Tag: plp 2.0

    Delegada diz que em todos casos de morte registrados neste ano havia histórico de agressões. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

    Violência contra mulher explode e número de mortes cresce 266%

    Servidores e estudantes participam de manifesto contra a violência doméstica. (Foto: Renan Nucci) O homicídio da adolescente Fernanda Marques da Silva, 17 anos, morta pelo namorado no final da tarde de domingo (23),  no Jardim Campo Verde, foi o 11º primeiro do tipo somente neste ano, em Campo Grande. De 2012 para cá, o número de assassinatos de mulheres cresceu 266%, subindo de três para 11 casos, sendo que 2014 ainda nem acabou – em 2013 foram seis ocorrências. por Renan Nuccin no Campo Grande News Segundo a delegada Rosely Aparecida Molina, titular da 1ª Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher), no último mês de janeiro foram cinco casos na Capital. A delegada alerta que em todos eles havia histórico de agressão não denunciado. Outro fator responsável por desencadear esta onda de violência é o machismo, ainda muito presente na sociedade. “A cultura do machismo contribui, pois muitas pessoas ainda acreditam ...

    Leia mais
    blank

    Uma em cada três mulheres é vítima de violência no mundo, mostra OMS

    Uma em cada três mulheres é vítima de abusos físicos em todo o mundo, indica uma série de estudos divulgados hoje pela Organização Mundial da Saúde (OMS). do Agência Brasil Entre 100 milhões e 140 milhões de mulheres são vítimas de mutilação genital e cerca de 70 milhões se casam antes dos 18 anos, frequentemente contra a sua vontade. Os dados indicam que 7% das mulheres correm o risco de sofrer violência em algum momento das suas vidas. A violência, exacerbada durante conflitos e crises humanitárias, tem consequências dramáticas para a saúde física e mental das vítimas. “Nenhuma varinha de condão vai eliminar a violência contras as mulheres. Mas a prática revela que é possível realizar mudanças nas atitudes e nos comportamentos, que podem ser conseguidos em menos de uma geração”, afirmou Charlotte Watts, professora na Escola de Higiene e Medicina Tropical em Londres e coautora dos documentos. Os investigadores apuraram ...

    Leia mais
    blank

    Juízes aumentam cerco contra violência doméstica

    O VI Fórum Nacional de Juízes de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Fonavid), reunido na última semana em Campo Grande/MS, definiu medidas que devem reforçar a proteção às vítimas e a punição aos agressores. Os 27 enunciados aprovados pelo grupo devem balizar o enfrentamento da violência doméstica no sistema judicial brasileiro. Esta última edição resultou em quatro novos enunciados. Um deles determina que o descumprimento das medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha configura crime de desobediência, punido com detenção de 15 dias a 6 meses, além de multa. O grupo também definiu que somente juizados e varas de violência doméstica e familiar contra a mulher podem julgar crimes de desobediência. Onde não houver juizados e varas especializadas, esses casos devem ir para as varas criminais comuns. O grupo concluiu, ainda, que a existência de medidas protetivas não deve influenciar a determinação de prisão cautelar ...

    Leia mais
    Experimento social em elevador expõe tolerância em relação à agressão de mulheres

    Experimento social em elevador expõe tolerância em relação à agressão de mulheres

    (Cuidado. Imagens fortes) Ione Aguiar no Brasil Post Você entra em um elevador. Encontra um rapaz ameaçando a namorada: "Eu vou te matar! Você não vale nada." A garota pede ajuda. Ele diz: "Você acha que alguém se importa? Você é patética." O que você faria? Um grupo de documentaristas especializado em gravar experimentos sociais reproduziu a situação com atores na Suécia para descobrir. De 53 pessoas que dividiram o elevador com o casal no momento da agressão, apenas uma ameaçou chamar a polícia. O país coleciona números irretocáveis de desenvolvimento humano, mas tem muito a avançar em relação aos direitos da mulher. Cerca de 81% das mulheres declararam já terem sido agredidas em algum nível -- é o maior índice da Europa.  

