quinta-feira, junho 4, 2020

    Tag: Africanos

    Cena do documentário "Ken Saro-Wiwa, Presente!" (Foto: Reprodução/ Documentário Ken Saro-Wiwa, Presente!)

    Documentário ‘Ken Saro-Wiwa, Presente!’ retrata vida de ativista nigeriano

    Em sua primeira exibição em São Paulo, nesta sexta (2), o documentário “Ken Saro-Wiwa, Presente!” ganha sessão única no Cine Afro e Capoeira, no Centro de Culturas Negras do Jabaquara, na zona sul. O filme conta a história do escritor, produtor e ativista ambiental nigeriano Ken Saro-Wiwa, líder de um movimento não violento contra a degradação ambiental das terras e das águas na região do delta do Níger por petrolíferas transnacionais. Em virtude de sua militância, Saro-Wiwa foi preso, condenado —através de um processo judicial considerado fraudulento— e enforcado em 1995. Com entrevistas de artistas, ativistas e familiares do escritor, que apresentam sua história e o contexto de sua luta, o documentário aborda a exploração petrolífera na região do delta, o racismo e a relevância política e cultural dos projetos artísticos em Londres realizados em homenagem a Saro-Wiwa. Após a exibição, acontece um debate com Elisa Dassoler, diretora do documentário, ...

    Leia mais
    Foto fornecida pelo Museu de História Natural de Londres mostra o rosto do chamado “Homem de Cheddar”. (Foto: LONDON NATURAL HISTORY MUSEUM / EFE)

    Por que os humanos que migraram da África para a Europa ficaram brancos há milhares de anos

    O estudo do esqueleto humano mais antigo encontrado no Reino Unido contradiz a crença popular de que a maioria dos europeus sempre teve a cor da pele branca. Uma análise genética do esqueleto de 10 mil anos revelou que a pigmentação de sua pele era de "escura a negra". O fóssil ficou conhecido como "homem de Cheddar" em virtude do local onde ele foi encontrado, em Cheddar, no Reino Unido. Seu rosto foi reconstruído graças a um scanner de alta tecnologia e mostra um fenótipo totalmente oposto à pele branca que caracteriza muitos dos britânicos. "A combinação de uma pele muito escura com olhos azuis não é o que normalmente imaginamos, mas essa era a aparência real dessas pessoas", diz Chris Stringer, do Museu de Ciências Naturais de Londres, onde a imagem do "homem de Cheddar" foi exposta, na quarta-feira. Segundo Yoan Dieckmann, da equipe da Universidade College, de Londres, ...

    Leia mais
    (Foto: AFP/Gett Images)

    Amílcar Cabral e a cultura africana como resistência

    Na história do continente africano surgiram diversas vozes que se levantaram contra o colonialismo e variadas formas de opressão presentes nos países que o compõe. Thomas Sankara, Patrice Lumumba, Léopold Sédar Senghor, Steve Biko e tantos outros deixaram ensinamentos que não envelhecem, mesmo havendo sido elaborados num outro contexto. Amílcar Lopes Cabral é uma dessas vozes, nasceu em 1924, na cidade de Bafatá, Guiné-Bissau. E foi brutalmente assassinado por alguns dos seus companheiros no dia 20 de janeiro de 1973, em Guiné - Conacri, apoiados pela PIDE - Polícia Internacional e de Defesa do Estado. Este recorte biográfico situa-se no reconhecimento da contribuição de Cabral aos movimentos de libertação africanos, especialmente, em Cabo Verde e Guiné-Bissau. Cabral era filho de cabo-verdianos e passou a infância em São Vicente, Cabo Verde. Por causa do elevado desempenho escolar, aos 21 anos, foi contemplado com uma bolsa de estudos para cursar Engenharia Agrônoma ...

    Leia mais
    Participante na cúpula euro-africana nesta quarta-feira em Abidjã.(Foto: ISSOUF SANOGO / AFP)

    Por que mesmo com crescimento econômico a África continua perdendo seus jovens?

    Com um aeroporto reformado, a demolição das favelas e comércios informais que ladeavam as ruas principais e meia cidade sob o rolo compressor, Abidjã, principal polo econômico da Costa do Marfim – e sede, nesta quarta e quinta-feira, da 5ª Cúpula União Europeia-União Africana – navega a velocidade de cruzeiro para recuperar sua glória de antigamente, quando era considerada a grande joia da África Ocidental. Mas o despertar da cidade contrasta com o aumento das pessoas que vivem com menos de um euro (3,85 reais) por dia em todo o país: um milhão de pessoas a mais do que há 10 anos (época em que a Costa do Marfim estava em conflito), segundo dados do Banco Mundial. Esta nação é o reflexo do que acontece, em grande escala, em todo o continente africano. O perfil de Abidjã, esculpido por uma lagoa, mudou radicalmente desde 2011, quando a guerra civil terminou e o novo Governo de Alassane Ouattara se propôs a relançar ...

