segunda-feira, novembro 23, 2020

    Tag: cotas na universidade

    (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

    ‘Me sinto um lixo, invisibilizada’, diz estudante que denuncia fraude em cotas na Ufba

    Irregularidade teria ocorrido no processo seletivo dos estudantes do BI para o curso de Medicina Por Gabriel Amorim, do Jornal CORREIO  (Foto: Reprodução/ TV Bahia) “Eu me sinto um lixo, invisibilizada, negligenciada.” As palavras são da estudante que denunciou, nessa terça-feira (4), uma suposta fraude no sistema de cotas no acesso de alunos egressos do Bacharelado Interdisciplinar (BI) ao curso de Medicina, do campus de Vitória da Conquista, da Universidade Federal da Bahia (Ufba). A estudante, que não quis ser identificada, alega, em denúncia protocolada na ouvidoria da universidade, que a fraude ocorreu na categoria de cotas A, que é destinada a candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas. No texto, ao qual o CORREIO teve acesso, ela diz que as alunas aprovadas nas duas vagas reservadas para a cota não teriam direito ao benefício. ...

    Leia mais
    Imagem : Reprodução

    Lei de Cotas aumenta em 39% o número de negros nas federais

    Foram pesquisadas 104 instituições federais do ensino superior, entre universidades e institutos Texto / Lucas Veloso -  Edição / Pedro Borges no Alma Preta Imagem : Reprodução Um levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) constatou que a Lei de Cotas fez crescer o número de alunos pretos, pardos e indígenas nas instituições públicas de ensino superior. O aumento foi de 39% entre os anos de 2012 e 2016. Os estudantes auto-declarados pretos, pardos e indígenas eram 27,7% dos ingressantes em 2012. Quatro anos depois, chegaram a 38,4% do total. Se for levar em conta os que vieram de escola pública, baixa renda e negros ou indígenas, o aumento foi de 37%. Essa foi a população mais beneficiada, de acordo com o levantamento. A Federal do Ceará (UFC) com 135%, seguida pela Federal de Santa Catarina (UFSC), com 120% foram as que ...

    Leia mais
    Juarez Tadeu de Paula Xavier, membro da comissão que verifica a cor dos alunos aprovados pelo sistema de cotas na Unesp Imagem: Vinicius Martins/Alma Preta

    Unesp expulsa 27 estudantes por fraude no sistema de cotas

    A Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) irá expulsar 27 alunos que fraudaram o sistema de cotas. Eles se autodeclararam como pretos ou pardos, mas a declaração não foi aprovada pela comissão de verificação da universidade. O Conselho Universitário foi informado nesta quinta-feira (13) pelo vice-reitor, Sérgio Nobre, e os nomes dos estudantes serão publicados nesta sexta no Diário Oficial do Estado de São Paulo. por Leonardo Martins no UOL Juarez Tadeu de Paula Xavier, membro da comissão que verifica a cor dos alunos aprovados pelo sistema de cotas na Unesp Imagem: Vinicius Martins/Alma Preta A primeira denúncia partiu do Educafro, cursinho voltado para estudantes de baixa renda, em 2016, quando ex-alunos do cursinho que cursavam a Unesp começaram a denunciar possibilidades de fraudes nas autodeclarações. Esse é o primeiro desligamento de alunos por fraudarem o sistema de reserva de vagas após a inauguração da comissão ...

    Leia mais
    Foto- Divulgação : Alerj

    Alerj prorroga sistema de cotas por mais dez anos

    Em discussão única nesta terça-feira (11), a Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) aprovou o projeto de lei 4.205/18, que prorroga por mais dez anos o sistema de cotas para os cursos de graduação nas universidades públicas estaduais do Rio de Janeiro. no Destak Jornal Foto- Divulgação : Alerj O texto, que vai para sanção do governador Luiz Fernando Pezão, reserva 20 % das vagas para negros, indígenas e oriundos de comunidades quilombolas, outras 20% para alunos que cursaram o ensino médio inteiro na rede pública e mais 5% para pessoas com deficiência e filhos de policiais civis e militares, bombeiros militares e inspetores de segurança e administração penitenciária mortos ou incapacitados durante o serviço. Ainda de acordo com o projeto de lei aprovado na Alerj, o Estado fica obrigado a pagar bolsa auxílio de de meio salário mínimo aos alunos que ingressarem nas faculdades por meio do ...

    Leia mais
    imagem: Brasil 247

    João Santos Costa se forma em medicina e lembra momento importante da inclusão social

    João Santos Costa, jovem negro do povoado Sítio Alto, do município de Simão Dias, entregou o convite de formatura aos seus pais. Costa irá se formar em medicina dentro de algumas semanas. O formando é uma testemunha sobrevivente que contribui para a reflexão sobre a necessidade de ações afirmativas e de reparação de direitos, como a Lei de Cotas. O aumento da presença de jovens negros nas universidades durante os governos democráticos no decênio 2003-2013 foi de 287%, ainda muito distante do peso relativo dos negros no conjunto da população. no Al Noticias Sul Filho de lavradores e quilombola, João é o novo médico João Costa, de 24 anos, é uma verdadeira história de superação, pra inspirar! Quilombola, como se autointitula, ele acaba de concluir os estudos de medicina e será o novo médico do Povoado Sítio Alto, em Simão Dias, Sergipe. “Negro, quilombola, filho de lavradores, nascido ...

    Leia mais

    ITA adota cota para negros já no vestibular deste ano!!!

    O ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), de São José dos Campos, adotará cotas para negros a partir do Vestibular 2019, que abre inscrições em agosto. Das 110 vagas oferecidas pela instituição, 22 serão reservadas para estudantes negros aprovados no processo de seleção –o que corresponde a 20% do total. A reserva foi adotada após o STF (Supremo Tribunal Federal) ter reconhecido, em abril, a obrigatoriedade da aplicação da Lei de Cotas também nos concursos das Forças Armadas. no Taiada Web O ITA foi criado pela Aeronáutica em janeiro de 1954 e é uma das instituições de ensino superior mais concorridas do país. As vagas disponibilizadas este ano foram disputadas por 9.474 estudantes. Outros 1.661 participaram do vestibular como treineiros. O ITA recebe inscrições para o Vestibular 2019 entre os dias 1º de agosto e 15 de setembro. A partir deste ano, pela primeira vez, o processo seletivo terá um novo formato e será realizado ...

    Leia mais
    UnB foi a primeira universidade federal a adotar sistema de cotas raciais UnB reserva vagas para negros desde o vestibular de 2004 Percentual de negros com diploma cresceu quase quatro vezes desde 2000, segundo IBGE

    Cotas foram revolução silenciosa no Brasil, afirma especialista

    A chance de ter um diploma de graduação aumentou quase quatro vezes para a população negra nas últimas décadas no Brasil. Depois de mais de 15 anos desde as primeiras experiências de ações afirmativas no ensino superior, o percentual de pretos e pardos que concluíram a graduação cresceu de 2,2%, em 2000, para 9,3% em 2017. Por Débora Brito , da  Agência Brasil Apesar do crescimento, os negros ainda não alcançaram o índice de brancos diplomados. Entre a população branca, a proporção atual é de 22% de graduados, o que representa pouco mais do que o dobro dos brancos diplomados no ano 2000, quando o índice era de 9,3%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Censo do Ensino Superior elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) também evidencia o aumento do número de matrículas de estudantes negros em cursos de graduação. ...

    Leia mais

    Professores alegam que UFRJ não cumpriu cotas em concurso para professor do IFCS

    Cotas na UFRJ Um grupo de professores universitários (de USP, UnB, UFF, Uerj e outras) assinou carta aberta alegando o descumprimento da lei de cotas no concurso para professor do Departamento de Sociologia realizado pelo IFCS, da UFRJ. O resultado foi divulgado sexta passada. É que... Segundo os professores, pelo menos uma das três vagas deveria ter sido destinada a negros, o que não aconteceu. “Este caso evidencia os profundos entraves da sociedade brasileira para lidar com o racismo e a relutância na promoção e no cumprimento das medidas institucionais de promoção da igualdade racial”. Faz sentido. CARTA ABERTA É com profunda preocupação que os/as professores/as e pesquisadores/as abaixo assinados/as observam os desdobramentos do concurso público para carreira docente realizado pelo Departamento de Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS/UFRJ), relativo ao edital 860 de 2017, cujo resultado foi divulgado pela ...

    Leia mais

    Estudante que fraudou cotas raciais da UFMG abandona curso de medicina

    Vinicius Loures, 23, saiu cedo de casa para não perder a prova. Nos 40 dias anteriores ao Enem, estudou mais de oito horas por dia, decidido a conquistar uma vaga no curso de medicina. Dessa vez, queria passar do "jeito certo". no Folha Loures é o jovem branco de Belo Horizonte que se autodeclarou negro e fraudou o sistema de cotas raciais para medicina na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), um dos casos revelados pela Folha em setembro. Ele frequentou a faculdade por apenas 50 dias. Após ser denunciado por movimentos negros, no final do mês passado desfez a matrícula. Antes disso, Loures já tinha se inscrito no Enem, pois desde que iniciou as aulas era preterido e diz que se sentia incomodado. "Eu sabia que estava errado, sentia no olhar de pessoas que não me conheciam e não se aproximavam porque eu era o 'manezão' que burlou as ...

    Leia mais

    Unesp terá comissão para verificar declaração de cor dos alunos cotistas

    A Universidade Estadual Paulista (Unesp) vai averiguar se alunos cotistas da instituição são realmente pretos ou pardos, como indicado na inscrição do processo seletivo. Segundo a instituição, o sistema foi criado após denúncias de falsas declarações entre candidatos cotistas. no Isto É A ideia, por enquanto, não é verificar a etnia de todos os estudantes. Passarão pela checagem só alunos que forem alvos de denúncias vindas de dentro ou de fora da Unesp. No futuro, há intenção de ampliar a abrangência da averiguação. E terá efeito retroativo: se houver denúncia, será avaliada a suposta inconsistência na autodeclaração dos já matriculados. Na análise, serão usados critérios físicos, como a cor da pele ou o tipo de cabelo. Diferentemente de outras comissões do tipo para vestibulares e concursos públicos, também poderão ser considerados, entre alunos com pele menos escura, aspectos subjetivos, como a identidade negra do candidato em contextos sociais ou culturais. ...

    Leia mais

    A meritocracia é o paradigma da ingenuidade

    Insuspeito de comunismo, o autor francês mostrou que as engrenagens sociais têm um peso maior que o talento por Guilherme Boulos no Carta Capital O Conselho Universitário da USP aprovou, na terça-feira 4, a criação de cotas sociais e raciais. A partir de 2018, 37% das vagas serão destinadas a alunos da escola pública, número que deve subir para 40% em 2019 e atingir 50% em 2021. Dentro dessa cota, 37% das vagas serão reservadas para pretos, pardos e indígenas. Apesar de a proposta inicial prever apenas cotas para estudantes da escola pública, a forte mobilização do Movimento Negro, dos estudantes e de 300 professores que apresentaram manifesto favorável às cotas etnorraciais foi decisiva para o desfecho positivo. Há pouco mais de um mês, a Unicamp também aprovou cotas em seu Conselho Universitário. Lá, além de 50% das vagas reservadas para alunos de escolas públicas, até 37,5% do total será ...

    Leia mais

    Como a USP, Harvard também têm política de cotas – há 30 anos!

    Desde os anos 1970, universidades pioneiras americanas passaram a considerar aspectos de gênero e raça nas candidaturas por Priscila Bellini no Guia do Estudante A USP foi a última universidade pública brasileira a adotar, agora, o sistema de cotas sociais e raciais em seus processos seletivos – uma política de inclusão que vem desde o início dos anos 2000. O assunto, que gerou burburinho no Brasil, não é novidade em universidades estrangeiras. Entre as melhores universidades do mundo, há vários tipos de ações afirmativas, como as cotas em processos de seleção voltados a candidatos negros – e essa não é uma demanda de agora. Um exemplo vem da luta da população negra para ter acesso às mesmas instituições de ensino que pessoas brancas nos Estados Unidos, ou mesmo do processo que permitiu às mulheres ter acesso à educação superior. Desde a década de 70, “diversidade” foi ganhando espaço como uma ...

    Leia mais

    Lei de Cotas​ – a desinformação e o paralelo histórico

    Em 3 de julho de 1968​,​ o ditador Costa e Silva publicou a ​l​ei ​de número 5465/68, apelidada de “​Lei do Boi​”​. Hoje​,​ há muitos agrônomos e veterinários, com mais de 65 anos​ e​ que foram formados em universidade pública e gratuita, em que entraram usando a cota estabelecida nessa ​l​ei. por Dr. Rosinha no Congresso em Foco F​oi a primeira lei no Brasil a garantir cotas nas universidades públicas. E tenham a certeza ​de ​que, pelo período (ditadura) e pelo ocupante do posto de ​presidente, essa lei de cotas não foi para os pobres. A Lei do Boi, como o próprio apelido diz, foi criada para atender os filhos de fazendeiros. ​Ela ​​“​d​ispõe sobre o preenchimento de vagas nos estabelecimentos de ensino agrícola”. E estabelece, n​o​ seu artigo 1º, ​o seguinte (texto conforme a ortografia vigente à época): “Os estabelecimentos de ensino médio agrícola e as escolas superiores de ...

    Leia mais

    Meritocracia é discurso para manter a desigualdade social e racial, diz historiador Sidney Chalhoub

    O historiador e professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp, Sidney Chalhoub (foto), que também é docente do Departamento de História da Universidade de Harvard (EUA), nocauteou o discurso meritocrático, além de mostrar o que ele realmente pretende: manter e reproduzir a desigualdade social e racial. no Carta Campinas Chalhoub também lembrou que o Brasil, veja que incrível, já teve adoção de política de ação afirmativa para brancos europeus e seus descendentes, durante a imigração do final do século XIX. O historiador concedeu entrevista esclarecedora ao jornalista Manuel Alves Filho do Jornal da Unicamp, após a polêmica causada pela aprovação de cotas étnico-raciais na Unicamp. Na entrevista, Chalhoub expõe como se esconde sob o manto da meritocracia o desejo da reprodução eterna da desigualdade, assim como um pensamento escravocrata. Para entender isso, o professor questiona a ideia da meritocracia como um valor abstrato universal, que justifique a existência de alguma ...

    Leia mais

    Sistema de cotas na pós-graduação é aprovado na UFBA | Universidade Federal da Bahia

    Serão reservadas, no mínimo, 30% das vagas ofertadas Todos os processos seletivos para os cursos de pós-graduação stricto sensu da Universidade Federal da Bahia (doutorado e mestrados acadêmicos e profissionais) irão adotar o sistema de cotas: serão reservadas, no mínimo, 30% das vagas ofertadas para candidatos negros (pretos e pardos) e uma vaga a mais em relação ao total ofertado nos cursos para candidatos enquadrados em cada uma das categorias de quilombolas, indígenas, pessoas com deficiência e trans (transgêneros, transexuais e travestis). Fonte: UFBA O sistema de reserva de vagas foi aprovado na forma de resolução na manhã da quarta-feira, 11 de janeiro, no Conselho Acadêmico de Ensino (CAE), órgão que delibera sobre vagas para ingresso tanto na graduação quanto na pós, e já começará a valer para as seleções do segundo semestre de 2017. A ação afirmativa, segundo o reitor João Carlos Salles, tem o objetivo de aumentar a participação de grupos sub-representados ...

    Leia mais

    Estudantes brancos se passam por negros e entram por sistema de cotas em medicina na UFPel

    Comissão da UFPel (RS) que investiga o caso recomendou o desligamento de 24 alunos por Giorgia Cavicchioli, do R7 Estudantes da UFPel (Universidade Federal de Pelotas) estão sendo investigados após denúncias de fraude no sistema de cotas para negros e indígenas da instituição. A comissão que investiga o caso recomendou o desligamento de 24 alunos dos 27 que foram analisados. De acordo com a professora Georgina Helena, chefe do núcleo de ações afirmativas e diversidade, a denúncia veio por meio dos estudantes do setorial de negros e negras da universidade. — A grande maioria dos fenotipicamente brancos não se autodeclaram negros e insistem serem apenas pardos e também buscam ascendência longínqua, ou seja, avós, bisavós e com poucas exceções em pais. O procurador Max Palombo diz que o Ministério Público recebeu a denúncia e que pediu para que os casos fossem apurados. Segundo ele, as pessoas que fazem parte da ...

    Leia mais

    Coletivo negro de medicina emite nota contra o Fantástico

    Por Pedro Borges Do Alma Preta O Coletivo Negrex emitiu nota de repúdio ao programa Fantástico, pela reportagem sobre cotas que foi ao ar no dia 16 de Outubro, domingo. Veja abaixo a nota na íntegra: É com grande indignação que o coletivo NegreX de estudantes negras e negros da Medicina repudia, por meio desta, a reportagem acerca de fraudes no sistema de cotas em instituições públicas de ensino superior, exibida no dia 16 de outubro de 2016 pelo programa Fantástico da emissora Rede Globo. Extremamente tendenciosa, a reportagem se utilizou do mito da democracia racial para tratar o problema das fraudes nas cotas raciais como irremediável, respaldando a afroconveniência de estudantes fraudadores, bem como, questionando a validade das denúncias realizadas. A reportagem foi um grande desserviço a toda mobilização e luta do povo negro para ocupar um espaço que lhe é de DIREITO nas universidades. Os responsáveis pela lamentável matéria ...

    Leia mais
    22/09/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Estudantes da ufrgs ocupam reitoria contra novo programa de cotas. Foto: Guilherme Santos/Sul21

    Estudantes e movimento negro ocupam reitoria da UFRGS contra mudanças na política de cotas

    O saguão da Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) foi ocupado, na tarde desta quinta-feira (22), por dezenas de estudantes e jovens militantes do movimento negro contrários ao Parecer 239/2016, que restringe o acesso de cotistas à instituição. Previsto para ser votado na manhã de sexta-feira (23) pelo Conselho Universitário, o parecer elaborado pela Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) modifica o regime de concorrência para cotistas, determinando que o estudante precise escolher entre se inscrever como cotista ou tentar entrar por acesso universal. Por Débora Fogliatto Do Sul21 Atualmente, quando um candidato que tem direito a cota atinge uma média suficientemente alta para entrar no curso por acesso universal, ele “libera” a vaga para um cotista de média mais baixa. Com isso, no último ano, mais de 400 estudantes que são oriundos de escolas públicas entraram pelo acesso universal. “Tem entrado cerca de 60% de estudantes egressos de escola pública, ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist