Grafites de Marielle e Maria da Penha são alvos de ataques de vândalos no Rio

Enviado por / FonteDa Revista Fórum

Dois grafites da vereadora Marielle Franco (PSOL) e um da ativista Maria da Penha foram alvo de ataques de vândalos no Rio de Janeiro, de acordo com informações de Vinícius Lisboa, da Agência Brasil. Internacionalmente conhecida, a grafiteira Panmela Castro é a autora dos trabalhos.

Nas obras que retratam Marielle e Maria da Penha, o vândalo cobriu seus rostos com tinta preta. Depois que o caso foi denunciado, um segundo grafite de Marielle foi atacado por um vândalo. No ataque, tinta branca e dourada foi usada para cobrir os olhos e a boca da vereadora. O painel foi pintado em novembro por Panmela, em um ato que contou com a presença da viúva de Marielle, Monica Benicio.

Enquanto busca orientação jurídica para denunciar os ataques à polícia, a grafiteira esteve nesta quarta-feira (19) no local das pinturas para restaurar o segundo grafite atacado.

“Não vou parar meu trabalho. Eles serão refeitos nem que seja mil vezes, nem que eu durma aqui na frente igual a uma coruja”, afirmou Panmela, que teme que as agressões se tornem mais violentas. “Vi que o caso é sério depois que amanheceu o segundo pichado hoje. Senti um pouco de medo, porque não sei onde isso pode parar”

A homenagem a Marielle tem um significado pessoal para Panmela. Em 2018, a vereadora ajudou a grafiteira a formalizar uma denúncia contra um ex-namorado que vinha atacando seus trabalhos há cerca de dez anos. “Ele não deixava eu ficar com outras grafiteiras, falava que meu grafite era ruim. Depois que terminei com ele, minha carreira disparou”.

“Marielle teve que me ajudar porque os policiais riam da minha cara. Conseguimos denunciar com base em um artigo da Lei Maria da Penha porque ele estava me perturbando. Eu queria denunciar por violência patrimonial, mas o policial não deixou”, conta ela.

Panmela já apresentou trabalhos em várias cidades do mundo, como Berlim, Toronto e Joanesburgo. Sua trajetória na arte remonta a 2008, quando criou o projeto “Grafiteiras pela Lei Maria da Penha”, que promove oficinas em escolas públicas.

+ sobre o tema

Eles não estão doentes, e nós não estamos loucas

Ontem, uma menina foi estuprada por 30 homens no...

Bolsonaro vira réu por falar que Maria do Rosário não merece ser estuprada

Deputado disse que ela é 'feia'; ele responderá por...

Nota de repúdio: Basta de violencia contra a mulher

Nós do Centro de Defesa e Convivência da Mulher...

Tribunal de Justiça de SP lança programa para homens envolvidos em violência doméstica

Reflexivo e educativo, grupo pretende fazer com que homens...

para lembrar

Na época do Brasil colonial, lei permitia que marido assassinasse a própria mulher

Jorge Amado abre o clássico Gabriela, Cravo e Canela...

Mulheres negras conquistam lugar de fala na internet, no rádio e no audiovisual

"Não quero saber de outra no nosso lugar de...

Vices têm em comum a luta por afirmação negra e feminina

Integrantes de legendas que têm propostas políticas diferentes, o...

Jay Z pagará fiança de diversos pais presos nos EUA

Radiante com a chegada dos gêmeos que nasceram nesta...
spot_imgspot_img

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...

“O Itamaraty me deu uma bofetada”, diz embaixadora Isabel Heyvaert

Com 47 anos dedicados à carreira diplomática, a embaixadora Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert não esconde a frustração. Ministra de segunda classe, ela se...
-+=