    Leia mais
    A mensagem forte de Kondogbia contra a escravatura na Líbia (Foto: Imagem retirada do site Sapo Desporto)

    A mensagem forte de Kondogbia contra a escravatura na Líbia

    Kondogbia foi um dos jogadores a reagirem à realidade da escravidão que ainda subjuga povos em África. A mensagem é forte. Em plena crise na Líbia com muitos dos emigrantes a serem transformados em escravos, Geoffrey Kondogbia, foi a voz da revolta de um povo oprimido e com pouca voz no mundo. A reportagem da CNN sobre os emigrantes vendidos por contrabandistas mostrou um dura realidade em 2017: A que a escravidão ainda existe. Esse cenário de inferno é abafado pelo silêncio e pela indiferença do primeiro mundo que muitas vezes parece esquecer os problemas dos países sub-desenvolvidos. Geoffrey Kondogbia, médio francês do Valência, mas com ligações fortes ao continente berço da humanidade - Nasceu na República Centro Africana  - deixou uma mensagem em jeito de apelo na partida entre o Valência e o Espanhol e em que Kondongbia foi protagonista ao apontar um dos golos do triunfo. O médio ...

    Leia mais
    Manifestação em Paris contra a escravidão na Líbia (Foto: GEOFFROY VAN DER HASSELT / AFP)

    Leilão de escravos na Líbia causa indignação em toda a África

    Jovens africanos na rota migratória para a Europa, vendidos em leilões como escravos, surrados, sequestrados em troca de resgate. Isso há anos acontece na Líbia. Organizações sociais e as próprias vítimas já denunciaram várias vezes, com pouca repercussão. Entretanto, um vídeo contando como funciona esse mercado de seres humanos, divulgado há uma semana pela rede CNN, gerou uma onda de indignação na África. Os presidentes da África ocidental, a região de origem da maior parte dos migrantes, reagiram com firmeza. O primeiro foi Mahamadou Issoufou (Níger), que solicitou uma investigação ao Tribunal Penal Internacional e convocou seu embaixador na Líbia para consultas. Idêntica decisão tomou Roch Kaboré (Burkina Faso), junto com um apelo às autoridades líbias para que atuem. O Governo senegalês exigiu uma investigação pelo que o presidente malinês, Ibrahim Boubacar Keita, denominou de “barbárie que interpela a consciência de toda a humanidade”. Todos solicitaram à União Europeia, à União Africana e às Nações Unidas que ...

    Leia mais
    blank

    O idioma negro

    A partir da crítica do conceito de raça, ensaio de Achille Mbembe advoga pela reavaliação da contribuição africana para a história da humanidade por Paula Alzugaray no Select Na acepção de poetas africanos contemporâneos, assim como de movimentos ativistas por direitos civis nos Estados Unidos dos anos 1960, negritude é idioma, linguagem por meio da qual pessoas de origem africana se expressam ao mundo. Para Achille Mbembe, historiador e cientista político camaronês, referência acadêmica máxima em estudos do pós-colonialismo, Negro é um substantivo transformado em conceito: uma invenção, produção ou fantasia da imaginação europeia. Esse paradoxo da negritude sustenta a tensão narrativa do monumental Crítica da Razão Negra. Publicado originalmente em 2014 e lançado proximamente no Brasil pela N-1 Edições, o dilacerante ensaio de Mbembe é um tratado sobre a evolução do pensamento racial – desde o sistema escravagista do século 15 até os movimentos migratórios contemporâneos. Acima de tudo, é ...

    Leia mais
    (Foto: RYAN PIERSE / GETTY IMAGES)

    REPORTAGEM: Ex-menino soldado trocou armas pela capoeira na RD Congo

    "A capoeira me faz esquecer do que passei no grupo armado", disse o adolescente de 16 anos, um ex-menino soldado de uma pequena vila em Bashali ao norte na província de Kivu do Norte, área conflagrada por grupos armados. Há três meses, desde que chegou ao centro de transição para ex-meninos soldado na cidade de Goma, F. R. aprendeu a praticar a arte marcial de origem afro-brasileira. Desde então, esta é uma das atividades em que o rapaz é mais assíduo. As aulas de capoeira acontecem duas vezes por semana no centro de ação para crianças desfavorecidas (CAJED, por sua sigla em francês), no subúrbio de Goma. Em 2014, a capoeira foi reconhecida pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como Património Cultural Imaterial da Humanidade. A partir deste mesmo ano, esta manifestação cultural brasileira de descendentes de africanos escravizados no período colonial ...

