MPF disponibiliza material digital de combate ao racismo e a discriminação contra indígenas

Material didático publicado nesta segunda-feira (15) busca contribuir para a redução do preconceito e da violência contra indígenas em Santarém.

Do G1

A versão digital do material didático que traz informações que combatem o preconceito contra povos indígenas foi publicado nesta segunda-feira (15), pelo Ministério Público Federal (MPF), com o objetivo de reduzir o número de ocorrências de racismo e discriminação, que segundo denúncias registradas pelo órgão, têm sido frequentes em ambientes escolares ou em meio a disputas de terras em Santarém.

A produção do material começou a partir de um acordo assinado em outubro do ano passado em Santarém, por representantes do MPF, União, Estado e município, motivado por um processo judicial aberto em 2014, após uma ação do MPF que pediu à Justiça que obrigasse a União, o estado do Pará e o município a promoverem com urgência medidas educativas para combater o racismo contra indígenas em Santarém.

O material mostra como os preconceitos são camuflados através de expressões e pensamentos de que os índios são primitivos, aculturados e preguiçosos e como combater essas ideias que têm promovido a violência contra esses povos.

“Nossos antepassados foram massacrados, dispersaram-se por esses rios e matas para sobreviver, precisaram se esconder. Depois foram proibidos de falar a própria língua, foram obrigados a falar a língua do colonizador e negar a própria identidade. Mas, resistentes, sobrevivemos às tentativas de negar a nossa existência. E apesar dos direitos que hoje nos sãos garantidos, continuamos lutando contra toda forma de preconceito que nos nega a demarcação das nossas terras e a gestão de nossos bens naturais, a saúde diferenciada, a educação escolar diferenciada com qualidade, a autodeterminação política e até mesmo o direito ao pertencimento étnico”, diz trecho do material.

Uma versão impressa com tiragem de 15 mil exemplares será distribuída na rede pública de ensino de Santarém. Já o download desse material pode ser feito por este link.

O material

Assinado pela pedagoga especialista em coordenação pedagógica Iára Elizabeth Sousa Ferreira Arapyun, coordenadora da Educação Escolar Indígena da secretaria municipal de Educação de Santarém, e pelo acadêmico de Direito Cauã Nóbrega da Cruz Borari, professor da Língua Nheengatu, o material também teve colaboração do analista jurídico do MPF em Santarém, Rodrigo Magalhães de Oliveira.

+ sobre o tema

Brasil: pelo fim da intervenção na Comissão de Anistia

Diversas vítimas da ditadura militar brasileira tiveram o pedido...

Com provável contágio sexual nos EUA, zika exige ‘prevenção máxima’, diz infectologista

“Não podemos aguardar um corpo robusto de dados para...

Fenaj repudia programa Brasil Urgente por humilhar negro

Desde o começo desta semana, o vídeo da...

Maioria das mulheres negras não exerce trabalho remunerado, aponta estudo

Menos da metade das mulheres negras brasileiras exerce trabalho...

para lembrar

Agradecimento dos Povos Indígenas pelo ‘tuitaço’ contra a PEC 215

Na manhã desta quarta-feira (3) uma mobilização nas redes...

A revolução cultural exposta em ‘Juventude Conectada’

Série será exibida na próxima semana, de segunda-feira (18/07)...

ONU Mulheres seleciona, até 11/6, jornalista com conhecimento em gênero, raça e etnia

Profissional será responsável pelo refinamento, articulação de parcerias e...

GPS revela trajeto de carro da PM onde estava Amarildo

Jornal Nacional teve acesso com exclusividade às informações.Nesta quarta-feira...
spot_imgspot_img

Curso introdutório de roteiro para documentário abre inscrição

Geledés Instituto da Mulher Negra está promovendo formações totalmente online para jovens negres em todo o Brasil. Com um total de 6 formações independentes...

Desenrola para MEI e micro e pequenas empresas começa nesta segunda

Os bancos começam a oferecer, a partir desta segunda-feira (13), uma alternativa para renegociação de dívidas bancárias de Microempreendedores Individuais (MEI) e micro e...

“Geledés é uma entidade comprometida com a transformação social”, diz embaixador do Brasil no Quênia

Em parceria com a Embaixada do Brasil no Quênia, Geledés - Instituto da Mulher Negra promoveu nesta sexta-feira 10, o evento “Emancipação Econômica da...
-+=