30 mil famílias de favelas recebem botijões de gás em ação da CUFA; 900 só em Fortaleza

Artigo produzido por Redação de Geledés

A Central Única das Favelas (Cufa) concluiu nessa segunda-feira (11/5) mais uma importante missão de apoio a famílias que vivem em comunidades pobres do Brasil, onde está concentrada boa parte da população negra.

Trinta mil botijões de gás de cozinha foram distribuídos a pessoas em situação de vulnerabilidade de 15 estados. Só em Fortaleza, 900 casas de 26 favelas foram beneficiadas com a ação, feita em parceria com uma empresa de exploração e distribuição de gás.

Na capital cearense, 90% das mortes por coronavírus até agora foram de moradores de bairros com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), exatamente o critério utilizado pela Cufa para a distribuição dos botijões.

A doação dos botijões de gás se soma a uma série de outros esforços da Cufa para garantir a subsistência de quem vive em situação de pobreza e está com a situação agravada por conta da pandemia do novo coronavírus. Antes mesmo de a Covid-19 tomar o país, a entidade já se mobilizava.

Em abril, o Ceará Criolo noticiou a força-tarefa encabeçada pela Cufa para distribuir doações a famílias carentes. Foram pelo menos 28 mil cestas básicas a famílias de 174 comunidades de 12 cidades cearenses, 120 das quais em Fortaleza – cidade mais afetada pelo coronavírus no estado.

Muitas dessas famílias tiravam o sustento da informalidade. Com as ruas vazias, ficaram sem renda de forma abrupta. “A gente organizou centros de distribuição. A gente recebe as doações, separa e monta os kits. Como já estamos na favela há muito tempo, a gente já sabe quem precisa e organiza a entrega, focando principalmente em mulheres, mães solteiras com filhos com deficiência ou morando com idosos e fora de programas sociais”, explica o presidente da Cufa, Preto Zezé.

Qualquer pessoa pode ajudar a Cufa nas mobilizações no Ceará. Basta entrar em contato pelo telefone (85) 997429866. É possível colaborar com alimento não perecível, material de limpeza e de higiene pessoal (especialmente sabão, sabonete, detergente e água sanitária, fundamentais para eliminar o coronavírus) ou mesmo com dinheiro.

Até o fim da manhã desta terça-feira (12/5), o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) indicava o Ceará com 17.879 casos confirmados de Covid-19, sendo 67% desse total concentrado em Fortaleza (12.134 casos). Outras 30.966 notificações estão em investigação.

Mortes confirmadas decorrentes do novo coronavírus no Ceará já são 1.228. Os pacientes recuperados são 9.202, até o momento.

Leia também:

Favelas pedem doação em dinheiro, e não cesta básica, para apoiar comércio

Covid-19: Quilombo da Parada realiza campanha de auxílio à famílias da região.

Sanitarista egressa da UFRGS coordena ação que beneficia comunidades no combate à fome

+ sobre o tema

para lembrar

Pacto Nacional do Poder Judiciário para a Equidade Racial

No último dia 25 de novembro, Geledés-Instituto da Mulher...

O Encontro das Águas

  Quem já teve a oportunidade de assistir, seja presencialmente...

O desastre não é natural, é político

O cenário é devastador. Relatos absurdamente trágicos e tristes de pessoas que perderam tudo. Não sobrou nada, não sobrou coisas, vida, documentos e fotos....

Geledés ganha assento em comitê da ONU que pressiona o Brasil em relação às suas políticas econômicas e sociais

“É um espaço em que poderemos dialogar abertamente com as missões dos Estados, bem como absorver experiências de outras partes do mundo. Particularmente penso...

“Há um racismo velado, naturalizado, e por muitas vezes explícito na escola”, diz Elenir Fagundes Freitas

Assim como milhares de crianças negras, Elenir Fagundes Freitas, enfrentou situações de racismo no ambiente escolar. Logo na primeira série, na hora da fila,...
-+=