    Leia mais
    (Foto: André Porto/Metro)

    Contestação ao regime angolano inspiram Agualusa em ‘A Sociedade dos Sonhadores Involuntários’

    Em seu 14º romance, José Eduardo Agualusa cruza as histórias de um jornalista angolano, uma artista plástica moçambicana, um neurocientista brasileiro e um hoteleiro com passado obscuro conectados, de alguma forma, pelos sonhos. “A Sociedade dos Sonhadores Involuntários” surgiu do interesse do escritor pelo onírico e pela Primavera Árabe, que repercutiu em Angola, em 2011, na forma de um movimento de contestação ao regime que lutava por uma maior abertura democrática. O livro foi lançado quando esse movimento angolano não foi tão adiante… Eu estava convencido de que ele poderia culminar em um movimento mais amplo de contestação, e isso realmente não aconteceu. Mas ele continua, talvez não com a dimensão que eu gostaria. Qual sua relação com o Sidarta Ribeiro, que está no livro na forma do personagem Hélio de Castro? Quando comecei a escrever o livro, encontrei uma entrevista do Sidarta falando do trabalho dele com os ...

    Leia mais
    blank

    Os segredos da boa saúde de uma tribo que se alimenta da mesma forma há 40 mil anos

    Do BBC Os hadza são uma das poucas tribos coletoras-caçadoras restantes no mundo - e acredita-se que eles habitem o mesmo lugar, no norte da Tanzânia, há 40 mil anos, vivendo de frutas, tubérculos e da carne de 30 mamíferos diferentes. O repórter da BBC Dan Saladino acompanhou a tribo e conta que lições podemos tirar dessa dieta tão rica em bactérias benéficas e protetoras do sistema imunológico. ADVERTÊNCIA: Esta reportagem traz imagens de animais caçados, que algumas pessoas podem considerar ofensivas. Deitado de barriga para baixo, coloquei minha cabeça dentro de um túnel escuro e senti o cheiro. Era o cheiro de um animal... Mas não conseguia acreditar que alguém fosse entrar ali e tirar esse animal. Esse alguém era Zigwadzee. E o animal era um porco-espinho. Depois de entregar seu arco e flecha e seu machado a outro caçador hadza, Zigwadzee tirou a roupa, pegou uma vara afriada ...

    Leia mais
    Capa do livro 'Políticas da Inimizade' (Foto: Divulgação/Antígona)

    Saiu “Políticas da Inimizade” de Achille Mbembe

    Ao terem fomentado miséria e morte à distância, longe dos olhos dos seus cidadãos, as nações ocidentais temem agora o reverso da medalha, num desses piedosos actos de vingança exigidos pela lei da retaliação. Para se protegerem de tais instintos de vingança, servem-se do racismo como lâmina afiada, suplemento venenoso de um nacionalismo esfarrapado. Num mundo que ergue fronteiras de arame farpado e em que o estigma do estrangeiro se inscreve a ferro e fogo no quotidiano, Políticas da Inimizade é um lúcido ensaio sobre a hostilidade e as formas que ela assume nas sociedades contemporâneas. Retrocedendo, na senda de Frantz Fanon, à tirania dos regimes coloniais e esclavagistas como semente da inimizade global contemporânea, Achille Mbembe analisa os vectores desta violência planetária – que se manifesta na ressurgência de nacionalismos atávicos, na guerra contra o terrorismo, sacramento da nossa época, e num racismo de Estado que, a pretexto da defesa ...

    Leia mais
    Ativista Graça Machel (Foto: Zahur Ramji / World Economic Forum,)

    Graça Machel fica em ranking de 100 pessoas com melhor reputação do mundo

    A ativista pelos direitos humanos moçambicana Graça Machel conquistou mais um reconhecimento público por seu trabalho de capacitação a mulheres e crianças em seu país. Seu nome é o 36º colocado na lista das 100 pessoas mais respeitáveis do mundo, da empresa de consultoria sul-africana Reputation Poll. Ela ganhou destaque por sua colocação apenas uma semana após ter recebido o prêmio Diamonds Do Good, da Diamond Empowerment Fund. O ranking conta com nomes que vão de Papa Francisco e Dalai Lama, passando por personalidades políticas como Barack e Michelle Obama, até figuras da cultura pop como Beyonce e Jay-Z.   A lista busca destacar pessoas de grande reputação nos setores de política, entretenimento, esporte, liderança e educação, para reconhecer e estimular o trabalho feito por estas pessoas em seus respectivos setores. Esta é a primeira lista publicada pela Reputation Poll, e envolve pessoas de 37 países, sendo 72 homens, 25 ...

