Pesquisa britânica revela dados sobre racismo na música: “Mulheres negras não podem tocar rock”

Maioria dos músicos negros entrevistados já sofreu racismo na carreira

racismo estrutural afeta todas as esferas da sociedade, inclusive a indústria musical. Artistas negros geniais foram sistematicamente apagados da história, enquanto os músicos brancos que influenciaram recebiam todo o mérito: no rock n’ roll, por exemplo, Elvis Presley é chamado de Rei do Rock, mas o estilo deve a existência à nomes como Sister Rosetta Tharpe e Chuck Berry. 

Uma pesquisa realizada pelo Black Lives in Music no Reino Unido mostra dados alarmantes sobre a presença do racismo dentro da música, com estatísticas e relatos de diversos artistas e profissionais da música negros, conforme divulgado pela Far Out Magazine.

Uma mulher entrevistada para o estudo relatou a misoginia e racismo ainda existentes entre os fãs de música pesada, a despeito da contribuição essencial de Rosetta, considerada a Mãe do Rock, ao gênero. “[Me dizem] ‘Mulheres negras não podem fazer rock’, [fazem] comentários sexuais sobre o tamanho dos meus lábios, comentários raciais sobre o meu cabelo afro ‘maluco e rebelde’, etc. Eu não dou mais atenção a esses comentários, mas acredito que é importante informar as pessoas sobre”, contou. 

Até mesmo o talento excepcional de artistas negros é usado contra eles por parte da indústria. Enquanto artistas brancos que “se parecem com os Beatles ou Oasis” são abraçados, a expectativa com artistas negros é injusta e nada parece bastar, como explica outro relato.  “A música negra é sempre vista como algo que precisa ser ‘original’ e inédito. (…) Se você é negro e toca guitarra, dizem que se parece com Jimi Hendrix – isso já foi feito antes “, disse. 

Os dados coletados pela pesquisa comprovam as experiências desses artistas: 86% dos músicos negros concordam que existem barreiras causadas por raça para crescer na indústria musical; 63% dos músicos negros foram vítimas de racismo direto e 43% das mulheres negras na indústria foram instruídas para mudar a própria aparência, de forma direta ou velada, para ter uma chance na carreira musical.

Leia também:

‘Rock não é um gênero para o negro’ desde quando?

5 discos para não esquecer que o rock é som de preto

+ sobre o tema

Como as escolas de samba nos ensinam sobre ancestralidade

Desde que foram criadas, escolas de samba têm sido...

Esperança de justiça une mães de vítimas da violência policial no Rio

A longa espera por justiça é uma realidade presente...

Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como...

para lembrar

Qual o lugar da psicologia frente ao racismo?

“ uma das principais razões por que não sofremos...

Quando começaremos a punir os crimes de racismo na internet?

Por motivos de economia de caracteres, racismo e injúria...

Para 94% da população brasileira, negros têm mais chance de ser mortos pela polícia

Nove em cada dez brasileiros reconhecem que pessoas negras...

Como o racismo afeta os viajantes negros no turismo

Racismo é a discriminação ou preconceito contra pessoas ou...
spot_imgspot_img

Esperança de justiça une mães de vítimas da violência policial no Rio

A longa espera por justiça é uma realidade presente entre as mães de vítimas da violência policial do Rio de Janeiro. Deise Silva de...

E assim vamos nós, lutando pela existência de nossas gerações

Vamos que vamos! Frase muito usada por quem sonha em passar o cajado para descansar. Com olhar cansado e triste, cabelos brancos, mãos trêmulas com...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da Universidade Federal de Santa Catarina, lança nesta quarta-feira (21) o quinto vídeo de sua campanha de divulgação...
-+=