Nós, Madalenas: uma palavra pelo Feminismo

Maria Ribeiro é a fotográfa responsável por transformar em realidade o projeto “Nós, Madalenas”: uma série fotográfica que tem como proposta convidar mulheres de diferentes contextos, corpos e vivências para que escolham uma palavra que simbolize o que o Feminismo representa em suas vidas.

Por Jarid Arraes

 

Entre termos como “cura”, “resiliência” e “sororidade”, diversas mulheres posam para Ribeiro e compartilham um pouco do que o Feminismo significa nas suas vidas. “O projeto tem por objetivo expressar, através da arte, o que a luta pelo direito de ser mulher representa e o que os movimentos que têm unido as mulheres para criar força e transformar esse quadro representam na vida de cada uma – e, consequentemente, na sociedade. Os movimentos feministas vêm deixando traços na humanidade por décadas e constituem um instrumento pelo qual as mulheres podem ter uma voz, e essa voz deve expressar-se das mais diversas formas”, explica a fotógrafa.

Para Ribeiro, a ideia do projeto veio, primeiro, como uma forma de compartilhar sua própria vivência enquanto mulher. “Cada uma de nós traz em si uma série de cicatrizes provindas do convívio em uma sociedade com valores de gênero tão desiguais como a nossa”, pontua. “Como artista, acredito que minha função é expressar através da arte os sentimentos, expressões, questões, angústias e movimentos que vejo e capto ao meu redor”.

A ideia é realizar retratos individuais, portrait, em preto e branco, inicialmente de cem mulheres. Tudo sem qualquer tratamento de imagem para remover manchas, estrias ou formas dos corpos femininos. Essa é, aliás, uma questão muito importante na iniciativa, desafiando os padrões de beleza e as regras absurdamente irreais impostas às mulheres. Segundo Ribeiro, a intenção é mostrar apenas e simplesmente o natural,, como conceito físico e antropológico de aceitação de gênero.

 

A fotógrafa planeja expandir o projeto e conquistar mais espaço, saindo por mais cidades e lugares diferentes e sempre garantindo a maior diversidade possível de mulheres participantes. “Sinto sinceramente que é uma mensagem que precisa ser passada e, pelo resultado, pelas conversas que tenho com as fotografadas, por tudo o que está sendo movimentado através dele, sinto que cada palavra escrita no corpo é um grito de protesto, de vitória e de desafio. Isso está latente em cada uma das mulheres e essa possibilidade de expressão é, na minha opinião, extremamente valiosa”.

No fim das contas, “Nós, Madalenas” é muito mais do que uma série de fotografias em preto e branco, pois alcança homens e mulheres e incentiva a reflexão sobre o significado complexo e profundo de cada palavra pintada nos corpos registrados em imagens. Cada foto é também uma oportunidade única para as mulheres participam do projeto. “Mulheres comuns, que não têm experiência com a câmera, que não têm necessariamente o biotipo que a mídia dita que as mulheres supostamente deveriam ter, trazem uma dose de verdade e de coragem tão intensas que o resultado tem superado as minhas expectativas: imagens que mostram sensibilidade, força, coragem”, compartilha Ribeiro.

 

Fonte: Revista Fórum

+ sobre o tema

Deputada Leci Brandão homenageia mulheres com Medalha Theodosina Ribeiro

Aconteceu na ultima segunda-feira (28) a entrega da Medalha...

Núcleo da Unicamp abre inscrições para o concurso “Grafite Feminista”

O Núcleo de Estudos de Gênero Pagu, da Unicamp,...

Dilma sofre “estupro político”, diz filósofa

A filósofa e escritora Márcia Tiburi afirmou o que...

Lista: as seis mulheres reunidas na série ‘Filósofas brasileiras’

No imaginário popular, não é raro que a primeira...

para lembrar

Mulheres

As brasileiras ocuparam as ruas e as redes sociais...

Conferência debate a inserção do negro no mundo esportivo

próxima terça-feira, dia 25, a III Conferência Nacional...

Viola Davis é homenageada com prêmio feminista no ‘Critics’ Choice Awards’

Na madrugada de domingo (11) para segunda (12) foi...

Casa de Portugal – 15 de setembro – 80 anos da Frente Negra Brasileira

Reunião interna da Frente Negra Brasileira, São Paulo, ca....
spot_imgspot_img

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...

“O Itamaraty me deu uma bofetada”, diz embaixadora Isabel Heyvaert

Com 47 anos dedicados à carreira diplomática, a embaixadora Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert não esconde a frustração. Ministra de segunda classe, ela se...
-+=