Sarah Forbes Bonetta vendida como escrava que virou afilhada da rainha é uma prova de como os negros são apagados da História

Enviado por / FonteDo Hypeness

Tratados muitas vezes pelos registros da história como uma massa homogênea, uma multidão sem identidade, a história dos negros e negras negociados como escravos é obviamente feita de indivíduos que, como todos, possuíam idiossincrasias, talentos, angústias e anseios.

A incrível vida de Sarah Forbes Bonetta, que em 1848 estava prestes a ser executada Serra Leoa pelo rei Ghezo, quando foi salva por um capitão do exército inglês para se tornar afilhada da rainha Victoria é um dos milhões de exemplos.

Quando soube que a menina, que perdera os pais em um ataque do rei Ghezo à tribo de Egbado, da qual fazia parte, seria executada, o capitão Frederick E. Forbes convenceu o rei a salvá-la e oferecê-la como um presente à rainha Victoria. Ao receber o “presente”, Victoria se impressionou com a extraordinária inteligência da garota, e a criou no meio da alta classe inglesa como sua afilhada.

Bela, brilhante e dotada de muitos talentos – aos oito anos já falava um inglês impecável, aprendendo também instrumentos diversos – Sarah foi um forte exemplo, mesmo para a rainha, de como as ideias de superioridade racial não faziam sentido.

Aos 18 anos, Sarah se casou um empresário de origem Iorubá, como ela, e retornou à Serra Leoa, para ter 3 filhos e se tornar professora.

Ela porém jamais perdeu contato com a rainha, que se tornaria também madrinha de uma de suas filhas – a menina, assim como a mãe, também possuía grande talento para a música e para as línguas.

Pouco se conta hoje sobre a história de Sarah, mas sua trajetória extraordinária nos lembra da força e dos horrores sofridos pelos povos negros, escravizados e arrancados de suas próprias identidade, que tiveram que lutar contra tudo e todos para simplesmente poderem ser quem são.

© fotos: divulgação

+ sobre o tema

Dança, debate e muito mais na Semana Africana

Dentro da VI Semana da Cultura Africana, coordenada...

Monfils surpreende Federer e mantém sonho de título francês em Paris

Tenista local salva cinco match points para derrotar suíço...

Belo Horizonte recebe o projeto Polifônica Negra na primeira semana de maio

Programação conta com apresentação de cenas curtas e mostras...

para lembrar

Beyoncé dá destaque a designers de moda africanos

Na sua conta de Instagram, Queen Bey fez questão...

Esperança na Revolta lidera premiação e reestreia no final de semana com entrada gratuita

Com três indicações ao Prêmio Shell de Teatro, sendo...

Tênis: Venus sofre, e rivais “passeiam” na Austrália

Venus Williams sofreu para passar à terceira rodada...
spot_imgspot_img

Filme mostra busca por memória negra e indígena na luta pela independência do Brasil

Nesta quinta-feira (4), estreia o documentário “2 de Julho: A Retomada”, que relembra as lutas que consolidaram a Independência do Brasil com a expulsão...

Alcione e Conceição Evaristo gravam clipe que faz crítica ao machismo: ‘Marra de feroz’

Veja que linda a foto de Alcione ao lado de Conceição Evaristo, em meio a gravação do clipe da canção “Marra de feroz”. Gravado em uma...

Aos 105, Ogã mais velho do Brasil, que ajudou a fundar 50 terreiros só no Rio, ganha filme e exposição sobre sua vida

Luiz Angelo da Silva é vascaíno e salgueirense. No mês passado, ele esteve pela primeira vez no estádio de São Januário, em São Cristóvão,...
-+=