A questão negra em Machado de Assis

Em 2003 é aprovada na Constituição Brasileira a lei 10.639, que obriga o ensino de História e Cultura da África, dos afrobrasileiros e indígenas no Brasil. Tal lei, que discorre apenas sobre a prática do ensino de base, ignora que é preciso que haja formação superior para todos os professores e profissionais da educação que serão responsáveis pela implementação, na prática, dessa lei.

O problema torna-se concreto quando se debruçam os olhos sobre os currículos em todos os cursos de humanas, onde ainda que hajam matérias obrigatórias sobre esses temas, estão muito longe de agregar o conjunto dos problemas (e soluções) necessários para que se eduquem jovens e crianças com consciência da trajetória dos negros e indígenas no Brasil.

Autores fundamentais da literatura brasileira, como Lima Barreto e Crus e Souza, por vezes são ignorados nos currículos de literatura e ciências humanas, e quando tratados, como no caso de Machado de Assis, escolhe-se ignorar que sua posição enquanto negro e retirar esse importante fato sociológico da análise de suas obras.

No Grupo de Estudos Cultura e Marxismo da USP, decidimos desenvolver reflexões sobre tais autores com a perspectiva de criar visibilidade em torno de suas obras e também de compreender o desenvolvimento do combate à ideologia racista presentes em cada um deles.

Em nossa próxima reunião, com convite especial aos trabalhadores de dentro e fora da USP, discutiremos o conto “Pai Contra Mãe”, de Machado de Assis, que poderia ser considerado um marco demonstrador do impacto das lutas por libertação dos negros na intelectualidade brasileira, assim como um importante recurso documental na contestação da tese da democracia racial, fundada a partir das análises sociológicas desenvolvidas por Gilberto Freyre, onde a relação entre negros e brancos teria sido de um “racismo cordial”, desmentido bravamente pela leitura desse conto de Machado.

+ sobre o tema

Direitos Humanos para quem?

Na última sexta-feira, 26 de fevereiro, foi inaugurada, no...

E as nossas crianças negrxs da periferia?

Atualmente, nos últimos dias, viemos acompanhando no noticiário, em...

Artigo: 13 de maio, Dia da (NÃO) Abolição da Escravatura

O 13 de maio de 1888, apesar de marcar...

Xangô chegou chegando – Por Lelê Teles

“Ai, São João, Xangô menino” Gil e Caetano No arraial...

para lembrar

Novo DVD de Beyoncé terá cenas dos shows no Brasil.

  O novo DVD da superstar Beyoncé já está pronto...

Dilma e Marta discutem futuro do futebol feminino

Melhor jogadora de futebol do mundo pela 5º vez...

Bukassa Kabengele: “O Brasil ainda não conhece a música africana”

Dono de uma fala calma, Bukassa sorri ao cantar...

Em 59 minutos, Venus Williams vence primeiro jogo em Wimbledon

mericana passa fácil por tenista do Uzbequistão na quadra...
spot_imgspot_img

Conceição Evaristo é eleita a nova imortal da Academia Mineira de Letras

A escritora Conceição Evaristo, 77, foi eleita nesta quinta (15) membro da Academia Mineira de Letras, na cadeira número 40, já ocupada por Afonso Pena Júnior e...

Conheça o livro ‘Um Defeito de Cor’, mais vendido online depois de enredo da Portela

Tema do enredo deste ano da Portela, o livro "Um Defeito de Cor", lançado em 2006 pela escritora mineira Ana Maria Gonçalves, alcançou, nas últimas...

Veja os novos livros infantis de Edimilson de Almeida Pereira e Cidinha da Silva

Diz o ditado que Exu matou um pássaro ontem com uma pedra que só jogou hoje. É mais ou menos isso o que faz Cidinha da Silva com...
-+=