terça-feira, novembro 24, 2020

    Tag: violência policial

    'Eu não estava no ato', escreve a modelo Bárbara Querino, que diz ter sido condenada injustamente por um crime que não cometeu — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal / G1

    ‘Eu não estava no ato’: Prisão de modelo negra por roubo de carro e joias de grife em SP mobiliza redes sociais

    Bárbara Querino mobiliza rede social, que cita racismo e pede a liberdade dela; vítimas a reconheceram pelo cabelo encaracolado. Condenada alega que fotografava no litoral no dia do crime. 'Eu não estava no ato', escreve a modelo Bárbara Querino, que diz ter sido condenada injustamente por um crime que não cometeu — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal / G1 Eu não estava no ato”, escreve a modelo Bárbara Querino, de 20 anos, numa das cartas enviadas a uma amiga para negar a acusação de pertencer à quadrilha armada que, na tarde de 10 de setembro de 2017, roubou um carro e joias de luxo num bairro nobre da Zona Sul de São Paulo Presa desde 16 de janeiro deste ano em Franco da Rocha, na Grande São Paulo, Babiy, como Bárbara se apresenta profissionalmente, gerou comoção nas redes sociais, principalmente entre o movimento negro. Internautas pedem a liberdade ...

    Leia mais

    Precisamos falar sobre Andrei

    Precisamos falar sobre Andrei Apolônio. Você o conhece? Ele tem grandes olhos amendoados, doces e de fundo límpido, em que se vê, sem esforço, o brilho da coragem. O lado direito do rosto está esfolado e sobre ele há uma camada de sangue de ferida recente. Na testa, escoriações, uma ou outra, assim como nos braços e nas pernas. A fala articulada, ainda que vacilante, nos prende a atenção e, às vezes, ficamos em suspenso, esperando uma lágrima, parece que ele vai chorar, mareja, mas não chora. Parece que vamos chorar, quase choramos, alguns choram. Perdeu um dente, o que imprime ainda mais fragilidade à sua aparência de menino de 20 e poucos anos. Dá uma tristeza vê-lo tão desamparado. Seria ele indefeso, carregando dores que não sabemos quais? Seria ele um bravo que expõe seu drama como a exigir que o olhem e sorvam, a cada palavra, todo o ...

    Leia mais

    Policial de folga mata adolescente após discussão em frente a escola

    O corpo de um adolescente de 17 anos que foi baleado e morto depois de discutir com um policial militar de folga em frente a uma escola em Londrina, no Norte do Paraná, é velado nesta sexta-feira (16), na capela mortuária de Cambé, a 12 quilômetros de Londrina. O enterro está marcado para este sábado, em Maringá, no Noroeste do Estado. Por Narley Resende Do Parana Portal O adolescente Gabriel Sartori morreu depois de ser baleado no peito pelo policial. No início da noite dessa quinta-feira (16), feriado de Corpus Christi, o jovem estava na calçada do Colégio Estadual Maria José Aguilera, no Conjunto Cafezal, zona sul de Londrina, quando foi abordado pelo policial de folga. De acordo com relatos de um amigo da vítima a familiares, o policial militar, que é morador de dependências da escola, se aproximou a passou a discutir com Gabriel. O PM sacou a arma e disparou contra o ...

    Leia mais

    Entrevista: Jovem relata a violência policial que a fez perder parte da visão

    “Parece guerra, mas só um lado está armado", diz ferida por bomba da PM de SP em 2016 Por José Eduardo Bernardes, do Brasil de Fato  Vítima da violência policial ao ser atingida no olho esquerdo por uma bomba de efeito moral disparada pela Polícia Militar de São Paulo em agosto de 2016, Déborah Fabri, 20, estudante da Universidade Federal do ABC (UFABC), afirma que as recentes ações policiais contra manifestantes, como as que aconteceram em Brasília, no último dia 24 de maio, “parecem uma guerra, mas só um lado está armado, enquanto o outro está com cartaz e bandeira na mão”. O ato deste ano em Brasília contra o governo Temer deixou uma série de feridos com gravidade. Pelo menos duas pessoas teriam sido atingidas por disparos de armas de fogo, em ataque realizado pela Polícia Militar do Distrito Federal e um rapaz chegou a perder parte da mão durante o ...

    Leia mais

    Hamilton Borges

    Objeto de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), a morte de jovens negros é um dos focos do movimento Reaja ou Será Morto/ Reaja ou Será Morta. Em entrevista ao Bahia Notícias, o líder do grupo, Hamilton Borges, acredita que a luta contra o genocídio negro ainda esteja muito longe de terminar. A Marcha contra o Genocídio é realizada desde 2006 e vem ganhando força inclusive internacionalmente. “A Reaja ninguém conseguiu e nem vai conseguir calar”, afirmou. Mesmo com o fortalecimento do movimento, a violência com os negros não cessou. Para o líder, para que as pessoas consigam ver a verdade e a necessidade de ações é preciso fazer mudanças na estrutura do governo, tido por ele como “um monstro”. Como nasceu o movimento Reaja e a Quilombo Xis? A Quilombo Xis é uma espécie de produtora cultural e nasceu em Belo Horizonte, em 2000. Eu e Sérgio Soares, escritor ...

    Leia mais

    Polícia desqualifica estupro ao afirmar que adolescente de 14 anos se prostituía

    A ocorrência envolvendo uma adolescente de 14 anos e um homem teve uma reviravolta surpreendente. Nesta quarta-feira (15), após a Polícia Militar divulgar o flagrante de estupro feito por um militar, o delegado da 20ª DP desqualificou o crime e disse que, na ocasião, a garota estava fazendo programa por R$ 20. Segundo a Polícia Civil, a menina é usuária de drogas. Tanto ela quanto o suspeito, que tem passagem criminal pela Lei Maria da Penha, foram liberados após a decisão. Do Jornal de Brasilia  Relembre o caso Nesta quarta-feira (15), um homem foi preso no momento em que supostamente estuprava uma adolescente de 14 anos ao lado de uma escola na quadra 401 de Santa Maria. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 14h, os policiais desconfiaram de um carro que estava parado em um matagal próximo ao colégio e foram até o local. Lá, encontraram o homem ...

    Leia mais

    PM de folga mata publicitária com tiro na cabeça em São Paulo

    Um soldado da Polícia Militar matou a publicitária Maria Cláudia Pedace (foto), 33 anos, com um tiro na cabeça, neste domingo (12), na Vila Ré, zona leste da cidade. A vítima foi morta na frente do namorado e da filha, de 2 anos. Da Redação com Informações da Folha no Revista Fórum Um soldado da Polícia Militar matou a publicitária Maria Cláudia Pedace (foto), 33 anos, com um tiro na cabeça, neste domingo (12), na Vila Ré, zona leste da cidade. O caso aconteceu, de acordo com testemunha, por conta de uma discussão em um posto de combustíveis . No início da madrugada de domingo, o namorado, que dirigia o carro no qual se encontravam Maria Cláudia e a criança, passou por cima do pé de uma mulher que estava em um posto de combustível, na rua Itinguçu. De acordo com a polícia, após o acidente, essa mulher chamou os ...

    Leia mais

    ‘Índio bom é índio morto’

    Na volta de um passeio a cavalo, cerca de vinte indígenas da etnia Tupinikim, incluindo mulheres e crianças, foram abordados de forma violenta pela Polícia Militar no final da tarde desse sábado (4) na Rodovia ES-010, na altura da Praia dos Padres, em Aracruz, norte do Estado. Por Fernanda Couzemenco Do Século Diário As famílias retornavam de Mar Azul, quando cerca de quatro policiais se aproximaram aos gritos e com arma em punho, mandando que todos descessem e deitassem no chão. A alegação foi a obstrução indevida da via. Douglas Silva, presidente da Associação Indígena Tupiniquim e Guarani (AITG), conta que naquele trecho, sem acostamento, de fato os cavalos ocuparam a pista, mas, como pode ser constatado em vídeo postado nas redes sociais, não há outro local para os cavalos naquele ponto da rodovia. O vídeo (acima) também mostra as tentativas de diálogo dos indígenas, inclusive chamando um dos policiais pelo ...

    Leia mais

    Rappers são agredidos pelas costas por policiais militares na zona sul de SP

    Dois jovens estavam gravando um rap no improviso em uma rua de Heliópolis, na zona sul, na madrugada do dia 23 de janeiro, quando um deles foi agredido por um PM, pelas costas. A gravação, realizada em um celular, acontecia depois que a polícia militar havia estourado um baile funk na comunidade. Agora vamos considerar alguns fatores: dois jovens – um branco e outro negro – estavam fazendo uma rima e com o celular ligado. por Maria Teresa Cruz no Ondda Ao fundo, algumas viaturas. Pelo vídeo dá para perceber que a distância era de quase um quarteirão. Quando o policial se aproxima, ele agride o jovem negro, que cai no chão e o celular, que estava nas mãos do rapaz branco, fica mais alguns segundo gravando e depois para. Muitos podem achar que a cor da pele não ajudou o policial escolher o alvo, mas é um erro. Certamente ...

    Leia mais

    Justiça condena governo Alckmin e proíbe PM de usar bombas e balas de borracha em protestos

    Em decisão tomada dia 19 pelo juiz Valentino Aparecido de Andrade, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), o governo do estado de São Paulo foi condenado pela violência policial durante as manifestações de 2013. no Jornal GGN O juiz determinou o pagamento de R$ 8 milhões em indenizações e também a formulação de um plano de atuação dos policiais em protestos. A ação começou a tramitar em abril de 2014, e a Defensoria Pública apontou inúmeras violações de direitos constitucionais, como o de reunião e de liberdade de expressão. Os R$ 8 milhões são devidos por dano moral coletivo e correspondem a oito manifestações, nas quais a PM foi acusada de usar desproporcionalmente a força. O juiz também afirmou que o plano de atuação deverá conter determinações como a identificação visível na farda dos policiais. Em sua sentença, Andrade escreveu que "o Estado não pode ser ele o agente ...

    Leia mais

    Advogada vai defender mulher que estava sendo espancada e é presa em Curitiba

    A advogada Carla Begnini Pinheiro, presa na manhã do dia 12 de outubro, em Curitiba, em pleno exercício da atividade profissional, causou constrangimento na classe devido à brutalidade e a falta de experiência de policiais militares do Paraná na condução do fato. Ao presenciar uma cena brutal, onde uma mulher e seu filho adolescente estavam brutalmente sem espancadas por um homem, a advogada decidiu intervir para evitar o pior. Do Parana Portal Da janela só seu apartamento, onde assistia a cena, desceu as escadas para tentar ajudar a pobre e indefesa mulher. Ao chegar no térreo, a advogada e outras pessoas que também presenciaram a cena, constataram que o ex-marido havia espancado a mulher e o enteado, e havia fugido com o filho do casal, de apenas um ano de idade. A Polícia Militar foi acionada e, mesmo diante da gravidade da situação, se limitaram a informar que não poderiam ...

    Leia mais

    Ferida em ato contra posse de Michel Temer diz que perdeu a visão do olho esquerdo

    Deborah Fabri, ativista ferida na noite de quarta-feira (31), durante o ato contra o presidente Michel Temer se manifestou nesta quinta-feira (1) nas redes sociais, e contou que perdeu a visão do olho esquerdo. Do Brasil Post Segundo o coletivo Jornalistas Livres, ela foi atingida por um estilhaço de bomba no olho. Os óculos que a estudante usava no momento do ataque foram dilacerados. "Perdi meu olho, meu olho não está aqui", disse ela à equipe do site. Segundo o G1, ela foi socorrida e levada para o Hospital das Clínicas, e de lá encaminhada para o Hospital dos Olhos, no Paraíso. Ainda de acordo com o portal da Globo, ela teve alta nesta manhã. O protesto na capital paulista contra o presidente Michel Temer terminou com repressão, bombas da PM e quebra-quebra. A manifestação teve início por volta das 20h na avenida Paulista, de onde seguiu para a rua ...

    Leia mais
    A Moroccan homeless youth sleeps in a street in the northeastern coastal city of Tangier, on January 28, 2016. Having left their homes due to precarious social circumstances, some of these children attempt to travel to Europe by jumping on the back of a truck or a bus at the port of the city, in hope of finding a better life elsewhere. Drug addiction is very common among street children who commonly sniff glue and other chemicals to help them bear hunger and cold. / AFP / FADEL SENNA (Photo credit should read FADEL SENNA/AFP/Getty Images)

    Com frio recorde, moradores de rua têm colchões e papelões retirados por Guarda Civil de São Paulo

    Mais um morador de rua morreu possivelmente em razão do frio na capital paulista, informou nesta terça-feira (14) a Arquidiocese de São Paulo. Nailson Paulo da Silva, que aparentava 50 anos, morreu às 14h de ontem na rua Amazonas, Bom Retiro, região central. Ele seria a quinta vítima do frio dos últimos dias em São Paulo. Do BrasilPost De acordo com frei Agostino, da Comunidade Voz dos Pobres, Nailson já vinha sofrendo os efeitos do frio e de outras patologias. Muito conhecido pela vizinhança, o frei conta que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado assim que o homem começou a passar mal, mas o socorro só chegou às 18h. Segundo a Arquidiocese, um homem foi achado próximo ao metrô Santana, zona norte, na última quinta-feira (9). O outro corpo encontrado é de uma mulher, que morreu na sexta-feira (10), perto do Terminal Rodoviário do Tietê, também ...

    Leia mais
    policia-militar

    Vídeo flagra PMs guardando explosivos em mochilas de manifestantes

    Um vídeo divulgado pelo site Jornalistas Livre flagrou o momento em que policiais militares colocam explosivos nas mochilas de manifestantes na tarde de sexta-feira (8) no centro de São Paulo. Os rapazes participavam do protesto contra o reajuste da tarifa do transporte público em São Paulo. O valor passou de R$ 3,50 para R$ 3,80 neste sábado (9). no R7 A manifestação organizada pelo MPL (Movimento Passe Livre) terminou em confusão. A Polícia Militar arremessou bombas de efeito moral nos manifestantes. Houve depredações, três policiais feridos e 17 presos. No vídeo, um grupo de jovens aparece sendo abordado por policiais militares da Rocam (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) na praça Roosevelt, centro da capital. Em determinado momento, um policial recolhe material do chão, que aparenta ser explosivos. Logo depois, os PMs interrogam os rapazes, os revistam e guardam os objetos recolhidos nas mochilas dos manifestantes. Os policiais perceberam que estavam ...

    Leia mais

    Nogueira: Policial porta a arma, mas quem puxa o gatilho é o estado

    O relator da comissão parlamentar de inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa do Rio, destinada a investigar os autos de resistência e mortes decorrentes de ações policiais, atribuiu ao estado a culpa pelos recentes casos de assassinato de jovens cometidos pela Polícia Militar fluminense. Segundo o deputado estadual Wanderson Nogueira (PSB): "O policial porta a arma, mas quem puxa o gatilho é o estado. Sem punição aos chefes de Polícia, secretário de Segurança e até mesmo ao governador, isso continuará acontecendo" No Brasil 247 Policial porta a arma, mas quem puxa o gatilho é o estado, diz relator de CPI O relator da comissão parlamentar de inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa do Rio, destinada a investigar os autos de resistência e mortes decorrentes de ações policiais, atribuiu ao estado a culpa pelos recentes casos de assassinato de jovens cometidos pela Polícia Militar fluminense. Segundo o deputado estadual Wanderson Nogueira (PSB), "o ...

    Leia mais

    Alma Preta / “A nossa existência já é um crime” – Dina Alves

    O Alma Preta entrevistou a advogada e pesquisadora Dina Alves. Sua pesquisa explora o sistema carcerário no Brasil pelo viés interseccional. Seu trabalho de mestrado "Rés negras, juízes brancos: uma análise da interseccionalidade de gênero, raça e classe da punição em uma prisão paulistana", expõe algumas das particularidades das cadeias femininas em São Paulo. Do Youtube Na entrevista, Dina aborda o tratamento da justiça e da sociedade de acordo com a cor da pele, dá exemplos da rigidez do sistema judiciário e penitenciário e, ainda, fala da influência da industrialização da punição.

    Leia mais

    Adolescentes viram protagonistas em polêmica sobre escolas fechadas em SP

    As palavras de ordem que ecoavam em frente à escola estadual Fernão Dias Paes, em São Paulo, na quarta-feira, lembrariam as de um protesto qualquer - não fosse o tom agudo das vozes. Por Renata Mendonça e Ricardo Senra, da BBC  "Sou estudante / Não sou ladrão / Não vim para a escola / Para sair de camburão!". São crianças e adolescentes, na maioria entre 12 e 16 anos, os inusitados protagonistas do mais barulhento protesto contra o programa de fechamento de escolas e transferências de alunos do governo estadual.Seguidos pelo olhar atento de mães preocupadas, muitos participam pela primeira vez de um ato político - articulado integralmente, segundo os próprios, pelo Facebook. De acordo com a gestão de Geraldo Alckmin (PSDB-SP), 94 escolas serão fechadas e darão lugar a creches ou colégios de ensino técnico e adulto. Outras 754 passarão a oferecer apenas um ciclo de ensino (Fundamental 1 ...

