quarta-feira, julho 8, 2020

    África e sua diáspora

    Milton Santos em entrevista para o Jornal do Brasil, em 1977 (Foto: Imagem retirada do site Milton Santos)

    Milton Santos

    Milton Almeida dos Santos (Brotas de Macaúbas, Bahia, 3 de maio de 1926 - São Paulo, São Paulo, 24 de junho de 2001) foi um advogado brasileiro. Apesar de ter se graduado em Direito, Milton destacou-se por seus trabalhos em diversas áreas da Geografia, em especial nos estudos de urbanização do Terceiro Mundo. Foi um dos grandes nomes da renovação da geografia no Brasil ocorrida na década de 1970. BIOGRAFIA  Milton Santos nasceu no município baiano de Brotas de Macaúbas em 3 de maio de 1926. Ainda criança, migrou com sua família para outras cidades baianas, como Ubaituba, Alcobaça e, posteriormente, Salvador. Em Alcobaça, com os pais e os avós maternos (todos professores primários), foi alfabetizado e aprendeu álgebra e a falar francês. Aos 13 anos, Milton dava aulas de matemática no ginásio em que estudava, o Instituto Baiano de Ensino. Aos 15, passou a lecionar Geografia e, aos 18, prestou...

    Leia mais
    021441097-EX00

    Com Robinho, Manchester City encontra Nelson Mandela na África

    Robinho se apresentou ao Manchester City a tempo de viver um momento histórico na África do Sul: ao lado de seus companheiros e do técnico Mark Hughes, o craque brasileiro encontrou Nelson Mandela nesta quinta-feira, em Joanesburgo. No mês passado, o ex-santista esteve no país com a seleção brasileira e conquistou a Copa das Confederações. Após as férias, Robinho voltou a Joanesburgo para a pré-temporada do City. A equipe inglesa disputou dois amistosos na África do Sul, com Orlando Pirates e Kaiser Chiefs, os times mais populares do país. No encontro, o clube deu uma camisa personalizada a Mandela com o número 91 (idade do ex-presidente sul-africano) e seu nome nas costas. O time ainda cantou "Parabéns para você", já que Mandela fez aniversário no último final de semana. - Foi uma grande honra conhecer o senhor Mandela e sei que todos os jogadores ficaram emocionados por ele ter cedido...

    Leia mais
    not201108-9

    Diretor da Palmares quer resolver impasse em quilombo

    Fonte: Correio Press -     O diretor de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro da Fundação Palmares, Maurício Reis, chega nesta quinta-feira (23), a Mato Grosso para intermediar uma solução para o impasse criado em torno de uma área de 77 hectares no município de Barra do Bugres, disputada por fazendeiro e afrodescentes reunidos nos quilombos Vaozinho e Voltinha. Com o diretor, estarão a procuradora da República Dora Lúcia Bertúlio, e a coordenadora Nacional de Quilombos do Incra, Givânia Conceição, e o presidente do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial, Pedro Reis.   A disputa pela terra começou por uma fonte de água localizada numa Área de Proteção Ambiental, que é de usufruto das comunidades quilomboas e vem sendo requerida pelo fazendeiro. A fonte de água é fundamental para o abastecimento das comunidades quilombolas que vivem na região. O fazendeiro requereu a propriedade, mas a Justiça deu ganho de causa...

    Leia mais
    quilombolasemperigo

    Quilombolas são expulsos e ameaçados por pistoleiros

    Fonte: Expresso MT -   Quilombolas das comunidades Vaozinho e Voltinha, do município Porto Estrela (194 km ao médio-norte de Cuiabá), são ameaçados por homens armados contratados por um fazendeiro da região que expulsou 65 famílias de uma Área de Proteção Ambiental cedida pelo governo aos afrodescendentes. A briga por aproximadamente 80 hectares, em Barra do Bugres, é motivada por uma fonte de água, indispensável para o abastecimento e sobrevivência dos quilombolas.   A expulsão das famílias ocorreu há 20 dias e a direção da Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro da Fundação Palmares foi acionada. Hoje, o diretor Maurício Reis chega em Mato Grosso para uma reunião com o procurador Mauro Lúcio Avelar para tentar resolver o impasse. Também participarão do encontro a procuradora da República Dora Lúcia Bertúlio, a coordenadora Nacional de Quilombos do Incra, Givânia Conceição, e o presidente do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial, Pedro Reis....

