da necessidade que os jovens tinham  de se ver contemplados num veículo de comunicação de massa. A edição do primeiro número da revista nos mostrou o impacto que ela produziu na auto-estima dos jovens negros de todo o país; o orgulho que eles expressavam  por disporem de um veículo de comunicação que os retrata, que discute os problemas que os afligem e, fundamentalmente, é feita por eles e para eles.

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank
    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist