Oxfam apresenta relatório sobre desigualdade social em fórum mundial

O documento da Oxfam aponta a taxação de super-ricos como uma das ferramentas mais importantes para reduzir a desigualdade social, que voltou a crescer e afeta mais de 62 milhões de pessoas somente no Brasil

Desde 2020, o 1% mais rico do mundo adquiriu seis vezes mais dinheiro do que 90% da população global. Os dados são do novo relatório da Oxfam A “Sobrevivência” do mais rico – por que é preciso tributar os super-ricos agora para combater as desigualdades, divulgado nesta segunda-feira (16) no Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, na Suíça.

O evento anual reúne a elite econômica e política do mundo para discutir diversos assuntos globais; neste ano, a Oxfam participa do encontro para garantir que o combate à extrema pobreza e às desigualdades esteja em pauta. A Oxfam é uma organização da sociedade civil que atua em prol do combate às desigualdades, com foco em quatro áreas: Justiça Rural e Desenvolvimento, Justiça Social e Econômica, Justiça Racial e de Gênero, e Justiça Climática e Amazônia.

Para a presidente da Oxfam Brasil, Kátia Maia, a participação da sociedade civil no evento é fundamental para demonstrar que somente a visão dos Estados e setores econômicos não são o suficiente para combater os desafios enfrentados pela população. “Temos que contribuir com esse debate e seguir pressionando para que esses setores adotem medidas para realmente enfrentar a urgência, eliminar essa concentração de riqueza e ter um mundo mais distributivo”.

Pela primeira vez em 30 anos, a extrema pobreza e a extrema riqueza cresceram de forma paralela. O relatório destaca que a comunidade global está vivendo um momento sem precedentes, de múltiplas crises. E enquanto a população é afetada por colapsos climáticos, altos níveis de pobreza e epidemias, como a de Covid-19, o 1% mais rico da humanidade se apropriou de mais da metade de toda a nova riqueza global.

A Oxfam defende a maior tributação de pessoas ricas e empresas como forma de saída da crise, tendo como base o seguinte cálculo: um imposto sobre a riqueza de 2% aplicado aos milionários do mundo, um de 3% àqueles com patrimônio acima de 50 milhões de dólares e outro de 5% aos bilionários poderia arrecadar 1,7 trilhão de dólares anualmente. O valor é suficiente para tirar 2 bilhões de pessoas da pobreza, financiando programas de combate à fome e recuperação de danos causados pelo colapso climático e promovendo o acesso à saúde e proteção social. O cálculo foi feito em conjunto com Institute for Policy Studies, Patriotic Millionaires e Fight Inequality Alliance, a partir de dados da Wealth-X e da Forbes.

NÚMERO DE BRASILEIROS QUE VIVEM NA EXTREMA POBREZA BATE RECORDE

O Brasil é um dos únicos países no mundo que não tributa lucros e dividendos, fazendo com que as pessoas mais ricas paguem proporcionalmente menos impostos que grande parte da população. São 284 bilionários no país, segundo a revista Forbes. Por outro lado, um relatório do IBGE aponta que existem 62,5 milhões de brasileiros vivendo em situação de extrema pobreza.

O relatório está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, com ênfase no ODS 1 – Erradicação da pobreza e ODS 10 – Redução das desigualdades.

+ sobre o tema

Legal, seguro e raro

SOLICITAMOS SUA ASSINATURA DE APOIO A ESSA MANIFESTO PARA...

Supremo retoma hoje julgamento sobre aborto de anencéfalos

Brasília – O julgamento que decidirá se mulheres poderão...

Taxa de desemprego de negros na Grande SP sobe para 19,4% em 2016, diz Dieese

Desemprego entre não negros subiu para 15,2%. Taxa entre...

18 anos de impunidade: a seletividade penal na Justiça brasileira

Família de Sebastião Camargo, trabalhador sem terra assassinado em...

para lembrar

Denúncias de violência contra idosos aumentam mais de 100% no Rio

Ministério Público do estado recebeu 1.406 casos de agressão...

Mortes sobem em Estados onde verba de segurança caiu

Taxa de homicídios dolosos (com intenção) subiu em GO,...

Mulheres negras na resistência e mobilização por direitos humanos

O lançamento do relatório anual "O Estado dos Direitos...

El Pais, maior jornal da Espanha, prepara o fim das edições em papel

“No ‘El País’, decidimos não apenas não ter medo...
spot_imgspot_img

Curso introdutório de roteiro para documentário abre inscrição

Geledés Instituto da Mulher Negra está promovendo formações totalmente online para jovens negres em todo o Brasil. Com um total de 6 formações independentes...

Desenrola para MEI e micro e pequenas empresas começa nesta segunda

Os bancos começam a oferecer, a partir desta segunda-feira (13), uma alternativa para renegociação de dívidas bancárias de Microempreendedores Individuais (MEI) e micro e...

“Geledés é uma entidade comprometida com a transformação social”, diz embaixador do Brasil no Quênia

Em parceria com a Embaixada do Brasil no Quênia, Geledés - Instituto da Mulher Negra promoveu nesta sexta-feira 10, o evento “Emancipação Econômica da...
-+=