Guest Post »

Museu Afro Brasil solta nota de repúdio sobre jovem negro chicoteado em supermercado: “Basta ao racismo”

Em outubro de 2019 o museu Afro Brasil completará 15 anos de existência. Desde seu surgimento e ao longo de todo esse período, o museu dedica-se ativamente no resgate das contribuições africanas e afro-brasileiras para a formação nacional, diariamente reitera uma imagem de dignidade para que negras e negros possam se espelhar, inspirar e reconhecer; celebrando a história e a vida do negro brasileiro, o museu tem o compromisso ético de fornecer caminhos de identificação positiva para a população brasileira.

Da fanpage de Facebook do Museu Afro Brasil, no DCM

Reprodução/Facebook

Dessa maneira, o Museu Afro Brasil vem a público lançar esta nota de repúdio sobre o chicoteamento, humilhação e amordaçamento de um jovem acusado de furto de chocolate em um supermercado da Zona Sul de São Paulo, fato amplamente noticiado pela mídia. Circunstâncias como essas nos remetem diretamente ao cotidiano escravista e aos principais traços que sustentaram a formação do Brasil contemporâneo, incapaz de promover cidadania plena ao conjunto da população negra e indígena, como lembra Milton Santos. Aliás, é justamente essa cidadania mutilada que talvez explique o racismo, as múltiplas formas de violência cotidiana e o genocídio que a população negra ainda hoje sofre por todo o país.

Diante disso, o Museu Afro Brasil convoca seus visitantes, simpatizantes e o conjunto da população brasileira a dizer um basta ao racismo e as violências perpetradas contra jovens negros.

#trabalhoescravonuncamais #vidasnegrasimportam #mab15anos#contraoracismo #jovemnegrovivo

 

Leia Também:

Chicotear negro pobre é permitido no país que celebra o racismo e a tortura

Polícia investiga tortura contra jovem que teria furtado chocolate em supermercado da Zona Sul de SP

Related posts