    Leia mais

    Canadá registra caso de gripe suína resistente ao Tamiflu

    Fonte: Folha de São Paulo - O Canadá registrou o primeiro caso de gripe suína --como é chamada a gripe A (H1N1)-- resistente ao antiviral Tamiflu. O paciente --um homem de 60 anos de Québec-- recebeu a droga após seu filho ter sido infectado com o vírus da doença. A porta-voz da Agência de Saúde Pública do Canadá, Jirina Vlk, disse que a estirpe do vírus parece não ter se espalhado pelo país, e que o caso de resistência é isolado. Anteriormente, três casos de resistência ao Tamiflu, produzido pelos laboratórios Roche e Gilead Sciences, haviam sido detectados --na Dinamarca, Japão e Hong Kong. Os pacientes se recuperaram completamente da infecção ao serem tratados com outro antiviral, o Relenza, do laboratório GlaxoSmithKline, conhecido como zanamivir. No início de julho, a OMS (Organização Mundial de Saúde) havia afirmado que não há evidências de um avanço preocupante nos casos do vírus da...

    Leia mais
    turismo_g_5

    Negros americanos impulsionam turismo na Bahia

    Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul - Diretor da Tatour, agência de turismo de Salvador especializada na recepção de visitantes americanos, Connor O'Sullivan é uma exceção entre os colegas do mercado de viagens na Bahia. Em plena crise econômica mundial, ele mantém o otimismo e faz planos para a ampliação dos negócios, enquanto o resto do mercado amarga queda no número de clientes. Segundo o Ministério do Turismo, entre 2007 e 2008, o número de visitantes na Bahia encolheu 7,9%, de 193.867 para 178 571. Os principais países emissores de turistas registraram queda. O único mercado a apresentar crescimento expressivo entre os principais emissores de turistas para a Bahia foi o americano: aumento de 333% entre 2007 e 2008, de 3.478 visitantes para 15.085. Entre 2002 e 2006, os Estados Unidos haviam mandado, em média, 2.600 turistas à Bahia. Os EUA saltaram da 10ª posição no ranking de turistas para a...

    Leia mais
    Joaquim Candido Soares de Meireles (Foto: Imagem retirada do site ANM)

    Joaquim Candido Soares de Meireles

    Joaquim Cândido Soares de Meireles (Sabará, 5 de novembro de 1797 - Rio de Janeiro,13 de julho de 1868) foi um médico cirurgião-mor e político brasileiro. Foi fundador, idealizador e primeiro presidente da Academia Imperial (hoje Academia Nacional de Medicina) e Patrono do Serviço de Saúde da Marinha do Brasil. Biografia Formou-se em medicina pelo Curso da Escola de Médico-Cirúrgico do Rio de Janeiro, em 1822. Doutor-se em medicina cirúrgica pela Faculdade de Medicina de Paris, onde sustentou duas teses sobre: Dissertation sur l´histoire de l`eléphantiasis, apresentada em 10 de janeiro de 1827, e Dissertation sur les plaies d`armes á feu, apresentada em 25 de abril de 1827. Trabalhou na Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro na enfermaria do médico Luiz Vicente De Simoni. Em 30 de junho de 1829, ele, juntamento com os médicos José Francisco Xavier Sigaud, José Martins da Cruz Jobim, Jean Maurice Faivre e...