    Leia mais
    Ativista Graça Machel (Foto: Zahur Ramji / World Economic Forum,)

    Graça Machel e o protagonismo feminino em Moçambique

    A luta pelo empoderamento feminino em Moçambique é um grande mérito da ativista Graça Machel. No entanto, o histórico de protagonismo das mulheres na construção do país tem início antes mesmo do processo de independência. Graça Machel é conferencista no especial do Fronteiras do Pensamento em Salvador. Aproveite o valor promocional e garanta sua participação nas três conferências! Diretora de uma série de organizações sociais, Graça Machel foi a primeira Ministra da Educação de Moçambique, por duas vezes primeira-dama de países africanos e última esposa de Nelson Mandela, com quem idealizou alguns dos projetos sociais nos quais trabalha hoje. Em entrevista ao Correio Braziliense, a ativista moçambicana falou sobre a história do país, o papel das mulheres no continente africano, seu trabalho social e os conflitos atuais de Moçambique. Seu trabalho é voltado para os direitos das mulheres e das crianças. Como a avalia a participação feminina na construção de ...

    Leia mais
    Andimba Toivo ya Toivo (centro), Hage Geingob (direita) e outro líder aterrisam para encontro com Anton Lubowski — Foto: John Liebenberg via University of Cape Town Libraries

    Morre herói da independência da Namíbia e companheiro de prisão de Mandela

    Companheiros de resistência e organizações da sociedade civil rendem homenagens neste domingo, na Namíbia e na África do Sul, ao emblemático ativista namíbio Herman Andimba Toivo Ya Toivo, um dos pais da independência de seu país e companheiro de prisão de Nelson Mandela. As informações são da Agência EFE. Toivo Ya Toivo morreu na sexta-feira em seu país aos 93 anos de idade, deixando para trás uma vida de comprometimento político que o levou a passar 16 anos na cadeia e que, por fim, lhe rendeu cargos de ministro no governo da Namíbia. Organizações como a Fundação Ahmed Kathrada - que leva o nome de outro ícone da resistência ao apartheid na África do Sul que morreu este ano - se juntaram às homenagens e às condolências. Toivo Ya Toivo foi um dos fundadores da Swapo (Organização do Povo do Sudoeste da África), o movimento de guerrilha que combatia a ...

    Leia mais
    (Crédito: Wikimedia Commons)

    Sarah Forbes Bonetta vendida como escrava que virou afilhada da rainha é uma prova de como os negros são apagados da História

    Tratados muitas vezes pelos registros da história como uma massa homogênea, uma multidão sem identidade, a história dos negros e negras negociados como escravos é obviamente feita de indivíduos que, como todos, possuíam idiossincrasias, talentos, angústias e anseios. A incrível vida de Sarah Forbes Bonetta, que em 1848 estava prestes a ser executada Serra Leoa pelo rei Ghezo, quando foi salva por um capitão do exército inglês para se tornar afilhada da rainha Victoria é um dos milhões de exemplos. Quando soube que a menina, que perdera os pais em um ataque do rei Ghezo à tribo de Egbado, da qual fazia parte, seria executada, o capitão Frederick E. Forbes convenceu o rei a salvá-la e oferecê-la como um presente à rainha Victoria. Ao receber o “presente”, Victoria se impressionou com a extraordinária inteligência da garota, e a criou no meio da alta classe inglesa como sua afilhada. Bela, brilhante ...

    Leia mais
    blank

    A história cruel de um africano que foi dissecado e exposto como um animal por 80 anos em um museu

    No início do século XIX, as pessoas ricas europeias tinham o costume de caçar animais selvagens ao redor do mundo para levar para casa, os embalsamando e os exibindo como troféus. No entanto, um comerciante francês chamado Jules Verreaux decidiu ir um pouco além e, entediado com os animais, decidiu fazer o mesmo com um ser humano. Do Intellectuale Aparentemente, um africano foi caçado e dissecado. E não contente com isso, foi levado para um museu como se fosse uma exposição material com o nome de “O Negro”. Por fim, o homem terminou no Museu Darder em Girona, norte da Catalunha, quase na fronteira entre Espanha e França. De pé em sua vitrine, ligeiramente inclinado e com um olhar penetrante, o homem representa os aspectos mais sombrios do passado colonial europeu. Com o passar do tempo, alguém colocou uma camada de verniz para escurecer a pele. Durante a sua estada no museu da Catalunha, o homem era um objeto de culto ...