    Leia mais
    blank

    Congresso lançará campanha pelo fim da violência contra as mulheres

    O Congresso Nacional vai realizar sessão solene no próximo dia 19, às 10h, para celebrar o lançamento da campanha “16 Dias de Ativismo pelo fim da Violência Contra a Mulher”. O documento foi lido pela senadora Ana Amélia (PP-RS), que presidia a sessão do Senado desta segunda-feira (3). Do: Senado A campanha teve início em 1991, por iniciativa do Centro de Liderança Global de Mulheres (Center for Women’s Global Leadership - CWGL), com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. O período escolhido para a mobilização se inicia em 25 de novembro – declarado Dia Internacional de Não Violência Contra as Mulheres – e termina em 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Dessa forma, a campanha quer fazer uma vinculação entre a luta pela não violência contra as mulheres e a defesa dos direitos humanos. Hoje, cerca ...

    Leia mais
    blank

    Maria da Penha quer interiorizar políticas de combate à violência doméstica

    A biofarmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes disse hoje (22) que as políticas públicas para implementar, de fato, a Lei Maria da Penha, de combate à violência contra as mulheres, precisam ser ampliadas para atingir todo o Brasil. Ela participou do painel A Proteção Constitucional da Vulnerabilidade, na 22ª Conferência Nacional dos Advogados, que termina amanhã, no Riocentro. De acordo com a ativista, somente no ano passado, sete anos depois de sancionada a lei, os equipamentos básicos chegaram a todos os estados. "Em 2013 é que as capitais dos estados brasileiros conseguiram criar seus mecanismos de política pública, que é a Delegacia da Mulher, o Centro de Referência da Mulher, casas abrigos e os juizados. Quer dizer, aos poucos as cidades colocaram uma coisa e outra, mas esses quatro equipamentos tem de existir para a lei funcionar", alertou. Maria da Penha ressaltou que alguns municípios conseguiram implementá-los logo no primeiro ...

    Leia mais
    blank

    Morador de rua que socorreu vítima de estupro ganha emprego

    Everton Soares Pereira, 35 anos, pediu trabalho na clínica veterinária que ofereceu acompanhamento para seus cães por Fernanda da Costa no ZH Noticias  O altruísmo do morador de rua Everton Soares Pereira, 35 anos, e da proprietária de uma clínica veterinária Silvia Mara, 38, fez suas vidas se cruzarem nesta semana. A coragem do guardador de carros, que mesmo sob ameça de ser morto a tiros ajudou a salvar uma adolescente vítima de estupro, motivou a solidariedade da empresária, que o ajuda não apenas a cuidar dos cães, mas também a melhorar de vida. Os dois são a prova de que a gentileza é cíclica, e alimentada pelo próprio combustível. Embora se conheçam há apenas quatro dias, a dupla já demonstra a intimidade de velhos amigos. — Agora tu achou uma amiga meio louca, né? — questiona Silvia, batendo no ombro de Pereira. — E meio neurótica — responde ele, aos risos. — É que eu serei ...

    Leia mais
    blank

    Netinho de Paula fala sobre violência à ex-esposa: ‘Ela provocou, eu agredi’

    Ele disse que se arrepende e que pediu perdão à Sandra Netinho de Paula participou do Domingo Show, da Record, e falou sobre as várias acusações de agressão que o cantor já sofreu. O apresentador Geraldo Luis perguntou se ele era violento por causa das brigas com um humorista, a ex-esposa e uma comissária. Em 2005, a briga entre Netinho e a ex-mulher Sandra chocou o país com as imagens dela cheia de hematomas e os olhos roxos. Em conversa, ele admitiu que errou e que já pediu perdão. “Eu não tinha o que fazer, porque a imagem do olho roxo é mais forte que qualquer palavra. Então, como homem, errei porque, independentemente, deveria ter tido sangue frio e ido pra rua. Como ela provocou, eu agredi. Então, quando estreei meu programa no SBT, levei a Maria da Penha pra dizer o que tinha feito. Eu acho que não existe ...

