‘Não desejo a dor que estou sentindo para ninguém’, diz irmã de Anna Carolina, menina morta por bala perdida no sofá de casa

Ana Beatriz Pontes, estudante de serviço social, de 21 anos, não sabe como lidar com a morte da irmã, a menina Anna Carolina, de 8 anos, atingida por uma bala perdida na cabeça enquanto assistia televisão com a família na sala de casa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O tiro que acertou a garotinha, nesta quinta-feira, entrou pelo telhado de amianto, passou pelo forro de PVC, cruzou uma porta e ainda resvalou na parede antes de matar Anna.

Por Cecília Vasconcelos, do Extra

Geledés

Além de enfrentar a própria dor, a universitária tem buscado dar suporte à mãe, Ana Claudia Souza, após a tragédia. Em uma rede social, Ana Beatriz disse ainda não acreditar no que aconteceu.

“Eu não estou conseguindo acreditar e não sei de onde tirar forças para segurar a minha mãe”, escreveu a jovem. Ana completa dizendo que não deseja à ninguém a dor que sente pela morte da irmã.

Em outra publicação, a estudante revela que Anna Carolina era uma “menina alegre, inteligente, e carismática”. Em seguida, Ana declara o forte sentimento que nutria pela irmã: “O grande amor da minha vida! Você veio para trazer coisas incríveis para nossas vidas, meu bebê. Fica bem, a irmã vai te amar para todo sempre”.

Em uma das últimas postagens, a universitária agradeceu o apoio e as mensagens recebidas: “Gente, não vou conseguir responder a todos. Mas quero agradecer do fundo do coração a cada um. A minha irmã tinha uma missão aqui na Terra, e ela cumpriu. Trouxe alegria, aprendizado e muito amor para todos que a amavam. Obrigada mesmo’, finalizou.

O local e horário do enterro da menina Anna Carolina ainda será definido pela família.

+ sobre o tema

Representatividade negra importa

Frederick Douglass, W.E.B Du Bois, Rosa Parks, Toni Morrison, Audre Lorde,...

para lembrar

“Mate o Mc DaLeste”: O perigo da intolerância cultural

Game permite assassinar o funkeiro. “Comemorar a morte de...

Amarildo, jamais te esqueceremos! A Criminalização da pobreza

A polícia protege o patrimônio do grande capital...

Der Spiegel: PM carioca é pior que as gangues

  “Pior do que gangues”. Esta é a...
spot_imgspot_img

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Massacre de Paraisópolis: policiais militares têm segunda audiência

O Tribunal de Justiça de São Paulo retoma, no início da tarde desta segunda-feira (18), o julgamento dos 12 policiais militares acusados de matar...

Câmara do Rio de Janeiro promove encontro entre familiares de vítimas da violência do Estado

Pela primeira vez, a Câmara Municipal do Rio de Janeiro promoveu o “Café das Fortes” que reúne mães e familiares de vítimas do genocídio...
-+=