    Leia mais

    Não pise nos mortos

    1992 foi o último ano em que morei com meus pais. Mandaqui. Zona Norte de São Paulo. Todo santo dia, pegava o ônibus 1759 (Jardim Peri) ou o 1757 (Bancários) no Metrô Santana para voltar pra casa. E no caminho estava a estação de Metrô Carandiru. Aquele prédio medonho. Casa de Detenção. Ou Carandiru mesmo. Transformaram um bairro inteiro em uma penitenciária. Vira e mexe, descia na plataforma pra ficar olhando pras janelas minúsculas, com grades em forma de cruz. Lembro do torcedor fanático do Corinthians, que colocou dois brasões do time lado a lado, entre as grades. Alguns braços saltavam pra fora, dava até pra ver as tatuagens. Em outra janela lembro de uma bandeira da Paraíba, com a palavra NEGO. Sempre soube que foi símbolo de revolta, de rebeldia. Enviado por Carolina Trevisan para o Portal Geledés, no JORNALISTAS LIVRES NEGO. NÉGO ou NÊGO. De qualquer forma, uma palavra que ...

    Leia mais

    Quanto mais reprimir, mais a PM validará a obra de Foucault e o trabalho da Escola Aggêo

    Prof. da UFSCar comenta ameaça da PM à Professores de Escola Pública. A comunidade da E.E. Aggêo Pereira do Amaral, da cidade de Sorocaba-SP, continuam sendo ameaçados pela Polícia Militar por conta de um trabalho desenvolvido junto aos alunos, sobre o tema da violência policial a partir da obra de Foucult. RECEBA NOVAS POSTAGENS: http://on.fb.me/1Sg6eUE ACESSE TEXTO NA ÍNTEGRA: http://goo.gl/lwyZp4 A comunidade da E.E. Aggêo Pereira do Amaral, da cidade de Sorocaba-SP, continuam sendo ameaçados pela Polícia Militar por conta de um trabalho desenvolvido junto aos alunos, sobre o tema da violência policial a partir da obra de Foucult. RECEBA NOVAS POSTAGENS: http://on.fb.me/1Sg6eUE ACESSE TEXTO NA ÍNTEGRA: http://goo.gl/lwyZp4 Prof. da UFSCar comenta ameaça da PM à Professores de Escola Pública. A comunidade da E.E. Aggêo Pereira do Amaral, da cidade de Sorocaba-SP, continuam sendo ameaçados pela Polícia Militar por conta de um trabalho desenvolvido junto aos alunos, sobre o tema da violência policial ...

    Leia mais
    Brasil, São Paulo, SP, 02/04/2013. Policiais militares (Polícia Militar) fazem treinamento no Vale do Anhangabaú, na região central de São Paulo. - Crédito:NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:148982

    O estereótipo que estimula policiais brutamontes

    Ao ingressar em qualquer profissão, o indivíduo é submetido a categorias de preconceito que até então não lhe atingiam. Assim, no Brasil, o médico é visto como alguém bem-sucedido financeiramente. O professor como um profissional não muito valorizado. O político como alguém de quem se deve desconfiar. Todos esses paradigmas são padrões socialmente assimilados após certa quantidade de acontecimentos que conferem sentido a esses entendimentos. De fato, não é difícil encontrar médicos abastados, professores mal pagos e políticos que traíram a confiança de alguém em nosso País. por Danillo Ferreira no Brasil Post Como o leitor deve desconfiar, também há um conjunto de concepções projetadas sobre o sujeito que passa a receber o título de "policial". Das inúmeras categorias em que passamos a ser enquadrados -- como a de pessoa inculta e intelectualmente rasa --, gostaria de destacar aquela que me parece danosa ao objetivo de avançarmos na construção de sujeitos policiais ...

    Leia mais
    Página 2 de 13 1 2 3 13

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist