ONU apoia cinema do futuro em comemoração aos 20 anos de Durban

Formação idealizada para ampliar o acesso de jovens historicamente discriminados ao cinema conta com o apoio da Organização das Nações Unidas e abre 250 vagas para jovens de todo território nacional. Participação é gratuita para as/os jovens!

O ano de 2021 marca os 20 anos da 3ª Conferência Mundial contra Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerâncias Correlatas, realizada em Durban, na África do Sul. O ano marca também a criação do Cinema do Futuro (CDF) como uma iniciativa que se propõe a articular ideias mais igualitárias e anti-racistas em prol de um futuro em que as pessoas negras e/ou em vulnerabilidade social tenham o poder da câmera e elas mesmas possam construir suas narrativas de vida. As inscrições para a segunda edição do CDF acontecerão de 04 a 08 de outubro de 2021.Diante deste cenário, a ONU atua como corealizadora da atividade de formação, “Cinema do Futuro”, idealizado e realizado pela Produtora PrasCabeças, que reuniu em 2021 (entre os meses de junho e agosto) grandes artistas do cinema brasileiro – nomes que fazem na contemporaneidade o cinema que se quer rumo ao futuro – em encontros virtuais gratuitos voltado para jovens negros, indígenas, trans, mulheres e jovens periféricos, entre 13 a 20 anos. A formação é liderada pelo ator Fabrício Boliveira (Produtora PrasCabeça) em parceria com a jovem Yasmin Boliveira (17 anos).

Em relação à primeira edição, a parceria com o Sistema ONU  possibilitou ampliar o número de vagas para um total de 250. Os encontros serão realizados pela plataforma ZOOM e as inscrições por meio do : Instagram da produtora @prascabecasprodutora e do ator @fabricioboliveira.

O encontro global, realizado em setembro de 2001, ficou marcado pelas expectativas geradas por uma união mundial contra todas as formas de racismo e intolerância. Vinte anos depois, apesar da frustração, foi essa mesma Conferência que possibilitou, em partes, a luta pelo fim do racismo chegar à debates públicos e erradicação do silêncio instaurado pelo colonialismo. Negros e negras, principalmente das periferias, fortaleceram a constante luta dos movimentos negros e não mais aceitaram se silenciar.

E, foi a partir desse não silenciamento e inquietude que nasceu o Cinema do Futuro. O ator Fabrício Boliveira identificou a dificuldade da irmã – Yasmin Boliveira – de 17 anos, em ter acesso ao cinema nas bases sociais de que acredita. Juntos então deram início à iniciativa gratuita voltada para jovens entre 13 e 20 anos, prioritariamente negros, indígenas, trans, e jovens em situação de vulnerabilidade social. Nesta segunda edição, as inscrições contemplarão o território nacional, onde serão distribuídas 250 vagas, com duração de 45 dias, em 2021.

“É preciso consolidar a participação dos artistas negros na indústia de forma efetiva e nos mais variados espaços. A representatividade que se diz hoje ainda é no campo das ideias, mais no desejo do que se vê no dia a dia e nas consequências sociais na vida dessas pessoas. O cinema do Futuro quer construir caminhos, a partir das referências que temos, para que esses artistas possam crescer pessoal e profissionalmente”. – Afirma Fabrício Boliveira

Os encontros proporcionados pelo CDF trazem a ideia do que faz cada profissional envolvido na construção de um filme, conhecimento técnico e experiências pessoais de cada instrutor que se disponibilizou ao projeto. Dentre eles, estão Glenda Nicácio [diretora de Café com Canela], falando sobre direção de arte; Everlane Moraes [documentarista], sobre direção; Ana Flávia Cavalcanti [atriz], do RJ, falando sobre atuação; Diana Moreira, uma figurinista de Salvador, produtora de Breve Miragem do Sol [filme com atuação de Fabrício e direção de Eryk Rocha] e na citação tem Eryk Rocha e os irmãos Carvalho. E, para além do que já vem sendo feito, nesta edição, os alunos terão um módulo sobre a 3ª Conferência Mundial em Durban para que possam refletir a importância da atuação daqueles que foram fundamentais na transformação de ações afirmativas em agendas político-sociais, que acontecerá no dia 15 de outubro de 2021, transmitido pelo Youtube e aberto ao público.

Como resultado final dos encontros, serão apresentados, de forma colaborativa, cinco vídeos sobre Durban, construídos coletivamente ao longo das semanas de formação do CDF.

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE.

+ sobre o tema

Álbum solo “Boogie Naipe” do Mano Brown é indicado ao Grammy Latino

Após anos de muita expectativa, o álbum de estreia...

Conheça Filhas do Pó, primeiro filme de uma cineasta negra distribuído nos Estados Unidos

Se Filhas do Pó fosse uma grande produção hollywoodiana,...

Conheça os nomes que deverão causar na cena musical em 2018

Entre IZA e Karol Conka, veja cinco artistas que...

Kendrick Lamar coloca soldados para marchar contra o racismo no Grammy 2018

Kendrick Lamar foi um dos grandes destaques da noite...

para lembrar

ONU celebra Dia da Visibilidade de Mulheres Lésbicas e Bissexuais

Campanha destaca contribuição destas mulheres para a sociedade e...

Kofi Annan, o eterno líder das Nações Unidas

O legado de Annan não deve ficar apenas arquivado,...

Quénia ou Djibuti: Quem entra no Conselho de Segurança da ONU?

Durante a primeira ronda de votação decorrida nesta quarta-feira...
spot_imgspot_img

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU em Genebra, na Suíça, com três principais missões: avançar nos debates...

Projeto SETA promove eventos no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU 

Entre os dias 16 e 18 de abril, o Projeto SETA, iniciativa cujo objetivo é transformar a rede pública escolar brasileira em um ecossistema de qualidade...

Conselho de direitos humanos aciona ONU por aumento de movimentos neonazistas no Brasil

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), órgão vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, acionou a ONU (Organização das Nações Unidas) para fazer um alerta...
-+=