Nós, Madalenas: uma palavra pelo Feminismo

Maria Ribeiro é a fotográfa responsável por transformar em realidade o projeto “Nós, Madalenas”: uma série fotográfica que tem como proposta convidar mulheres de diferentes contextos, corpos e vivências para que escolham uma palavra que simbolize o que o Feminismo representa em suas vidas.

Por Jarid Arraes

 

Entre termos como “cura”, “resiliência” e “sororidade”, diversas mulheres posam para Ribeiro e compartilham um pouco do que o Feminismo significa nas suas vidas. “O projeto tem por objetivo expressar, através da arte, o que a luta pelo direito de ser mulher representa e o que os movimentos que têm unido as mulheres para criar força e transformar esse quadro representam na vida de cada uma – e, consequentemente, na sociedade. Os movimentos feministas vêm deixando traços na humanidade por décadas e constituem um instrumento pelo qual as mulheres podem ter uma voz, e essa voz deve expressar-se das mais diversas formas”, explica a fotógrafa.

Para Ribeiro, a ideia do projeto veio, primeiro, como uma forma de compartilhar sua própria vivência enquanto mulher. “Cada uma de nós traz em si uma série de cicatrizes provindas do convívio em uma sociedade com valores de gênero tão desiguais como a nossa”, pontua. “Como artista, acredito que minha função é expressar através da arte os sentimentos, expressões, questões, angústias e movimentos que vejo e capto ao meu redor”.

A ideia é realizar retratos individuais, portrait, em preto e branco, inicialmente de cem mulheres. Tudo sem qualquer tratamento de imagem para remover manchas, estrias ou formas dos corpos femininos. Essa é, aliás, uma questão muito importante na iniciativa, desafiando os padrões de beleza e as regras absurdamente irreais impostas às mulheres. Segundo Ribeiro, a intenção é mostrar apenas e simplesmente o natural,, como conceito físico e antropológico de aceitação de gênero.

 

A fotógrafa planeja expandir o projeto e conquistar mais espaço, saindo por mais cidades e lugares diferentes e sempre garantindo a maior diversidade possível de mulheres participantes. “Sinto sinceramente que é uma mensagem que precisa ser passada e, pelo resultado, pelas conversas que tenho com as fotografadas, por tudo o que está sendo movimentado através dele, sinto que cada palavra escrita no corpo é um grito de protesto, de vitória e de desafio. Isso está latente em cada uma das mulheres e essa possibilidade de expressão é, na minha opinião, extremamente valiosa”.

No fim das contas, “Nós, Madalenas” é muito mais do que uma série de fotografias em preto e branco, pois alcança homens e mulheres e incentiva a reflexão sobre o significado complexo e profundo de cada palavra pintada nos corpos registrados em imagens. Cada foto é também uma oportunidade única para as mulheres participam do projeto. “Mulheres comuns, que não têm experiência com a câmera, que não têm necessariamente o biotipo que a mídia dita que as mulheres supostamente deveriam ter, trazem uma dose de verdade e de coragem tão intensas que o resultado tem superado as minhas expectativas: imagens que mostram sensibilidade, força, coragem”, compartilha Ribeiro.

 

Fonte: Revista Fórum

+ sobre o tema

Carmen Costa

Carmelita Madriaga, conhecida como Carmen Costa, (Trajano de Morais,...

GOVERNO DE MINAS GERAIS AMEAÇA QUILOMBOLAS RIBEIRINHOS

  O Governo do Estado de Minas Gerais...

Beyoncé é eleita melhor artista de turnês da década

Beyoncé foi eleita pela Polltstar, revista norte-americana de entretenimento,...

Como africanos usam a arte para gerar renda e cultivar tradições

O Nova África desvendou o artesanato africano e mostrou...

para lembrar

Benfica chega a acordo com Chelsea por Ramires, afirma jornal português

Blues devem pagar € 22 milhões pelo ex-jogador do...

Reparação da escravidão nos Estados Unidos: O processo já começou

Boston (Estados Unidos) – A alaiONline está publicando, na Categoria...
spot_imgspot_img

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...
-+=