Em decisão histórica Nigéria oficializa a proibição da mutilação genital feminina

A mutilação genital feminina na Nigéria é um tema que está em voga há algum tempo. De um lado estão os defensores a manutenção de tradições. Do outro mulheres e pessoas que acreditam na importância de cessar práticas machistas.

DO  Hypeness

Ben Curtis/AP

Em meio ao cenário de debate, o presidente Goodluck Jonathan aprovou criminalização da mutilação genital feminina na Nigéria. Considerado o último ato de seu mandato, já que Jonathan foi derrotado no pleito eleitoral por Muhammadu Buhari, a lei federal representa uma mudança de postura do país da África Ocidental.

A medida, que também prevê punição aos homens que abandonarem suas mulheres e filhos, vai contribuir para a diminuição deste hábito mutilatório. De acordo com levantamento feito por entidades de defesa dos direitos humanos, a mutilação feminina atingiu 25% das mulheres nigerianas entre 15 e 49 anos. A ONU revelou em 2014 que o ato gera infertilidade, perda do prazer sexual, além de oferecer risco de morte causado por possíveis infecções.

Cercada por um debate que envolve tradição, mas também direito ao próprio corpo, a proibição da mutilação feminina traduz uma mudança oriunda do desenvolvimento social. Não se trata de um fim aos costumes tradicionais, mas de uma adequação aos tempos modernos.

“É crucial que continuemos com os esforços de mudanças de visões culturais que permitem a violência contra a mulher. Só assim esta prática agressiva terá um fim”, declarou ao The Guardian Stella Mukasa, diretora do núcleo de Gênero, Violência e Direitos do Centro de Pesquisas da Mulher.

 

 

+ sobre o tema

Fabiana Silva perde a 2ª no badminton e se despede da Olimpíada de Tóquio

A brasileira Fabiana Silva se despediu da Olimpíada de Tóquio nesta quarta-feira. A...

Hoje na história: Dia da África celebra cultura e história do continente

Uma das principais raízes brasileiras ganha destaque nesta semana...

Angola: Heroínas sem Nome – O Livro da Paz da Mulher Angolana

Livro organizado pela moçambicana Paulina Chiziane e pela angolana...

Opressão do negro vira trilogia da Cia. Os Crespos

Por Miguel Arcanjo Prado Os aguerridos integrantes da...

para lembrar

Ativista e escritora Alzira Rufino morre em Santos, aos 73 anos

A ativista, escritora e enfermeira Alzira dos Santos Rufino...

Jay-Z vai comprar ilha de R$ 6 milhões em Bahamas, diz site

Conforme nota do 'The Sun', o rapper quer um...

Ilú Obá de Min compartilha cantos, dança e poesia em Sarau ao vivo

Em meio à pandemia, bloco afro feminino traz Sarau...
spot_imgspot_img

Carnaval 2025: nove das 12 escolas do Grupo Especial vão levar enredos afro para a Avenida

Em 2025, a Marquês de Sapucaí, com suas luzes e cores, será palco de um verdadeiro aquilombamento, termo que hoje define o movimento de...

Cientistas revelam mistério por trás dos antiquíssimos baobás, as árvores da vida

Cientistas afirmam ter resolvido o mistério em torno da origem dos antigos baobás. De acordo com análises de DNA, as árvores teriam surgido pela primeira...

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...
-+=