terça-feira, julho 7, 2020

    Tag: Toni Morrison

    Ilustração: Stephanie Pollo

    Para compreender os oportunismos do fascismo

    O fascismo não se realiza sem a dominação dos corpos das mulheres No último dia 15 de maio, um grupo de moradores desceu as ruas do Complexo do Alemão carregando cinco cadáveres enrolados em lençóis e papelão.Era o “saldo” de uma operação policial que havia começado com tiros e granadas às 6 horas da manhã e que deixou para trás os corpos e o desespero das famílias . Três dias depois, em outro município do Estado do Rio, João Pedro, de 14 anos, foi atingido com um tiro nas costas. Ele estava em casa e foi morto por um policial, também durante uma operação. Em Recife, Mirtes Renata teve que ir trabalhar e levar o filho, que estava sem aulas desde o início da Pandemia. Ao descer com os cachorros da casa, a patroa não teve paciência com o menino de 5 anos. Deixou Miguel sozinho no elevador e ele ...

    Leia mais
    Toni Morrison: escritora produziu romances com temas tabus para a época (Timothy Greenfield-Sanders/Bloomberg)

    Sai em português ensaios de Toni Morrison sobre racismo e literatura

    A Nobel de Literatura escreve sobre Harriet Beecher Stowe, Ernest Hemingway e William Faulkner Por Euler de França Belém, do Jornal Opção Toni Morrison, escritora e crítica americana (Foto: Timothy Greenfield-Sanders/Bloomberg) Recém-falecida, Toni Morrison é uma prosadora extraordinária. Os romances “A Canção de Solomon” e “Amada” são obras-primas. O primeiro encantou o crítico Harold Bloom, que escreveu um belo ensaio a seu respeito — ainda que não tivesse nenhum entusiasmo pela militância da Nobel americana. Mas há “outra” Toni Morrison, a ensaísta, quase tão boa quanto a romancista. Divulgação “A Origem dos Outros — Seis Ensaios Sobre Racismo e Literatura” (Companhia das Letras, 152 páginas, tradução de Fernanda Abreu). A editora resume: “Toni Morrison, ganhadora do prêmio Nobel de literatura, reflete sobre questões raciais, políticas públicas de imigração e outros temas contemporâneos em ensaios pungentes e profundos. “Baseado nos discursos que Toni ...

    Leia mais
    blank

    Toni Morrison. A literatura negra americana ficou órfã de mãe

    A primeira mulher negra a conquistar o Nobel da literatura morreu na noite de segunda-feira. Toni Morrison, autora de Beloved, tinha 88 anos. Por José Cabrita Saraiva, Do JornalI Barack Obama apresenta a Medalha Presidencial da Liberdade para autor de Toni Morrison durante uma cerimônia em 29 de maio de 2012 na Sala Leste da Casa Branca, em Washington. O prêmio é a mais alta honraria civil do país. (AFP PHOTO / Mandel NGAN) Quando recebeu o prémio Nobel da literatura de 1993, Toni Morrison terminou o seu discurso perante a Academia Sueca com estas palavras: “Nós morremos. Talvez seja esse o significado da vida. Mas fazemos linguagem. Essa pode ser a medida das nossas vidas”. A autora multipremiada, que denunciou e combateu o racismo através da sua obra e das suas intervenções públicas, morreu na noite desta segunda-feira, dia 5 de agosto, num hospital de ...

    Leia mais
    A escritora Toni Morrison foi a primeira mulher negra a ganhar o Nobel de Literatura, Damon Winter:The New York Times

    Racismo descrito por Toni Morrison é tão brutal quanto a guerra

    Seus livros dependem de um leitor atento e disposto a captar as sutilezas e as armadilhas por Camila Von Holdefer no Folha de São Paulo A escritora Toni Morrison foi a primeira mulher negra a ganhar o Nobel de Literatura, Damon Winter:The New York Times Sei que há tantos tipos de livros quanto há de leitores e de leituras. No entanto, me pergunto quem fica incólume a um romance de Toni Morrison. Morrison morreu nesta segunda depois de uma breve internação. Tinha 88 anos. O excelente “O Olho Mais Azul”, publicado em 1970, marca o início de uma carreira que legou à literatura americana alguns de seus livros mais importantes. Suas personagens inesquecíveis são mulheres negras que abrem caminho da melhor forma que podem. As mulheres de Morrison têm personalidades e trajetórias distintas, mas suas vidas estão imersas na mesma e lamentável história —a própria escravidão ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro é autora do best-seller 'Quem tem medo do feminismo negro' Foto- Marcos Alves : Agência O Globo

    Sentimentos para Nina Simone

    Cantora foi uma mulher injustiçada e sofreu consequências por se posicionar por Djamila Ribeiro no Folha de São Paulo Djamila Ribeiro é autora do best-seller 'Quem tem medo do feminismo negro' Foto- Marcos Alves : Agência O Globo “Olhe para você. Você é livre. Nada nem ninguém é obrigado a te salvar, só você mesma. Plante a sua própria terra. Você é moça e mulher, e as duas coisas têm sérias limitações, mas você é uma pessoa também. Não deixe a Lenore ou um namoradinho qualquer e com toda certeza nenhum médico do mal resolver quem você é. Isso é escravidão. Em algum lugar aí dentro de você está essa pessoa livre de que eu estou falando. Encontre-a e deixe que ela faça algum bem nesse mundo.” Esse é um trecho do livro “Voltar para Casa”, (Companhia das Letras, 136 págs., R$ 44,90) de Toni Morrison, ...

    Leia mais
    blank

    Documentário aborda Toni Morrison, primeira autora negra a ganhar o Nobel

    'The Pieces I Am' reconta a vida da autora de 'Amada' com entrevistas com Oprah Winfrey, Angela Davis e Sonia Sanchez Bilal Qureshi, The Washington Post A escritora vencedora do Nobel Toni Morrison (Foto: DEBORAH FEINGOLD GETTY IMAGES) Um documentário sobre a primeira escritora negra a receber o prêmio Nobel de Literatura, Toni Morrison estreou em Washington um dia depois de o Congresso realizar uma audiência sobre a questão das reparações históricas para os negros. Enquanto ouvia o depoimento do escritor Ta-Nehisi Coates perante o Congresso sobre o impacto permanente da escravidão, comecei a entender porque o cineasta Timothy Greenfield-Sanders disse ao público, na estreia do documentário The Pieces I Am, que “é o momento certo para Toni”. Ser perseguido pelos fantasmas do passado, viver com e entre eles é um mundo que foi tornado possível pela mente e a linguagem de Toni Morrison. The Pieces I Am começa com ...

    Leia mais
    blank

    Amada é uma obra necessária para pensar o racismo de ontem e hoje

    Vida escrava; vida libertada – cada dia era um teste e uma prova. Com nada se podia contar num mundo onde mesmo uma solução para você era um problema.” (PP. 363-364) Por  Gabriely Araújo  Do Ladom Esse é um trecho da obra Amada, um dos mais importantes livros da escritora americana Toni Morrison. A obra recria o tempo da abolição da escravidão e o fim da Guerra Civil nos Estados Unidos (1861-1865), que até hoje deixam cicatrizes na sociedade estadunidense. Amada também fala de como nasceram as relações de opressão e racismo e faz refletir, através da ficção, o momento conservador que vivenciamos. Ao abrir as páginas de Amada, damos logo de cara com uma introdução da autora, na qual ela justifica a obra. Morrison recria, ou melhor, se baseia em um fato. Margaret Gardner, uma jovem negra que acabara de escapar da escravidão, foi presa por matar um de seus filhos para que eles não ...

    Leia mais
    blank

    Outro amargo regresso

    Toni Morrison, a primeira mulher negra a vencer o Nobel de Literatura (em 1993), tem seu mais recente romance lançado no Brasil este mês Por Ana Weiss Do Istoé Toni Morrison, a primeira mulher negra a vencer o Nobel de Literatura (em 1993), tem seu mais recente romance lançado no Brasil este mês. “Voltar para Casa” se passa nos Estados Unidos dos anos 1950. É a história de dois irmãos, separados pela Guerra da Coreia e reunidos pelo fim do conflito, ponto de onde parte a narrativa. A volta do veterano, Frank Money, para a sua Geórgia natal e o aguardado encontro com a caçula da família, Ycidra, dá início a uma nova batalha. A luta passa a ser contra a segregação racial e o machismo que viveram um doloroso ponto culminante naquele período da história americana.

    Leia mais
    blank

    Toni Morrison: ‘I want to see a white man convicted for raping a black woman’

    The Nobel prize-winning author tells Daily Telegraph that America’s race issues will never end until disparities in criminal justice system are resolved by The Guardian The Nobel prize-winning author Toni Morrison has delivered a frank assessment of race relations in America, declaring that until racial disparities in the criminal justice system are resolved, the conversation about racism will never be over. Morrison, who won the Pulitzer prize in 1988 for her novel Beloved, which told a story of racism and slavery in 19th-century Kentucky and Ohio, drew on a recent spate of high-profile killings of unarmed African Americans by law enforcement officials to illustrate the ongoing struggle. “People keep saying, ‘We need to have a conversation about race’,” Morrison told the Daily Telegraph. “This is the conversation. I want to see a cop shoot a white unarmed teenager in the back.” She added: “And I want to see a white man convicted for raping a ...

    Leia mais
    (Foto: Katy Grannan)

    Toni Morrison fala sobre o dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha

    Na ousadia de sair do senso comum pode estar a explicação para uma das conquistas que mais se sobressaem no currículo da escritora, editora e professora estadunidense Toni Morrison: há 20 anos, ela recebeu o cobiçado Prêmio Nobel – no caso, o de Literatura. Uma conquista admirável, se levarmos em conta que menos de 10% de mulheres – negras, como ela, ou não – conquistaram o prêmio sueco, criado em 1901. E é com a acadêmica, atualmente com 83 anos, e que também já faturou o Pulitzer, que o Hoje em Dia conversou com exclusividade para lembrar o Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha, evidenciado na próxima sexta, 25, em vários países. Vale lembrar que as ousadias de Morrison tiveram como pano de fundo um período em que, nos Estados Unidos, falar sobre causa negra por meio da arte ainda era tabu. Passado o tempo, a autora segue a viver ...

    Leia mais
    ToniMorrison

    Toni Morrison, a primeira negra Nobel de Literatura

    Beloved (Amada), Sula e Song of Solomon (Canção de Salomão) estão entre os principais romances da escritora. Com certeza, o maior trunfo de um escritor é ser coroado com um prêmio de importância e respeito como o Nobel de Literatura. Toni Morrison está na lista das personalidades que tiveram a satisfação em recebê-lo. Há exatos 18 anos, marcou a história se tornando a primeira escritora negra a ter sua obra reconhecida pelo maior prêmio da literatura mundial. A literatura sempre foi a paixão da escritora americana de 80 anos. Nascida em uma família de classe operária de Ohio, desde a infância gostava de ler e já tinha seus autores preferidos: Jane Austen e Leo Tolstoy. O gosto era reforçado por seu pai, que narrava para a garota e seus outros três irmãos contos folclóricos da comunidade negra. Quando jovem, já na faculdade, escolheu o curso de inglês e, durante os ...

    Leia mais
    blank

    Toni Morrison

    - Nascida em: 18 de fevereiro de 1931 (78 anos), em Lorain, Ohio, Estados Unidos - - Profissão: Romancista, editora - - Gêneros: African American literature Literatura afro-americana - - Livros notáveis: Beloved, Song of Solomon - - Prêmios notáveis: Nobel Prize in Literature 1993, Pulitzer Prize for Fiction 1988. - Toni Morrison Toni Morrison (nascida Chloe Ardelia Wofford em 18 de fevereiro de 1932, é uma autora, editora e professora americana, vencedora do Prêmio Nobel. Seus romances são conhecidos pelos temas épicos, diálogo vívido e personagens negros, ricamente detalhados. Incluem-se, entre seus romances mais conhecidos, The Bluest Eye (O Olho mais Azul), Song of Solomon (Canção de Salomão) e Beloved (Amada), que ganhou o Prêmio Pulitzer de ficção em 1988. Sua obra tem sido adaptada para os palcos e para o cinema. Juventude e carreira Toni Morrison nasceu em Lorain, Ohio, filha de George e Ramah (Willis) Wofford. Foi a segunda ...

    Leia mais
    presen39

    Novo livro de Toni Morrison no dia 20 de Outubro

    Fonte: Diário Digital - O novo livro de Toni Morrison, «A Dádiva, será lançado no dia 20 de Outubro pela Presença. A norte-americana foi a primeira mulher negra a ser distinguida com o Prémio Nobel da Literatura, mais concretamente em 1993.   «A Dádiva», de Toni Morrison «Da autoria da primeira mulher negra a ser distinguida com o Prémio Nobel da Literatura (1993), «A Dádiva» é um romance extraordinário que se passa na América do Norte de finais do século XVII. Profundas divisões sociais e religiosas, opressões e preconceitos exacerbados propiciam o cenário ideal para a implantação da escravatura e do ódio racial. Jacob Vaark é um comerciante anglo-holandês que apesar de se manter à parte do negócio dos escravos, que então dá os primeiros passos, acaba por aceitar uma menina negra, Florens, como pagamento de uma dívida de um fazendeiro de Maryland. Nesta parábola do nascimento traumático dos Estados ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist