Comunicação

    leonardo_boff590

    Leonardo Boff: A mídia comercial em guerra contra Lula e Dilma

    Por Leonardo Boff Sou profundamente pela liberdade de expressão em nome da qual fui punido com o "silêncio obsequioso" pelas autoridades do Vaticano. Sob risco de ser preso e torturado, ajudei a editora Vozes a publicar corajosamente o "Brasil Nunca Mais", onde se denunciavam as torturas, usando exclusivamente fontes militares, o que acelerou a queda do regime autoritário. Esta história de vida me avalisa fazer as críticas que ora faço ao atual enfrentamento entre o Presidente Lula e a midia comercial que reclama ser tolhida em sua liberdade. O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de ideias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa. Está havendo um abuso da liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a...

    Leia mais
    instituto-millenium

    Em parte da elite, saudades de 1964

    Depois de José Serra, é a vez do Instituto Millenium bater às portas do Clube Militar Na próxima quinta-feira, parte das elites brasileiras dará um passo revelador. O Instituto Millenium, que reúne em seu Conselho de Governança e seminários os grandes empresários da mídia, irá se associar ao Clube Militar do Rio de Janeiro. Juntos, promoverão o painel “A democracia ameaçada: restrições à liberdade de expressão”. Serão palestrantes o diretor de Assuntos Legais da Abert (a associação das emissoras de TV) e os jornalistas fortemente identificados com a recente aproximação entre José Serra e a direita: Reinaldo Azevedo (“Veja”) e Merval Pereira (“O Globo”). A vinculação do Clube com as ditaduras não pertence apenas à História. Ainda em 31 março de 2009, a entidade promoveu, em sua sede no Rio de Janeiro, uma festa em homenagem aos 45 anos do golpe de 1964 — chamado pelos promotores de “revolução democrática”....

    Leia mais
    jornalista1

    SP: ato contra mídia golpista no sindicato dos jornalistas

      C O N V O C A Ç Ã O  Sindicato dos jornalistas sediaráato contra o golpismo midiático (Dia 23, quinta, às 19 horas) O Centro de Mídia Alternativa Barão de Itararé está organizando um importante ato de resistência às ações eleitorais da grande imprensa. O ato, no auditório Wladimir Herzog, do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, terá participação de Centrais Sindicais, movimentos sociais, partidos, profissionais de comunicação e personalidades das mais variadas correntes. O evento tem apoio do movimento de blogueiros progressistas. O texto dos organizadores põe o dedo na ferida do conluio midiático: "Como num jogo combinado, as manchetes da velha mídia viram peças de campanha no programa de TV do candidato das forças conservadoras". E alerta: "A onda de baixarias, que visa forçar a ida de Serra ao segundo turno, tende a crescer. Os boatos nas redações e bastidores das campanhas são preocupantes...

    Leia mais
    ditadura_da_midia

    Vinicius Wu: A mídia está semeando o golpe

    Grande mídia planeja a “Venezuelização” do Brasil Alguns dos principais jornais do país estão, há algumas semanas, trabalhando diariamente para imputar ao Presidente Lula a pecha de “ditador” e qualificar a eventual vitoria de Dilma como uma ameaça à democracia. Foi o próprio Serra quem retomou o termo “República Sindicalista”, em reunião com militares no Rio de Janeiro. Agora, o remake de uma antiga propaganda de um periódico de São Paulo insinua comparações entre Lula e Hitler (sic), numa ignóbil peça publicitária que insulta a inteligência dos brasileiros. Cabe lembrar que, no sombrio despertar das ditaduras latino-americanas, golpistas jamais aplicam “golpes”. Na pior das hipóteses adotam “medidas extremas para salvar a democracia”. O artigo é de Vinicus Wu. Vinicius Wu, na Carta Maior “Ressurge a Democracia! Vive a Nação dias gloriosos“Trecho do Editorial de “O Globo” de 1 de abril de 1964 . No sombrio despertar das ditaduras latino-americanas, ditadores...

    Leia mais
    nassif

    Nassif: Da cadeia para as páginas da Folha de S. Paulo

    Alguns elementos para tentar entender essa nova denúncia da Folha: 1. Segundo informações da própria Folha, o acusador Rubnei Quícoli já foi condenado duas vezes em São Paulo (por interceptação de carga roubada e por posse de moeda falsificada). E em 2007 passou dez meses preso. O fato de antecipar as denúncias sobre sua fonte não absolve o jornal. Pelo contrário, é agravante. Quando uma pessoa com tal currículo faz uma denúncia, é praxe de qualquer jornalismo sério ouvir as denúncias e exigir a apresentação de provas. 2. A única prova que o tal consultor apresenta é um email marcando audiência na Casa Civil e que tem o nome de Vinicius Oliveira no C/C . Todo o restante são acusações declaratórias. Nenhum juiz do mundo tomaria como verdade acusações desacompanhadas de provas, de um sujeito que acaba de sair da cadeia. 3. O jornal não explica como um sujeito com...

    Leia mais
    Sbt__vc_Globo

    A íntegra da representação do MSM contra o SBT e a Globo

    MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL EXMO. SR. DR. PROCURADOR GERAL ELEITORAL BRASÍLIA – DF. – cópia do Estatuto Social anexada –, ora em diante denominado como MSM, vem respeitosamente, perante V.Exa., amparado nos dispositivos da vigente Constituição da República Federativa do Brasil, artigo 5º, Inciso XXXIV, "a", dos Direitos e Garantias Fundamentais, artigo 21, XII, "a" e 223 caput; da Lei Complementar nº 75 de 20/05/1993, Lei Orgânica do Ministério Público Federal; Lei Eleitoral nº 9.504/97 (Lei Geral das Eleições) e suas alterações, artigo 45, incisos III e IV (propaganda eleitoral); Resolução TSE nº 23.191/2009 (Propaganda eleitoral e condutas vedadas – Eleições de 2010), Resolução TSE nº 23.222/2009 (Prioridade da Justiça Eleitoral na Apuração de Crimes Eleitorais pela Polícia Federal); Resolução TSE nº 23.089/2009 (calendário Eleições 2010); Código Eleitoral lei federal nº 4.737/1965; Resoluções 23/2007 e 35/2009 do Conselho Nacional do Ministério Público e demais legislação aplicável à matéria, tendo em vista...

    Leia mais
    Mundo_Noam_Chomsky

    A propósito de medios de comunicación

    Noam Chomsky y las 10 Estrategias de Manipulación Mediática 1. La estrategia de la distracciónEl elemento primordial del control social es la estrategia de ladistracción que consiste en desviar la atención del público de losproblemas importantes y de los cambios decididos por las elitespolíticas y económicas, mediante la técnica del diluvio o inundaciónde continuas distracciones y de informaciones insignificantes. Laestrategia de la distracción es igualmente indispensable para impediral público interesarse por los conocimientos esenciales, en el área dela ciencia, la economía, la psicología, la neurobiología y lacibernética. “Mantener la Atención del público distraída, lejos de losverdaderos problemas sociales, cautivada por temas sin importanciareal. Mantener al público ocupado, ocupado, ocupado, sin ningún tiempopara pensar; de vuelta a granja como los otros animales (cita deltexto ‘Armas silenciosas para guerras tranquilas)”.2. Crear problemas y después ofrecer solucionesEste método también es llamado “problema-reacción-solución”. Se creaun problema, una “situación” prevista para causar cierta reacción enel...

    Leia mais
    internet3

    Número de internautas cresce mais de 20% no Brasil em apenas um ano

    Região Norte apresenta maior crescimento entre 2008 e 2009   A quantidade de pessoas que usam a internet no país cresceu 21,5% em 2009 em relação a 2008 e chegou a 67,9 milhões de usuários, contra 55,9 milhões do ano anterior. Considerando apenas pessoas com dez anos de idade ou mais, 41,7% da população brasileira usam a internet. Em 2008, a proporção era de quase 35%. Os números fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios) divulgada nesta quarta-feira (8) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A região Norte é a que apresenta maior crescimento (26,8%) na quantidade de usuários entre 2008 e 2009, passando de 3,3 milhões de pessoas para 4,2 milhões, seguida do Nordeste (aumento de 22,2%), também com índice de crescimento acima da média nacional. O Sudeste tem a maior proporção nacional de pessoas que usam a web (48,1%) e o Nordeste a...

    Leia mais
    dilma_roussef-receita

    O fato novo

    De Marcos Coimbra, sociólogo e presidente do Instituto Vox Populi   Quem, nas duas últimas semanas, leu os colunistas dos "grandes jornais" (os três maiores de São Paulo e Rio) deve ter notado a insistência com que falaram (ou deixaram implícito) que as eleições presidenciais não estavam definidas. Contrariando o que as pesquisas mostravam (a avassaladora dianteira de Dilma), fizeram quase um coro de que "nada era definitivo", pois fatos novos poderiam alterar o cenário. Talvez imaginassem (desconfiassem, soubessem) que uma "bomba" iria explodir. Tão poderosa que mudaria tudo. De favorita inconteste, Dilma (quem sabe?) desmoronaria, viraria poeira. Veio o fato novo: o "escândalo da Receita". Durante dias, foi a única manchete dos três jornais. É muito? Certamente que sim, mas é pouco, em comparação ao auxílio luxuoso da principal emissora de televisão do país. Fazia tempo que um evento do mundo político não ganhava tanto destaque em seus telejornais....

    Leia mais
    ombudsman_dhnet

    Mídia clama por um fato novo

    O que se implora é que sejam fatos beirando o extraordinário, com cores cataclísmicas e ímpeto aterrador. E não podem ser fatos quaisquer, não. Ao contrário, precisam ser caracterizados por sua natureza antigovernista e profundamente oposicionista. Washington Araújo "E um fato novo se viu/ Que a todos admirava:/ O que o operário dizia/ Outro operário escutava." (Vinícius de Moraes, O operário em construção) E todos os que fazem a cobertura das eleições 2010 no Brasil parecem ter feito um pacto em torno de uma mesma torcida: meu reino por um fato novo. Todos sabemos que a matéria-prima do jornalismo, ao menos aquele dissociado do estilo-jabuti (o que se coloca em árvore nessa ou naquela posição), são os fatos novos. Fatos que indicam ação, movimento, mudança. Com uma campanha precocemente exaurida pela inexistência quase absoluta de fatos, vemos jornalistas, colunistas, comentaristas, apresentadores de TV e radialistas suplicando que venham os tais...

    Leia mais
    venicio_lima_1

    Onde o poder da grande mídia não chega

    O acesso às novas tecnologias e as facilidades de filmar, gravar, produzir sons e imagens e distribuí-los a baixo custo nas próprias comunidades periféricas, cria novos "espaços públicos" externos e fora do alcance da grande mídia. Venício Lima Os incríveis índices de aprovação do presidente Lula e do seu governo e a expectativa de que a candidata por ele apoiada vença as eleições ainda no primeiro turno – agora confirmada pela unanimidade dos institutos de pesquisa de "opinião pública" – vem deixando muita gente boa desorientada.Teóricos de ocasião e autodesignados "formadores de opinião" estão perdidos diante do insucesso da cobertura de oposição sistematicamente praticada pela grande mídia nos últimos anos – aliás, confirmada pela presidente da ANJ em março passado – e têm oferecido explicações sem sentido para salvar as aparências.Quem forma a "opinião pública"?Afinal o que é opinião pública? Qual é o papel da grande mídia na sua formação?...

    Leia mais
    conferencia_economia

    Com exceção de Serra, candidatos prometem continuar conferências

    Dilma, Marina e Plínio pretendem manter conferências como forma de participação direta da população na vida política do país São Paulo – Após as críticas de José Serra, candidato do PSDB à Presidência da República, ao modelo de conferências, adotado pelo governo federal como mecanismo de participação direta da população, Dilma, Marina e Plínio afirmaram à Rede Brasil Atual que vão dar continuidade às conferências realizadas em diversas áreas. Em discurso no 8º Congresso Brasileiro de Jornais, no Rio, Serra chamou as conferências realizadas durante o governo de Lula de “conferencismo”. O candidato também atribuiu às conferências de comunicação, de direitos humanos e  de cultura, a tentativa de cercear a liberdade de imprensa. “ as três se voltaram para um controle da nossa imprensa, um cerceamento da liberdade de expressão e da liberdade de informação. De que maneira? Através do controle – suposto – da sociedade civil”, criticou. A candidata...

    Leia mais
    microfone_email

    Mídia e Mulheres na Política

    Agência Patrícia Galvão Evento "Mídia e Mulheres na Política" 9 de agosto de 2010 Programação 9h Abertura – Eleições 2010: A Presença das Mulheres Expositores/as Albertina de Oliveira Costa – socióloga, pesquisadora da Fundação Carlos Chagas e Diretora do Instituto Patrícia Galvão José Eustáquio Diniz Alves – demógrafo, professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE / IBGE Maria Betânia Ávila – socióloga, coordenadora do SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia 10h30 Mesa 1 – O Poder de Voto das Mulheres Expositores/as Fátima Pacheco Jordão – socióloga, especialista em pesquisa de opinião, assessora de pesquisa da TV Cultura e diretora do Instituto Patrícia Galvão Gustavo Venturi – cientista político, professor de sociologia da USP Cristiana Lôbo – jornalista, comentarista política do Globo News Debatedor: José Moroni – sociólogo, Instituto de Estudos Socioeconômicos - Inesc Coordenação: Nilza Iraci begin_of_the_skype_highlighting end_of_the_skype_highlighting – comunicadora social, Geledés – Instituto da Mulher...

    Leia mais
    JORNAL_NACIONAL_2009

    Jornal Nacional está retirando Lula do noticiário

    Em abril, as sonoras do presidente no JN estão 60% abaixo da média (0,40), em junho, cai para 64% abaixo da média (0,36) e em julho para 77% abaixo da média (0,23). Dito de outra forma, tirando os meses com distorção do noticiário sobre Irã (março e maio), o JN vinha dando uma sonora do presidente a cada 4 ou cinco edições do telejornal. Em abril e junho, vai para uma a cada 6,5 edições. Em julho, vai para uma a cada 9 edições. No mesmo período, os demais telejornais analisados fizeram praticamente o caminho inverso       É evidente o esforço do Jornal Nacional para evitar que a candidata Dilma Roussef seja reconhecida pelo público como a candidata do presidente Lula. A medida que Lula aparece ao lado de Dilma, sua popularidade se cola a candidata. Um presidente com mais de 80% de aprovação popular pode sim impulsionar...

    Leia mais
    13862282a8

    Indicadores de desenvolvimento da mídia: marco para a avaliação do desenvolvimento dos meios de comunicação

    Uma ferramenta analítica para avaliar a situação da mídia e medir o impacto dos programas de desenvolvimento de mídia. Título Original: Media development indicators: a framework for assessing media development  Brasília: UNESCO Brasilia, 2010. 86 p. Download gratuito (PDF, 1 Mb) - Somente disponível em formato eletrônico Resumo: Este documento define indicadores de desenvolvimento de mídi alinhado com as áreas prioritárias do Programa Internacional para o Desenvolvimento da Comunicação (PIDC): promoção da liberdade de expressão e pluralismo da mídia; desenvolvimento das mídias comunitárias; e o desenvolvimento de recursos humanos (capacitação de profissionais de mídia e capacitação institucional). A obra sugere cinco cinco grandes categorias interrelacionadas de indicadores que podem ser utilizadas para avaliação do sistema midiático de um dado país. Estes indicadores são uma ferramenta analítica construída para ajudar atuantes na área a avaliar a situação da mídia e medir o impacto dos programas de desenvolvimento de mídia. Esta publicação...

    Leia mais
    foto_col_18684

    A mídia quer despolitizar a vida

    Por: Marcelo Salles   A despolitização do debate eleitoral está no centro da estratégia das corporações de mídia. Assim, o termo "Pós-Lula" caminha ao lado de "twittaço", "dossiê" e "desilusão dos jovens com a política". O professor João Sicsú chamou a atenção para a despolitização do debate eleitoral, levado a cabo, sobretudo, pelas corporações de mídia. Como exemplo ele cita o uso do termo "Pós-Lula", obra da marketagem tucana imediatamente incorporada pelo léxico neomidiático. Assim, o eleitor imediatamente esquece o "pré-Lula" e tende a limitar sua escolha entre o melhor "gerente" para administrar o país. Só que ao esquecer o "pré-Lula", assinala Sicsú, o brasileiro também esquece de comparar o governo FHC (de quem Serra foi ministro) com o governo Lula (de quem Dilma foi ministra). A marketagem tucana quer nivelar por baixo, pois sabe que a comparação dos governos favorece Lula e sua candidata.   A despolitização do debate...

    Leia mais
    igualdade1109

    Estatuto da Igualdade Racial: sonegação informativa e as novas bases para enfrentar o racismo

    Por: Beto Almeida   O Estatuto da Igualdade Racial foi sancionado esta semana pelo presidente Lula. O episódio mereceria um destaque muito maior por parte dos meios de comunicação. Mas, sem surpreender, a grande mídia comercial noticiou apenas discretamente o evento. Nenhum grande jornal deu na primeira página. E o Jornal Nacional da TV Globo fez apenas uma notinha curtíssima para a importância do fato, sem imagens. Ou seja, na proporção inversa da ampla divulgação que deu, por meses, à campanha do DEM contra as cotas para alunos pobres e negros na universidade. O artigo é de Beto Almeida.     "Uma notícia ta chegando lá do interior Não deu no rádio, no jornal ou na televisão..." Milton Nascimento e Fernando Brant   Nesta semana que termina o Estatuto da Igualdade Social foi sancionado pelo presidente Lula. Para um país que teve quase 4 séculos de escravatura, sendo o último...

    Leia mais
    mulher-negra-em-pauta4

    Mulher Negra é tema do Educação em Pauta

    A 10ª edição do Programa Educação em Pauta vai acontecer nesta quarta-feira (21), às 15h. O evento que terá como tema "A Mulher Negra e a Mídia" será realizado pela Secretaria Municipal da Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secult), em parceria com o Fundo Municipal para o Desenvolvimento Humano e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes (FIEMA).   O auditório da Secult tem a expectativa da participação de cerca de 100 pessoas, entre professores, coordenadores pedagógicos e gestores da rede municipal de ensino.   De acordo com a gestora do Fiema, Adriana Nascimento, a temática escolhida para a apresentação do "Educação em Pauta" é uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher Negra da América Latina e Caribe e também ao Dia Municipal da Mulher Negra, comemorado em 25 de julho.   A gestora afirma que o evento pretende discutir a representação das mulheres negras nas diversas questões da mídia e debater...

    Leia mais
    ana-veloso

    Ana Veloso: CARTA DE AGRADECIMENTO

    Agradeço a todas as entidades que lutaram para que a minha candidatura a uma das três vagas destinadas à sociedade civil no Conselho Curador da EBC resultasse vitoriosa. Estou muito honrada com a oportunidade de, junto com os sujeitos coletivos que acreditaram e apostaram nessa indicação, construir uma gestão transparente, aberta para o diálogo com a sociedade e em sintonia com as propostas aprovadas pela I Confecom no tocante à consolidação de um sistema público de comunicação no Brasil.   O Conselho Curador da EBC vai receber uma mulher negra, feminista e do Nordeste entre suas fileiras. Nesse momento, é imprescindível resgatar que essa indicação nasceu dentro do Fórum Pernambucano de Comunicação (FOPECOM), espaço que reúne militantes independentes e organizações que atuam em defesa da comunicação como um direito humano.   O FOPECOM, o INTERVOZES e a Rede Mulher e Mídia compreenderam que critérios como diversidade de gênero e raça...

    Leia mais
    radio

    Radiodifusão para o povo negro

    Observatório do Direito à Comunicação   Por: Pedro Caribé - Observatório do Direito à Comunicação   O processo para escolha dos novos membros do Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) intensificou a necessidade de correlação entre as políticas públicas para a população negra e as políticas de comunicação. Setores do movimento negro questionam o presidente da República por escolher um candidato não identificado com a pauta racial, com apenas um voto na consulta pública, em detrimento de duas candidatas oriundas de organizações comprometidas com a pauta e apoiadas por um leque amplo de entidades, ao ponto de juntas somarem 15 votos na mesma consulta.   O caso da EBC ocorreu enquanto preparava a matéria para o Observatório do Direito à Comunicação sobre o capítulo da radiodifusão no informe anual da Relatoria para Liberdade de Expressão da Organização dos Estados Americanos (OEA). O documento indicou que a concentração da...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist