Hoje na História, há 106 anos, morria na cidade do Rio de Janeiro, Machado de Assis

Ele foi escritor, jornalista, poeta e teatrólogo, mas a carreira no serviço público foi o principal meio de sobrevivência, durante o Império e a República. Machado colaborou em jornais e revistas. Escreveu crônicas, contos, poesia e romances, que costumavam ser lançados, primeiro em folhetins e, depois, publicados em livros.

Ele também foi revisor, editor e censor teatral. Esse cargo não era remunerado, mas dava a ele o ingresso livre para as apresentações.

Machado de Assis foi o primeiro presidente da ABL, a Academia Brasileira de Letras, que ele ajudou a fundar, exercendo o cargo por mais de dez anos, até a morte.

Entre os romances que publicou estão: Dom Casmurro; Helena; Memórias Póstumas de Brás Cubas; A Mão e a Luva; Esaú e Jacó e Quincas Borba.

Machado de Assis morreu aos 69 anos,na madrugada de 29 de setembro de 1908, em casa, na Rua Cosme Velho, no Rio de Janeiro.

Leia também:

A fina ironia de Machado de Assis sobre a Abolição da Escravatura

Machado de Assis é clássico duas vezes. É clássico da literatura brasileira e é clássico da literatura negra

 

 

 

 

+ sobre o tema

Dia do rap: “ser voz da periferia é um orgulho”, diz Emicida

Rappers celebram bom momento do hip hop nacional e...

Comunidades quilombolas recebem certificação da Fundação Cultural Palmares

- Fonte: Terra Brasil -     O país ganhou 36 novas...

Histórias Afro-Atlânticas: entrevista com a curadora Lilia Schwarcz

De acordo com a antropóloga, a exposição parte de...

para lembrar

Rihanna planeja fazer documentário sobre os 20 anos de sua carreira

Ela é uma das maiores superestrelas da música mundial,...

De black power, Taís Araújo rouba a cena em evento fashion

Atriz e apresentadora esteve em lançamento da Louis Vuitton Por...

Filhos de um Deus menor

Por: Jorge Eurico     O músico brasileiro...

Para fazer filme, Jennifer Hudson pula do manequim 46 para o 38

Para fazer filme, Jennifer Hudson pula do manequim 46...
spot_imgspot_img

Mostra sobre Lélia Gonzalez vê negros e indígenas como centro da cultura nacional

As escolas de samba do Rio, os blocos afro da Bahia, as congadas de Minas Gerais, as comemorações da Semana Santa e do Natal. O que todas essas celebrações têm...

Aos 105, Ogã mais velho do Brasil, que ajudou a fundar 50 terreiros só no Rio, ganha filme e exposição sobre sua vida

Luiz Angelo da Silva é vascaíno e salgueirense. No mês passado, ele esteve pela primeira vez no estádio de São Januário, em São Cristóvão,...
-+=