    Leia mais
    blank

    Ras Tafari foi o nome do último imperador da Etiópia e adorado como deus na Jamaica

    Mas além do famoso artista, há outro homem ainda mais importante no coração deste movimento - Ras Tafari. Esse foi o nome do último imperador da Etiópia, nascido em 23 de julho de 1892, mas ele adotou o nome real de Haile Selassie ao ser coroado. GETTY IMAGES Para os rastafáris, ele é Deus (Jah) encarnado, o messias redentor. Mas como um imperador da Etiópia, cuja capital está situada a quase 13 mil quilômetros de Kingston, se tornou adorado na Jamaica? O vínculo entre os dois, na verdade, está relacionado a um grupo de jamaicanos pobres que acreditavam que a coroação de Ras Tafari era o cumprimento de uma profecia e que ele era seu redentor, o messias: o "Rei dos reis, Senhor dos senhores". Eles acreditavam que seriam libertados pelo imperador, que os tiraria da pobreza no Caribe e os levaria à África, a terra ...

    Leia mais
    (Foto: Bryan Steffy/ Getty Images)

    Graça Machel entre os 100 africanos mais influentes do continente

    Pelo quinto ano consecutivo, a  New African, uma revista africana, divulgou no seu número de Dezembro a lista das 100 personalidades africanas mais influentes  em diversos domínios de actividade. Graça Machel é uma das pessoas consideradas, pela publicação, que “cujos actos causaram impacto  e deixaram a sua marca num ano de desafios”. Fonte: VIVA TV A antiga primeira-dama de Moçambique já tinha sido distinguida como uma das 100 personalidades africanas mais influentes pela mesma publicação em 2012.  “Graça Machel, ou Mama África, como ela é carinhosamente conhecida, ainda granjeia enorme respeito internacional. A ativista  ainda está muito envolvida em muitas frentes, na sociedade civil com sua própria associação ajudando as mulheres e os desfavorecidos. Ela também é um membro-chave da comunidade empresarial, especialmente em seu país natal, Moçambique. Ela faz parte do conselho de várias organizações internacionais que se dedicam ao desenvolvimento e à governança em África”, escrevia a New African em ...

    Leia mais
    (Foto: © Marijo Silva)

    Fotógrafa vai até Uganda retratar o único time de quadribol da África

    Quadribol, o esporte mais popular entre os bruxinhos de Hogwarts, ganhou muitos adeptos também no mundo real. Há mais de 300 times oficiais espalhados pelo mundo, além de diversas competições oficiais, como o Campeonato Europeu e até uma Copa do Mundo. E na África há apenas uma equipe de Quadribol, o Team Uganda, fundado em 2013 por John Ssentamu, que se encantou com o esporte após ler o livro de Harry Potter. Ao pesquisar mais sobre o assunto, descobriu da existência do esporte no mundo real e decidiu criar a equipe. Este ano, o sonho de jogar na Copa do Mundo quase se tornou realidade, após conseguirem arrecadar mais de 10 mil dólares através de uma campanha de financiamento coletivo. Mas por questões burocráticas, a equipe não conseguiu embarcar para a Alemanha, onde o campeonato aconteceu. E Marijo Silva, fotógrafa baseada em Estocolmo, foi até a África para acompanhar a ...

    Leia mais
    blank

    ‘Quando cheguei, descobri o que era ser negra’: como africanos veem o preconceito no Brasil

    Formada em Letras, a africana de Guiné-Bissau Nádia Ferreira, de 37 anos, conta que cresceu sem pensar sobre a questão racial. Por Gabi Di Bella e Gui Christ Do BBC "Lá eu era uma menina como qualquer outra. Foi no Brasil que a questão da raça despertou em mim. Descobri isso na pele, mas foi bom porque isso só me fortaleceu." Neste 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, data que evoca a memória do líder negro Zumbi dos Palmares (1655-1695), a BBC Brasil apresenta a visão de imigrantes de países majoritariamente negros sobre identidade racial e preconceito no Brasil. Ferreira, há 15 anos no Brasil, afirma que a sensação de "estar no lugar errado" - e a posterior "tomada de consciência" - surgiu quando cursava a faculdade na USP (Universidade de São Paulo). "Eu me sentava ao lado de alguém e a pessoa mudava de lugar. Numa sala com 200 ...

    Leia mais
    Página 2 de 4 1 2 3 4

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist