‘A Vida Não Me Assusta’, uma pérola literária que une Maya Angelou e Basquiat

Lançado há 25 anos nos EUA, livro de poesia para crianças acaba de ganhar edição no Brasil

Por  Amauri Terto, do HuffpostBrasil 

Os versos acima fazem parte do livro infantil A Vida Não Me Assusta, lançado há 25 anos nos Estados Unidos e que acaba de ganhar uma versão em português pelo selo Caveirinha, da editora DarkSide Books.

Dose de incentivo para que crianças de todas as idades enfrentem seus medos, a obra combina trabalhos de dois ícones negros do mundo das artes: a escritora e ativista Maya Angelou (1928-2014) e o pintor Basquiat (1960-1988).

Livro infantil ganha edição brasileira 25 anos depois do lançamento original nos EUA.(Reprodução/HuffpostBrasil)

A fotógrafa Sara Jane Boyers foi a responsável pela reunião da dupla nesse volume festejado que, no entanto, não chegou a ser visto pelo próprio Basquiat, já que foi publicado cinco anos após a morte precoce do artista, aos 28 anos.

Um dos expoentes das artes plásticas no século 20, Jean-Michel Basquiat ascendeu em um período de aguda crise econômica em Nova York.

Com pinceladas de cores fortes, que misturavam imagens e palavras, as obras do jovem pintor negro também questionavam a ausência de seus semelhantes em um meio artístico majoritariamente branco, bem como homenageavam referências negras que brilharam no mundo do jazz e dos esportes.

Umas das obras de Basquiat presentes no livro ‘A Vida Não Me Assusta’. (Reprodução/HuffpostBrasil)

Neste ano, os brasileiros ficaram mais íntimos da história de vida de Basquiat. Uma retrospectiva com 80 obras – até então inéditas no País – tem circulado pelas unidades do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A exposição já passou por São Paulo e Brasília, e seguirá em breve para Belo Horizonte.

Até o final do ano, ela chegará ao Rio de Janeiro.

Maya Angelou, um dos célebres nomes do ativismo negro nos EUA. (Photo by Kris Connor/Getty Images)

Maya Angelou é um dos principais nomes da história do ativismo negro nos EUA e uma mulher que vivenciou o medo em suas mais diversas formas. Sua vida foi marcada por um estupro na infância, por uma gravidez aos 17 anos e pelo preconceito de uma América segregada.

Foi por meio da literatura que ela sagrou-se como referência internacional. Eu Sei Por que o Pássaro Canta na Gaiola – livro fora de circulação no Brasil em que aborda as memórias de uma infância cercada pelo racismo – tornou-se best-seller e é hoje aclamado em todo o mundo.

Em A Vida Não Me Assusta, a autora lembra com doçura que todo ser humano é dotado de coragem para enfrentar aquilo que lhe assusta, começando das sombras no escuro, cães bravos e sapos. Um lembrete feito com poesia, que se complementa de forma grandiosa nos traços de um artista cujo legado é justamente o de coragem em construir, com honestidade, a própria história.

A Vida Não Me Assusta

Páginas: 48

Editora: Caveirinha / DarkSide Books

Preço: R$ 49, 90

+ sobre o tema

Ronaldinho Gaúcho diz que viveu seus melhores anos no Barcelona

Em carta à torcida, Craque se mostrou emocionado ao...

Ilú Obá De Min convida para 6ª edição do Heranças Africanas

    Olá amigos e amigas do Ilú Obá De Min,...

Willow Smith tenta emplacar mais um hit com o single 21st Century Girl

Willow Smith tenta emplacar mais um hit. Depois do...

para lembrar

Discografia do Racionais MC’s chega ao Spotify

A discografia do Racionais MC’s agora pode ser ouvida integralmente na...

Miles Davis é eleito o maior artista de jazz de todos os tempos

Miles Davis foi escolhido o maior artista de jazz de...
spot_imgspot_img

Crianças do Complexo da Maré relatam violência policial

“Um dia deu correria durante uma festa, minha amiga caiu no chão, eu levantei ela pelo cabelo. Depois a gente riu e depois a...

Em autobiografia, Martinho da Vila relata histórias de vida e de música

"Martinho da Vila" é o título do livro autobiográfico de um dos mais versáteis artistas da cultura popular brasileira. Sambista, cantor, compositor, contador de...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...
-+=