domingo, setembro 19, 2021
InícioÁfrica e sua diásporaPatrimônio Cultural“The Hiphop Archive” (WEB Du Bois Institute - Harvard University)

“The Hiphop Archive” (WEB Du Bois Institute – Harvard University)

Em meados de 2009, quando comecei a desenhar a estrutura da minha dissertação de mestrado, decidi fazer uma busca de bibliografias internacionais sobre o Hiphop e me deparei com uma página que descrevia o projeto “The Hiphop Archive”, hospedada dentro do WEB Du Bois Institute for African and African American Research – Harvard University. Na mesma webpage onde eu encontrei estas informações (http://www.dubois.fas.harvard.edu/hiphop-archive-harvard-university), tive acesso ao site oficial do arquivo (http://hiphoparchive.org/). Passei o dia explorando os links disponíveis e lendo sobre sua missão, acervo, coleções, informativos e etc. Dentro de poucos minutos eu pensei: “encontrei o meu lugar, e é pra lá que eu vou!”

Este Instituto, no qual se desenvolve o projeto “The Hiphop Archive”, carrega o nome do primeiro negro a receber o título de doutorado em Harvard, William Edward Burghardt Du Bois (1868-1963), considerado o pai do Pan Africanismo e autor de um entre os famosos livros que circulam entre os Hiphoppers e ativistas negros brasileiros, “As Almas da Gente Negra” (1903).

Decidida a fazer parte do grupo de “scholars” desta instituição, escrevi um projeto de pesquisa e submeti ao processo seletivo. Em 2011 recebi a carta de aceite e em janeiro de 2012 iniciei minha residência na Universidade de Harvard como “research scholar”. No primeiro momento, fiquei impressionada com a quantidade de estudos sobre Hiphop e com o número de disciplinas oferecidas nos diferentes departamentos para alunos graduação e pós-graduação que tinham como tema este movimento. Aqui o Hiphop “dá o que falar”, e por meio dele são abordados temas como linguagem, economia, tecnologia, religião, racismo, gênero, mobilização social, juventude, educação, desigualdades, identidade, agência social, e etc.

Meu projeto de pesquisa tem como objetivo sistematizar e registrar o diálogo político-cultural entre jovens Hiphoppers de São Paulo e Nova Iorque durante o final da década 1980 e durante os anos 1990. Nino Brown tem contribuído de forma única com essa pesquisa, disponibilizando seu acervo pessoal.

DSC01164

Figure 2 – Eu, na entrada do Hiphop Archive.

Entre os Institutos mais renomados dentro da Harvard, o WEB Du Bois Institute, atualmente coordenador pelo Professor Dr. Henry Louis Gates Junior, usufrui de um generoso espaço para receber seus pesquisadores, de um corpo administrativo excelente, de recursos e infra-estrutura fundamentais para o desenvolvimento de uma boa investigação acadêmica. É de brilhar os olhos! O melhor de tudo é saber que um espaço como esse, com todo o reconhecimento que lhe é merecido, abriga o prestigioso “The Hiphop Archive”.

Criado em 2002, o arquivo de Hiphop foi idealizado e é coordenado pela Dr. Marcyliena Morgan (http://www.marcylienamorgan.com/), professora do Departamento de Estudos Africanos e Afro-Americanos da Harvard. Marcy Morgan (carinhosamente), em seu livro “The Real Hiphop”, relata que no começo de seus estudos sobre o Hiphop queria que este movimento tivesse o mesmo grau de respeito que qualquer outra área no mundo acadêmico, e que o amor ao conhecimento e ao senso de justiça fundamentais nessa cultura se tornassem parte da cultura acadêmica. Ela também é Hiphop!

DSC01154

Figure 3 – Professora Marcy Morgan – The Hiphop Archive

O “The Hiphop Archive” busca o empoderamento do Hiphop e acredita que este movimento transforma nossos pensamentos e nossas vidas. Tem como missão reunir pesquisadores, estudantes, artistas, e ativistas por meio de bolsas de estudos e desenvolvimento de pesquisas norteadas pelo conhecimento, arte, cultura, materiais, organizações, movimentos e instituições produzidas pelos Hiphoppers. Prestigiando as produções desta cultura, o arquivo elabora e desenvolve coleções, atividades de investigação/pesquisa, organiza e financia eventos e adquire materiais sobre a cultura Hiphop nos EUA e no mundo.

DSC01148

Figure 4 – Festa de fechamento do semestre – The Hiphop Archive

Ao me identificar com os ideais do “The Hiphop Archive” e com o trabalho da Professora Marcyliena Morgan, resolvi trazer um pouco do Hiphop brasileiro para esse espaço, levando em consideração as particularidades de nossa história. Passei parte do ano de 2011 organizando alguns materiais, os quais eu trouxe para o arquivo com o objetivo de construir uma seção sobre Brasil, e agradeço (em ordem alfabética) Dexter, Fábio Rogério, King Nino Brown, Kl Jay, Márcio Macedo, Marcio Santos (Assessoria de Hiphop), Nuno Mendes, Rappin Hood, Sistema Negro, Suelaine Carneiro, Tiely Queen, e Toni C pelos materiais enviados e a caminho que contribuíram para a construção de uma coleção sobre o Hiphop paulista.

DSC01147

Figure 5 – Um pouco da coleção Brasileira no The Hiphop Archive.

A coleção sobre Brasil é composta de livros, dissertações, teses, documentos, revistas, CDs, DVDs, notícias em jornais, pôsteres e mixtape. Quem tiver interesse de enviar materiais sobre o Hiphop Brasileiro basta postar para “The Hiphop Archive – 104 Mt. Auburn Street, 3R floor, Cambridge, MA, ZIP: 02138” e enviar um email para jsantos@fas.harvard.edu ou santos.jaquelinelima@gmail.com . O “The Hiphop Archive” recebe pesquisadores e ativistas de todo o mundo e o acesso aos materiais é gratuito.

DSC01136

Figure 6 – Revista Pode Crê na vitrine do Hiphop Global.

Para finalizar, gostaria de dizer que o “The Hiphop Archive” deu uma contribuição única para a minha vida acadêmica e política. Estou tendo contato com materiais importantes produzidos por acadêmicos e ativistas nos EUA e na Diáspora. O WEB Du Bois Institute nos proporciona o contato com importantes intelectuais, artistas e personalidades que estão produzindo sobre a temática negra, o The Hiphop Archive tem um acervo bibliográfico, discográfico e videográfico fenomenal para quem se propõe a estudar Hiphop, e a Harvard University oferece um conjunto de bibliotecas indescritível.

Voltarei para o Brasil cheia de ideias, fortalecida pelo Hiphop e fortalecendo este movimento.

 

 

Fonte: Blog da Preta

RELATED ARTICLES