    Leia mais
    blank

    Violência doméstica e familiar contra a mulher – A lei Maria da Penha: uma análise jurídica

    Violência doméstica, qual a causa, conceito do violência, a violência no Brasil, violência contra a mulher, perfil do agressor, das vítimas, lei Maria da Penha... Por Valéria Pinheiro de Souza SUMÁRIO INTRODUÇÃO................................................................................................................04 CAPÍTULO I - A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA....................................................................06 1.1- Conceito de violência...............................................................................................06 1.2- A violência no Brasil.................................................................................................09 1.3- Violência contra a mulher ........................................................................................12 1.4- Formas de manifestação da violência contra a mulher........................................... 15 CAPÍTULO II - SUJEITOS ATIVO E PASSIVO DOS CRIMES DOMÉSTICOS..............18 2.1- A vítima segundo o sistema Penal Brasileiro ..........................................................18 2.2- Perfil do agressor dos delitos domésticos............................................................... 19 2.3- Perfil das vítimas da violência doméstica e familiar ................................................21 CAPÍTULO III - DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DAS MULHERES...........................23 3.1-Direitos Humanos .................................................................................................... 23 3.2- Dignidade da pessoa humana e violência doméstica .............................................25 3.3-Instrumentos de proteção dos direitos fundamentais das mulheres.........................27 3.4- A Constituição Federal de 1988 e os Direitos Fundamentais..................................30 CAPÍTULO IV – A LEI “MARIA DA PENHA” – Nº 11.340/06..........................................32 ...

    Leia mais
    blank

    Avô de irmãs mortas em Belford Roxo desabafa: ‘Dor constante’

    “Nós estamos vivendo numa dor constante”. A frase é do avô das irmãs encontradas mortas no Morro Gogó da Ema, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e mostra o sentimento da família. A estudante Ariane Oliveira de Souza, de 19 anos, e a cabeleireira Jéssica Oliveira de Souza, de 22, teriam sido sequestradas no domingo, ao saírem de uma casa de shows Rio Sampa, na Via Dutra, altura de Nova Iguaçu, também na Baixada. Os corpos foram encontrados abraçados, com marcas de tiros e sinais de estupro. Bernardo Costa - Não temos mais condições de falar sobre o assunto. Cada vez que repetimos as mesmas coisas é como se revivêssemos todo o sofrimento - disse o avô das jovens, que se identificou apenas como Jurandir. Abalados, outros parentes pedem privacidade e evitam falar sobre o crime. As irmãs foram sepultadas juntas, na segunda-feira, no Cemitério de Belford Roxo. O caso ...

    Leia mais
    blank

    Você votou e ja temos a primeira versão do aplicativo de combate a violência contra a mulher

    Na última  sexta-feira, 22 de agosto, foi lançado a primeira versão do PLP 2.0, vencedor pelo voto popular do Desafio Impacto Social do Google | Brasil. Acesse o Portal PLP 2.0 e saiba mais Esta 1ª versão é somente para smartphones ANDROID e dá as usuárias a possibilidade de criar uma rede pessoal de proteção. Esta versão está sendo testada para melhor atendermos as usuárias. Por favor nos relate no site www.plp20.org.br as dificuldades encontradas no manejo do aplicativo. Clique em MINHA REDE DE PROTEÇÃO e crie sua própria rede cadastrando até 5 numeros de telefone de pessoas da sua confiança que podem socorre-la numa situação de risco. Na opção ATIVO você pode agitar o seu smartphone e enviar mensagens SMS para os telefones cadastrados com a sua localização. E você pode também desativar seu aplicativo. Fortalecendo uma rede combate a violência contra a mulher clique e conheça o site

    Leia mais
    Uma mulher é estuprada a cada duas horas no estado do Rio, aponta relatório

    Uma mulher é estuprada a cada duas horas no estado do Rio, aponta relatório

    Pesquisa revela que mais de 3 mil mulheres foram estupradas no Rio de Janeiro em 2013; metade dos casos são cometidos por pessoas conhecidas Por Vladimir Platonow, No estado do Rio, em 2013, 4.872 mulheres foram estupradas , o que significa 13 mulheres atacadas por dia, ou um caso a cada duas horas. A estatística faz parte do Dossiê Mulher 2014, divulgado hoje (22), pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), ligado à Secretaria de Estado de Segurança, e só diz respeito aos casos que foram registrados oficialmente em delegacias de polícia. No total, incluindo os casos de estupros masculinos e um pequeno percentual no qual o gênero da vítima não foi informado, o crime foi registrado 5.885 vezes no ano passado em todo o estado. A estatística apresentou uma ligeira queda em relação a 2012, quando foram registrados 6.075 casos no total. No ano de 2010, os casos de estupro ...

    Leia mais
    blank

    A COMESP convida para o lançamento do projeto “A Tecnologia a Serviço do Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher”

    Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo – COMESP  São Paulo, 22 agosto de 2014.  A Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, em comemoração aos “Oito Anos da Lei Maria da Penha”, tem a honra de convidar para o  lançamento do projeto “A Tecnologia a Serviço do Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher” pelas entidades Geledés –Instituto da Mulher Negra e Themis – Gênero, Justiça e Direitos Humanos, que será realizado no dia 22 de agosto de 2014, às 14:00 horas, no Plenário 10 do Fórum Criminal Ministro Mário Guimarães – Avenida Abraão Ribeiro, 313 – Barra Funda -SP

    Leia mais
    blank

    App brasileiro ajuda mulheres vítimas de violência a se protegerem de ex-companheiros

    A história, infelizmente, é conhecida. O relacionamento não está mais dando certo, a mulher decide terminar, o homem não aceita e a ameaça, persegue e agride. por Redação Hypeness Para ajudar as vítimas de violência, está em fase de testes o PLP 2.0, um aplicativo que permite que, em apenas quatro toques no celular, mulheres ameaçadas pelo antigos parceiros possam alertar a polícia, a Justiça e amigos ou familiares. A partir de fevereiro, duas moradoras de Restinga, em Porto Alegre, vão experimentar o mecanismo, que em breve deve ser testado em Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo. O nome do app faz referência ao programa Promotoras Legais Populares, que há mais de vinte anos trabalha para auxiliar as mulheres vítimas de violência física ou psicológica. O PLP 2.0 foi o vencedor do Desafio Social Google 2014, que bancou o desenvolvimento do aplicativo, feito em parceria com a Themis ...

    Leia mais
    blank

    Magistrados formam grupo de trabalho com desenvolvedores de APP contra a violência doméstica

    Para dar sequência ao projeto que beneficiará mulheres vítimas de violência doméstica em uso de medidas protetivas – uma parceria que a AJURIS firmou com a Themis Assessoria Jurídica e Estudos de Gênero  -, foi realizada uma reunião na manhã desta quarta-feira (23/7). O propósito foi apresentar a juízes que atuam na área da Violência Doméstica e Familiar o aplicativo (APP) criado para conectar as vítimas aos serviços de segurança e às redes da sociedade civil. Participaram o presidente da AJURIS, Eugênio Couto Terra; os juízes Luís Alberto Rotta, Ivortiz Tomazia Marques Fernandes e Edson Jorge Cechet (que atuam na área); as representantes da Themis, Lívia de Souza, Rejane Luthemaier, Evelin Ferreira e Denise Dora; e o desenvolvedor da tecnologia, Daniel Dora. Um grupo de trabalho foi formado a partir dos representantes de cada entidade e do Judiciário, que serão os consultores, para aperfeiçoar o projeto. “Trata-se de um instrumento ...

    Leia mais
    geledes-desafio-impacto-social-google-brasil

    Somos finalistas do Desafio de Impacto Social Google I Brasil

      O Geledés Instituto da Mulher Negra, em parceria com a Themis Gênero, Justiça e Direitos Humanos, apresentou ao Desafio de Impacto Social Google | Brasil o projeto Aplicativo de Combate à Violência contra a Mulher - PLP 2.0 O nosso projeto foi selecionado entre os 10 que estão sendo submetidos à votação de júri popular e ao corpo de jurados do Google. Apenas 4 projetos serão premiados, por isso contamos com sua torcida e seus votos. CLIQUE E VOTE NESTE PROJETO Obrigada Geledés e Themis

    Leia mais
    Página 5 de 5 1 4 5

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist