E se os mortos da Maré fossem do Leblon? – Mário Magalhães

Foi nesta semana, mas, a considerar o noticiário, parece que ocorreu no século retrasado: depois de um sargento do Bope ser morto por traficantes, a PM invadiu uma favela do complexo da Maré, aqui no Rio, e matou nove pessoas. Duas não tinham antecedentes criminais, como um garoto de 16 anos. O governo prometeu investigar as circunstâncias.

Se os dois mortos sem vinculação comprovada com a bandidagem fossem moradores do Leblon, será que a cobertura jornalística teria se extinguido tão rápido?

blog-bala-na-favela

Bala na favela não é de borracha

Será que as autoridades e o jornalismo falariam em “excessos”, como agora, ou em possíveis “crimes”?

Quantos editoriais não haveria nos jornais, nas TVs, nas rádios e na internet?

Quantos bambambãs já não estariam alardeando a existência de um “Estado policial” no Brasil?

Informados pelos meios de comunicação, quantos milhares de estudantes não promoveriam greves exigindo o esclarecimento dos fatos?

Quantas senhoras não lançariam campanhas com o mote “Podia ser seu filho”?

E as passeatas, não seriam talvez maiores do que as que tomaram as ruas na semana passada?

Quantas denúncias de extermínio haveria por minuto?

Seriam publicadas reportagens falando em um “menor” morto, como li, ou ele teria nome, idade, sua história contada?

Quanto tempo demoraria para que tudo fosse esquecido, sobretudo a cobrança por apuração?

Mas o garoto era da Maré, e não do Leblon.

 


 

Mário Magalhães nasceu no Rio em 1964. Formou-se em jornalismo na UFRJ. Trabalhou nos jornais “Folha de S. Paulo”, “O Estado de S. Paulo”, “O Globo” e “Tribuna da Imprensa”. Recebeu mais de 20 prêmios. É autor da biografia “Marighella – O guerrilheiro que incendiou o mundo”.

 

Matérias relacionadas

Conselho da ONU recomenda fim da Polícia Militar no Brasil

Valmir Assunção denuncia morte de ativista de 15 anos contra o racismo

Quem vai protestar contra o assassinato de inocentes na Favela da Maré?

Desmilitarização da polícia, a pauta urgente – Por Sylvia Moretzsohn

 

Fonte: Blog do Mario Magalhães

+ sobre o tema

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria...

para lembrar

Maceió: mobilização para Conselho Municipal da Juventude Negra

Dois momentos marcantes na capital alagoana marcam a mobilização...
spot_imgspot_img

Um guia para entender o Holocausto e por que ele é lembrado em 27 de janeiro

O Holocausto foi um período da história na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando milhões de judeus foram assassinados por serem quem eram. Os assassinatos foram...

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Pacto em torno do Império da Lei

Uma policial militar assiste, absolutamente passiva, a um homem armado (depois identificado como investigador) perseguir e ameaçar um jovem negro na saída de uma...
-+=