Pessoas trans e indígenas passam a contar com cotas em concursos no Rio Grande do Sul

Enviado por / FonteDo Brasil de Fato

Segundo o Executivo, as cotas levam em consideração a violação dos direitos e exclusão das populações beneficiadas

O Rio Grande do Sul passa a contar com cotas para pessoas trans e população indígena em concursos públicos estaduais. O decreto do governo estadual foi assinado na tarde desta segunda-feira, em cerimônia realizada nesta segunda-feira (6). O texto será publicado em edição extra do Diário Oficial do Estado da última terça-feira (7). 

Para o assessor de projetos do Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN), Marcos Kaingang o decreto é uma reparação histórica aos povos indígenas diante do contexto de vulnerabilidade econômica e social e consequente desigualdade na concorrência de concursos públicos.

“É a materialização de uma conquista histórica dos povos indígenas do Rio Grande do Sul e do Brasil, que tanto lutaram para construir esse país e, historicamente, sempre foram excluídos dos espaços de gestão e trabalho”, disse.

A representante da população trans, coordenadora do projeto Oportunizar Rede Trans Brasil, Ana Pala Sander, destacou que as cotas são fundamentais do ponto de vista civilizatório e farão a diferença no mercado de trabalho.

“Para nós, é um privilégio que o nosso estado leve essa proposta adiante, principalmente para a população trans, sempre excluída. Torcemos para que este seja um exemplo para outros estados, pois não é apenas interesse das comunidades, mas do público e da sociedade como um todo”, apontou. 

De acordo com o Executivo estadual, a criação das cotas, com percentual de 1% das vagas, leva em consideração o histórico de violação dos direitos e exclusão extrema dos povos indígenas e comunidade trans, principalmente nas funções públicas. O decreto também ampliará as cotas para os contratos temporários e, quando cabível, para as seleções de estágio, sem alterar o percentual de cotas já existentes para negros (16%) e pessoas com deficiência (10%).

O governo do estado destaca que o decreto encontra respaldo no parecer da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) nº 19.050, que aponta que a média de vida da população trans é de 35 anos, metade da média da população brasileira em geral. Além disso, o Brasil é o país no qual mais pessoas trans são assassinadas. 

O parecer nº 19.051 da PGE indica que, em relação aos povos indígenas, o tratamento recebido tem sido marcado por diversas formas de violência por parte da sociedade. Grande parte dos indígenas do Rio Grande do Sul vive em situação de extrema vulnerabilidade social e econômica, e o número de terras indígenas regularizadas no estado é baixo.

“Essas cotas têm caráter reparatório, simbólico, e de impacto na vida dessas populações, mas também são fundamentais para o crescimento do ponto de vista civilizatório, para que as pessoas aprendam a conviver com as diferenças”, disse o governador Eduardo Leite (PSDB).

A secretária da Igualdade, Cidadania, Direitos Humanos e Assistência Social, Regina Becker, salientou que está é uma ação afirmativa de grande alcance para essas comunidades vulneráveis e excluídas que, com a pandemia e a crise financeira e política, se tornaram mais vulneráveis e mais excluídas.

“Sabemos a situação em que se encontram, na atualidade, as pessoas para quem a vida, neste país, nunca foi fácil. Os indígenas, os negros, a população trans, os homossexuais, os idosos, as pessoas com deficiência, as mulheres vítimas de violência doméstica… A lista é grande”, frisou, ressaltando a necessidade de combater a intolerância.

Para o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha, a política afirmativa representa um marco fundamental no Estado democrático brasileiro. “Cria o espaço devido para pessoas trans e indígenas, sem prejuízo de nenhuma outra população que já tenha direito à cota e da concorrência geral. Traz a correção e o resgate histórico, com segurança jurídica absoluta. O verdadeiro cumprimento da norma constitucional”, reforçou.

Também compareceram ao ato de assinatura os secretários Artur Lemos Júnior (Casa Civil), Mauro Hauschild (Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo), Beatriz Araujo (Cultura) e Tânia Moreira (Comunicação), o procurador Henrique Zandoná e o procurador Setorial da PGE Lourenço Orlandini. Também representaram a população indígena no ato a cacica Acuab e o vice-cacique Sérgio Senake, do povo Charrua, e o cacique José Cirilo e indígenas Guarani Mbya do Tekoá Anhetengua.

+ sobre o tema

“Meu nome é Sadiq Khan e sou o prefeito de Londres”

Filho de imigrantes, ele promete transformar a capital em...

“É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”

Quem ama as liberdades democráticas que se mire em...

Peritos das Nações Unidas avaliam condições de vida dos africanos em Portugal

Por: António Pereira Neves Genebra, 14 mai...

Boaventura: “chegou a hora de uma nova esquerda”

Golpe no Brasil revela revanchismo das elites – mas...

para lembrar

Presença de negros e mulheres nas empresas aumenta, mas salários ainda são pelo menos um terço menores

Companhias promovem ações de inclusão para ampliar a participação...

‘Sense8’, série da Netflix, terá cenas gravadas em São Paulo durante a Parada do Orgulho LGBT

Os fãs paulistanos de Sense8 podem comemorar. Em breve a cidade...

A era do reconhecimento

“Entre a esquerda e a direita, continuo preta”. A...

Não entraria em avião pilotado por cotista?

"Responda com sinceridade, leitor. Você entraria confortavelmente num avião conduzido por alguém que, pelo fato de pertencer à minoria desfavorecida, recebeu um empurrãozinho na...

Inscritos no Concurso Nacional Unificado têm até hoje para pagar taxa

Dos 2,65 milhões de candidatos inscritos no Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), 1 milhão ainda não realizou o pagamento, segundo o Ministério da Gestão...

‘Enem dos concursos’: precisa alterar o cadastro? Prazo para mudanças e inscrições termina nesta sexta-feira

As inscrições para o Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), o "Enem dos Concursos", terminam nesta sexta-feira (9). O prazo é o mesmo para quem deseja fazer...
-+=