    Leia mais
    Juliano Moreira (Foto: Imagem retirada do site Gazeta do Povo)

    Juliano Moreira

    O Professor Juliano Moreira nasceu a seis de janeiro de 1872 na Freguesia da Sé, hoje o centro antigo da cidade do Salvador, na Bahia. Seu pai, o português Manoel do Carmo Moreira Junior era inspetor de iluminação pública. Seu trabalho era verificar se os trabalhadores acendiam os lampiões de ferro pelas ruas e calçadas da cidade. Galdina Joaquim do Amaral, sua mãe trabalhava como doméstica na casa do Barão de Itapuã, Adriano Gordilho, renomado médico baiano. São escassos em seus limitados biógrafos os dados relativos à sua infância e meninice. Desde o seu nascimento foi criado e conviveu sempre com a família do Barão de Itapuã, que se tornou seu padrinho. Fez seus estudos iniciais no Colégio Pedro II e depois se transferiu para o Liceu Provincial, na cidade do Salvador, na Bahia. Em 1886, manifestando extraordinária precocidade, se matriculava na Faculdade de Medicina da Bahia, berço do ensino...

    Leia mais
    JoaquimCandido

    Joaquim Candido Soares de Meireles

    Joaquim Cândido Soares de Meireles (Sabará, 5 de novembro de 1797 - Rio de Janeiro,13 de julho de 1868) foi um médico cirurgião-mor e político brasileiro. Foi fundador, idealizador e primeiro presidente da Academia Imperial (hoje Academia Nacional de Medicina) e Patrono do Serviço de Saúde da Marinha do Brasil. Biografia Formou-se em medicina pelo Curso da Escola de Médico-Cirúrgico do Rio de Janeiro, em 1822. Doutor-se em medicina cirúrgica pela Faculdade de Medicina de Paris, onde sustentou duas teses sobre: Dissertation sur l´histoire de l`eléphantiasis, apresentada em 10 de janeiro de 1827, e Dissertation sur les plaies d`armes á feu, apresentada em 25 de abril de 1827. Trabalhou na Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro na enfermaria do médico Luiz Vicente De Simoni. Em 30 de junho de 1829, ele, juntamento com os médicos José Francisco Xavier Sigaud, José Martins da Cruz Jobim, Jean Maurice Faivre e...

    Leia mais
    ipade

    25 DE JULHO DIA DA MULHER NEGRA E CARIBENHA

    "I PADÊ GRIÔ DAS MULHERES NEGRAS DE FORTALEZA" 25 DE JULHO DIA DA MULHER NEGRA E CARIBENHA Realização: Prefeitura Municipal de Fortaleza   (Coordenadoria de políticas para as Mulheres e Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial) Objetivo: Em alusão ao dia da Mulher Negra e Caribenha lançar uma atividade permanente de dialogo sobre as políticas públicas para as mulheres negras de Fortaleza.   Essa atividade oportunizará um espaço de dialogo entre mulheres negras e as coordenadorias proponentes, onde serão discutidos e aprofundados temas acordados no primeiro encontro com as mulheres, entre os temas mais significativos a serem propostos estão: saúde, educação, economia, trabalho e renda, cultura com recorte para mulheres negras.   Público: 50 mulheres negras representativas dos movimentos, terreiros e universidade.   Programação 8:30h - Acolhida - Café da manhã com uma mesa de comidas da cultura negra; 9h- Abertura: com uma roda de cantiga com as...

    Leia mais

    Moçambique mostra oportunidades a empresários brasileiros

    Fonte: UOL   Rio de Janeiro, 20 jul (Lusa) - O presidente moçambicano, Armando Guebuza, em viagem oficial ao Brasil, convidou os empresários brasileiros para visitarem e conhecerem as potencialidades de negócios do país africano. Num balanço sobre o encontro com empresários de diversos setores, realizado no primeiro dia da visita, o chanceler moçambicano, Oldemiro Baloi, considerou ser promissora a missão ainda neste ano. "Foi uma excelente reunião, para já há uma fluência grande de empresários distintos representando diversas áreas, diversos interesses", disse à Agência Lusa. Segundo ele, o presidente Guebuza e a comitiva moçambicana que o acompanha na sua visita ao Brasil estão "muito satisfeitos, na medida em que tem sido prática nos últimos anos e, cada vez mais crescente na atividade política e diplomática, a promoção empresarial". O presidente Guebuza, ao convidar a classe empresarial, destacou Baloi, "abre as portas do país e manifesta confiança na capacidade empreendedora...

    Leia mais
    Carlos-Moore-3

    Carlos Moore

    Gramática da Ira tem o prazer de receber aqui, para uma conversa franca e contundente, o Mestre Carlos Moore. Esperamos, com isso, aprofundar algumas discussões que temos levantado. Há um grande interesse de nossa parte em compreender e divulgar a questão da negritude em Cuba, na diáspora e continente africano. Para tanto são muito esclarecedores os relatos de experiências vividas e as análises sócio-políticas que o mestre faz, não só do regime revolucionário cubano, no que toca mais diretamente a causa negra, mas de muitas questões que extrapolam as barreiras nacionais. Nosso mestre fala um pouco de sua trajetória de exílios até sua permanência em Salvador, na Bahia, sua morada atual. A partir daí, segue uma conversa inspiradora sobre grandes questões como literatura, música e muito mais. Com emoção, Carlos Moore destaca companheiros de trajetória que se tornaram célebres. Dedica profundas palavras a dois dos homens que tanto colaboraram para...

    Leia mais
    (Foto: Henrique Porto/G1)

    Glória Maria vira voluntária: ‘Lavo louça e limpo cocô de criança’

    Longe da TV desde 2007 - quando iniciou seu período sabático de dois anos - Gloria Maria está morando em Salvador, onde recebeu a equipe da revista "Raça Brasil". Na entrevista, a jornalista diz que escolheu trocar o Rio pela capital baiana para ter "mais sossego". - Queria ficar longe dos paparazzi. E Salvador tem fortes laços com a minha origem negra - diz Gloria. Na capital baiana, ela também descobriu o prazer de se dedicar ao trabalho voluntário. - "Não quero mais doar, dar beijinhos e ir embora. Lavo louça, limpo cocô de criança, o que for preciso eu faço - afirma.  

    Leia mais
    mulher_cobra_1

    Sul-africana é a mulher mais flexível do mundo

    Fonte: G1, e, São Paulo -   Desde o berço, 'menina-cobra' dormia com as pernas atrás da cabeça. 'Minha mãe achava que tinha algo errado comigo', diz Nokulunga Buthelezi. Para aqueles que duvidam que as mulheres são mais flexíveis que os homens --pelo menos, no sentido literal-- a jovem sul-africana Nokulunga Buthelezi, ou simplesmente Lunga, apresenta uma performance impressionante.     Com um colant que imita a pele de uma cobra, ela chocou plateias e apresentadores em vários países, ganhou o apelido de Mulher Cobra e a fama de mulher mais flexível do mundo. Clique aqui para ver vídeo com apresentação da jovem. Só na Alemanha, em dois anos de espetáculo, ao lado de outros artistas, nada menos que 2 milhões de pessoas pagaram para vê-la. Lunga tem 19 anos e diz que desde o berço, em Johannesburgo, já se enrolava sobre si mesma. "Eu dormia com as pernas atrás...

    Leia mais
    blank

    Poema para a irmã do meio, por Adriana Graciano

    por Adriana Graciano Poema para a irmã do meio A irmã do meio segura a mão da irmã mais velha e da irmã caçula, unindo o trio A irmã do meio traz humor e calor ao trio e ao mundo ao redor A irmã do meio ri alto, contagiando o trio e o mundo ao redor A irmã do meio fala palavrão, chora e faz birra (porque é a irmã do meio) A irmã do meio faz bolo melhor que a mãe A irmã do meio é a casa longe de casa e o lar em qualquer lugar Por isso que a gente quer morar nela, se aconchegar no cheirinho de casa que emana do pescoço dela A irmã do meio é feita de açúcar e de bossa nova e de estampas florais Ela é a casa longe de casa e o lar em qualquer lugar

    Leia mais
    caixeiras01

    A Festa do Divino Espírito Santo no Maranhão e suas Caixeiras

    Alcântara No Maranhão, o culto ao Divino Espírito Santo teve início com os colonos açorianos, portugueses e seus descendentes, que desde o início do século XVII chegaram para povoar a região. A partir de meados do século XIX, a tradição da festa do Divino começou a estar firmemente enraizada entre a população da cidade de Alcântara, de onde se espalhou para o resto do Maranhão, tornando-se muito popular entre as diversas camadas da sociedade, especialmente as mais pobres. Hoje, a devoção ao Divino é uma das mais importantes práticas religiosas do Maranhão, a festa, igualmente à que ocorre em Paraty (Rio de Janeiro) talvez seja uma das mais tradicionais de todo o território brasileiro, conservando ainda à risca aspectos do período colonial, mobilizando a cada ano centenas de pessoas em todo o Estado. Embora possa envolver gente de todos os extratos sociais, quase todos os participantes são pessoas humildes, de...

    Leia mais
    image071

    Dança do Lelê

    (Embora o som não esteja com boa qualidade, vale a pena conhecer o estilo da dança) A dança-do-lelê ou péla-porco é uma dança folclórica brasileira que remonta ao século XIX. Trata-se de uma dança de salão, profana, mas que costuma ser dançada em honra de determinados santos, ao longo do ano. A sua origem é provavelmente francesa e tem algumas características da dança ibérica. É geralmente acompanhada musicalmente pelo violão, cavaquinho (ou banjo), pandeiro, castanholas, flauta e rabeca. Consta de uma "brincadeira" coordenada por um mandante, que dá as ordens aos pares de dançantes que se organizam em duas filas (dos homens e das mulheres). A dança é dividida em quatro partes: o chorado (o convite para a festa); a dança grande (a parte mais complexa e diversificada da dança, que consta do cortejamento dos pares); a talavera (dança-se pela madrugada, de braços dados); e, finalmente, de madrugada, o cajueiro,...

    Leia mais
    cacuria06

    Cacuriá

    O cacuriá é uma dança típica do estado do Maranhão, no Brasil, surgida como parte das festividades do Divino Espírito Santo, uma das tradições juninas. A dança é feita em pares com formação em círculo, o "cordão", acompanhada por instrumentos de percussão chamados caixas do Divino (pequenos tambores). No final da Festa do Divino Espírito Santo, após a chamada derrubada do mastro, as caixeiras do carimbó podem descansar. É neste momento que elas passam à porção profana da festa, com o cacuriá. A parte vocal é feita por versos improvisados respondidos por um coro de brincantes. O ritmo é uma derivação do carimbó maranhense. Inicialmente, o cacuriá era praticado unicamente com as caixas, mas aos poucos foi-se acrescentando outros instrumentos, como banjo, violão, clarinete e flauta. A representante mais conhecida do cacuriá é Dona Teté do Cacuriá, uma percussionista maranhense muitas vezes creditada como uma das criadoras do ritmo e...

    Leia mais
    bumba_meu_boi01

    Bumba meu boi

    A festa do Bumba-meu-boi, uma tradição que se mantém desde o século XVIII, arrasta maranhenses e visitantes por todos os cantos de São Luís, nos meses de junho e julho. O bumba-meu-boi é uma festa para crianças, adultos e idosos, onde os grupos se espalham desde as periferias até os arraiais do centro e dos shoppings da ilha. Na parte nova ou antiga da cidade grupos de todo o Estado se reúnem em diversos arraiais para brincar até a madrugada. HISTÓRIA O enredo da festa do Bumba-meu-boi resgata uma história típica das relações sociais e econômicas da região durante o período colonial, marcadas pela monocultura, criação extensiva de gado e escravidão. Numa fazenda de gado, Pai Francisco mata um boi de estimação de seu senhor para satisfazer o desejo de sua esposa grávida, Mãe Catirina, que quer comer língua. Quando descobre o sumiço do animal, o senhor fica furioso e,...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist