Guest Post »
Alaíde Costa interpreta Chico Buarque e Edu Lobo no Sesc
Créditos da foto: Ênio César/Divulgação

Alaíde Costa interpreta Chico Buarque e Edu Lobo no Sesc

Uma das vozes femininas mais importantes da música brasileira, Alaíde Costa, 82 anos, interpreta canções de Chico Buarque e Edu Lobo em show no Sesc Rio Preto

Por Harlen Félix, do Diário da Região 

Cantora Alaíde Costa foi a primeira a gravar uma composição de Chico Buarque, em 1965 (Foto: Ênio César/Divulgação)

Uma das vozes femininas que marcaram a história da bossa nova, gênero musical que surgiu no Rio de Janeiro nos anos 1950, a cantora Alaíde Costa é dona de uma carreira impecável, marcada por parcerias memoráveis com grandes nomes da MPB e da música internacional.

“Enfrentei muitas dificuldades dentro e fora do universo musical não apenas por ser mulher, mas por ser mulher e negra. Sempre foi muito difícil para mim. Tive que me esforçar em dobro para provar meu talento”

No entanto, desde que deixou o Meier e cruzou o túnel da capital fluminense que separa o subúrbio da zona sul, aceitando o convite feito por João Gilberto, ela trabalhou duro para ser reconhecida como a “dama da canção”, em referência ao título de uma das músicas eternizadas por sua voz.

Em entrevista ao Diário, ela conta que foram os muitos os desafios enfrentados, principalmente por conta da cor de sua pele. “Enfrentei muitas dificuldades dentro e fora do universo musical não apenas por ser mulher, mas por ser mulher e negra. Sempre foi muito difícil para mim. Tive que me esforçar em dobro para provar meu talento”, conta.

E é por isso que hoje, aos 82 anos, Alaíde Costa canta somente aquilo que realmente vale a pena. “Não quero cantar apenas coisas conhecidas. Quero cantar o que realmente importa, aquilo que é necessário para tocar as outras pessoas”, destaca a cantora, que sobe ao palco do teatro do Sesc Rio Preto na noite desta quarta-feira, 19, para interpretar canções compostas por Chico Buarque e Edu Lobo.

Dos dois compositores que marcam o repertório do show, concebido há cerca de quatro meses, Alaíde Costa só gravou em estúdio composições de Chico Buarque. Aliás, ela foi a primeira a interpretar uma canção do cantor e compositor carioca, quando ele ainda era um jovem desconhecido na MPB. Em 1965, no disco que levava o seu nome, Alaíde Costa gravou “Sonho de um Carnaval”, antes da consagração de Chico Buarque no II Festival da Música Popular Brasileira (1966), em que “A Banda” dividiu o primeiro lugar com “Disparada”, de Jair Rodrigues.

“Estou muito feliz em fazer esse recital. Espero que ele possa render um registro ao vivo”, comenta a cantora, que selecionou para o show as composições nascidas do encontro entre Chico Buarque e Edu Lobo que mais dialogam com a profundidade de sua interpretação musical, a exemplo de “A Mulher de Cada Porto” e “Beatriz”.

Para a cantora, o tempo foi e é um grande mestre. “Aprendi com o tempo a ser mais moderada, a ter mais serenidade diante das situações que foge do meu controle. Eu sou uma mulher da paz, e é ela que busco transmitir em minhas apresentações.”

Trajetória

Alaíde Costa iniciou sua carreira musical aos 20 anos, em 1955, atuando como crooner na cena noturna do Rio de Janeiro. Em 1959, a convite de João Gilberto, conheceu os principais compositores da bossa nova e gravou o seu primeiro álbum. Foi também nesta época que interpretou uma das canções mais emblemáticas de sua carreira, no programa Fino da Bossa (TV Record): “Onde Está Você” (Oscar Castro Neves e Luverci Fiorini).

A dobradinha com Milton Nascimento, um dos grandes parceiros de sua carreira, deu-se em 1972, quando gravou “Me Deixa em Paz” (Airton Amorim e Monsueto), umas das faixas do clássico disco Clube da Esquina. Além do artista mineiro, ela interpretou composições de grandes nomes da MPB como Vinicius de Moraes, Tom Jobim e Paulinho da Viola.

Outro grande parceiro foi o cantor e compositor Johnny Alf, que ela considerava seu grande ídolo. Foi ao lado dele que se apresentou, em 2003, no London Jazz Festival, em uma das muitas incursões internacionais que fez.

Seu projeto mais recente foi lançado em março deste ano. O DVD “A Dama da Canção”, o primeiro registro ao vivo de sua carreira, eternizou um especial gravado, em agosto de 2015, no estúdio 185, em São Paulo, com produção musical de Thiago Marques Luiz. No especial, coproduzido pelo Canal Brasil, Alaíde Costa dá voz a músicas como “Retrato em Branco e Preto” (Antonio Carlos Jobim e Chico Buarque, 1968), “Preciso Chamar sua Atenção” (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1969) – composição inédita na voz da cantora – e “Matita Perê” (Antonio Carlos Jobim e Paulo César Pinheiro, 1973). O roteiro também inclui “Amigo Amado” (1973), parceria da própria cantora – uma compositora eventual – com Vinicius de Moraes.

Serviço

  • Show “Alaíde Costa Canta Chico Buarque e Edu Lobo”. Quarta-feira, 19 de setembro, às 20h30, no teatro do Sesc Rio Preto (Av. Francisco das Chagas Oliveira, 1333). Ingressos: de R$ 6 a R$ 20. Informações: (17) 3216-9300

Artigos relacionados