Novembro, mês da paciência negra

Em 2023, a turma que insiste em defender o mito da nossa 'democracia racial' conseguiu se superar

Todo novembro no Brasil é o mesmo rame-rame sobre dedicar uma data à exaltação das lutas e da resistência do povo negro contra as desigualdades e as diversas formas de opressão decorrentes do racismo. Entre os argumentos contrários, estão os discursos de uma raça única (a humana) e do fomento da desunião entre os brasileiros, e blá-blá-blá…

É assim desde que a Lei 12.519/2011 instituiu o Dia (20) Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, dedicado à reflexão sobre as vicissitudes impostas a pretos e pardos por conta da diferenciação física decorrente da escravização negra.

Contudo, em 2023 a turma que insiste em defender o mito da nossa “democracia racial” conseguiu se superar ao acrescentar a “ingratidão negra” entre os elementos a serem observados. Já teve gente no RJ bradando publicamente por “reconhecimento e gratidão à princesa Isabel por ter libertado os escravos.” Haja paciência!

No artigo “Ser Negro no Brasil Hoje”, publicado pela Folha, o geógrafo Milton Santos (1926-2001) observou o quanto o olhar distorcido da realidade social do negro impede o real enfrentamento da questão racial no país: “…a opinião pública foi, por cinco séculos, treinada para desdenhar e mesmo não tolerar manifestações de inconformidade, vistas como um injustificável complexo de inferioridade, já que o Brasil, segundo a doutrina oficial, jamais acolhera nenhuma forma de discriminação ou preconceito.”

É dessa maneira que convicções escravocratas mantêm estereótipos que ultrapassam o limite do simbólico no cotidiano. Como disse a filósofa Bárbara Carine Pinheiro em suas redes sociais, os que têm ojeriza e vergonha da escravização negra devem ser gratos a Luísa Mahin, Luiz Gama, Maria Felipa, Zumbi, Dandara dos Palmares, ao Dragão do Mar.

Esses (e muitos outros) sim são personagens fundamentais para a abolição da escravatura no Brasil e para a luta por equidade e justiça, que é constante para quem defende o antirracismo.

+ sobre o tema

Ser negro nos Estados Unidos

Eric Garner tinha 43 anos, 1,91m  e 160 quilos....

Barbie humana dá entrevista polêmica e é acusada de racismo

  Valeria Lukyanova não está mesmo em uma fase boa....

Layoffs em tecnologia: por que funcionários negros têm sido os mais atingidos

Recentemente, várias empresas, incluindo grandes companhias de tecnologia, começaram...

Sobre negros, Era do Aquário e representações

Vamos lá.. uma sucessão de pensamentos que me levaram...

para lembrar

Relatório da ONU critica violência policial e detenção de opositores

Por outro lado, comitê aponta avanços em relação aos...

RACISMO NA USP: Polícia apura denúncia de racismo em moradia estudantil

Fonte: Anjos e Guerreiros - Aluna foi insultada em reunião...

O Brasil é uma enfermeira preta vacinada

Na política e na vida, imagens importam. Neste domingo...

Partidos e movimentos sociais viram alvo em SP

Repórter relata violência de nacionalistas contra manifestantes organizados por...
spot_imgspot_img

Mãe não é tudo igual

- Coloca um casaco, meu filho! - Na volta a gente compra, filha. É bem provável que muitos de nós já tenhamos ouvido alguns desses bordões...

Carta aos negacionistas: comprem um seguro de vida

Senhores negacionistas, Coube à nossa geração viver uma encruzilhada existencial: ou mudamos a forma de nos relacionar e habitar o planeta, ou simplesmente esse planeta...

À espera da extinção da escravidão

Dia 13 de maio de 2024 completam-se 136 anos da assinatura da Lei 3.353/1888 pela então princesa imperial regente. Para além do abandono dos negros...
-+=