terça-feira, agosto 4, 2020

    Tag: Nilma Lino Gomes

    blank

    Ataques à ciência têm a diversidade como alvo, afirma Nilma Lino Gomes

    Professora Faculdade de Educação fez a conferência de abertura da segunda edição do Congresso de Mulheres na Ciência Por Ewerton Martins Ribeiro, Da UFMG Nilma Lino Gomes: ciência e poder são inseparáveis (Foto: Foca Lisboa) A professora Nilma Lino Gomes, da Faculdade de Educação, ministrou na manhã desta sexta-feira, dia 30, a palestra de abertura da segunda edição do Congresso de Mulheres na Ciência, iniciativa de estudantes e pesquisadoras da UFMG, cuja programação termina neste sábado, 31. Partindo do mote Quando a diversidade interroga a ciência, Nilma falou sobre “modos diversos de pensar e fazer ciência e política”, pensando nos “coletivos diversos” – negros, pobres, mulheres e LGBTs – que, nos anos recentes, passaram a integrar mais fortemente o universo acadêmico e científico. No início de sua exposição, Nilma falou sobre como os sujeitos considerados “diversos” sempre foram mantidos fora do mundo das universidades e do ...

    Leia mais
    blank

    Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão.

    INTRODUÇÃO A discussão sobre relações raciais no Brasil é permeada por uma diversidade de termos e conceitos. O uso destes, muitas vezes, causa discordâncias entre autores, intelectuais e militantes com perspectivas teóricas e ideológicas diferentes e, dependendo da área do conhecimento e do posicionamento político dos mesmos, pode até gerar desentendimentos. Por Nilma Lino Gomes, da Ação Educativa  Os termos e conceitos revelam não só a teorização sobre a temática racial, mas também as diferentes interpretações que a sociedade brasileira e os atores sociais realizam a respeito das relações raciais. Nesse contexto, é importante destacar o papel dos movimentos sociais, em particular, do Movimento Negro, os quais redefinem e redimensionam a questão social e racial na sociedade brasileira, dando-lhe uma dimensão e interpretação políticas. Nesse processo, os movimentos sociais cumprem uma importante tarefa não só de denúncia e reinterpretação da realidade social e racial brasileira como, também, de reeducação da população, ...

    Leia mais
    blank

    Dilma anuncia mudanças e reduz 8 ministérios; veja os nomes

    A presidenta Dilma Rousseff acaba de anunciar a reforma ministerial que reduz em oito o número de ministérios. A nova configuração ministerial, finalizada ontem (1°) com a ajuda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, inclui a extinção e fusão de pastas e a realocação de titulares dos ministérios. no Terra No novo desenho da equipe, o PMDB teve ampliado de seis para sete o número de pastas. Entre os ministérios que o partido passa a comandar estão o da Saúde, com o deputado Marcelo Castro (PI), e o da Ciência e Tecnologia, com Celso Pansera (RJ). A Secretaria da Pesca foi para Agricultura. O Gabinete de Segurança Institucional perdeu o status de ministério, e a Secretaria de Assuntos Estratégicos será extinta. A Secretaria-Geral se uniu à de Relações Institucionais e passa a ser chamada Secretaria de Governo, que vai ser responsável pelo Gabinete de Segurança Institucional, Secretaria da Micro ...

    Leia mais
    blank

    Denúncias de racismo devem ter o máximo de detalhes, alerta ministra

    A  ministra-chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Nilma Lino Gomes, disse que quem for vítima ou testemunhar um caso de racismo deve  denunciar a uma autoridade policial. no O Guia da Cidade   “Em casos de flagrante, o autor do crime pode ser preso”, advertiu.Segundo Nilma, é importante registrar a queixa no Distrito Integrado de Polícia (DIP) mais próximo “narrando o ocorrido com o máximo de detalhes e fornecendo os nomes das testemunhas, além de pedir ao policial para anotar  o desejo de que o agressor seja processado e o crime investigado por meio de um inquérito e não por Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO)”, orientou. “Caso a autoridade policial se recuse a fazer o registro, a vítima deve procurar a Ouvidoria da Polícia Civil (PC) para denunciar a falha na conduta do atendente, levando à apuração do caso”, afirmou. O maior número de dados ...

    Leia mais
    blank

    Quanto mais se nega a existência de racismo, mais ele se propaga, diz ministra

    Casos recentes de preconceito racial, como o de Kaillane Campos, de 11 anos, que levou uma pedrada na cabeça, no Rio de Janeiro, depois de sair de um culto de candomblé, e o da jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju, que recebeu ofensas na internet, mostram que o país da miscigenação ainda não venceu esse tipo de discriminação. por Mariana Tokarnia no Agência Brasil "Quanto mais se nega a existência do racismo no Brasil, mais esse racismo se propaga", destacou a ministra da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), Nilma Lino Gomes. Nos cinco anos do Estatuto da Igualdade Racial, Lei 12.288/2010, lembrados nesta segunda-feira (20), ela conversou com a Agência Brasil e avaliou o cenário da busca pela igualdade racial no país. Para ela, entre os principais avanços estão as cotas em concursos públicos e a política voltada ao atendimento de saúde da população negra. Agência Brasil: De que forma o ...

    Leia mais
    blank

    Santa Catarina e Rio Grande do Sul recebem Ministra da Seppir e caravana pela promoção da Igualdade Racial e superação do Racismo

    Entre os dias 8 e 10 de junho, a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Nilma Lino Gomes, estará nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, onde participa de atividades da Caravana Pátria Educadora pela Promoção da Igualdade Racial e Superação do Racismo. No Portal já Um dos principais objetivos da Caravana é incentivar estados e municípios a aderir ao Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir). Com a adesão, que é voluntária, “a Seppir pretende fortalecer, cada vez mais, a rede de promoção da igualdade racial e de superação do racismo em nosso país”, explica a ministra Nilma Lino Gomes. Em Santa Catarina, adesão ao Sinapir e debates com a sociedade civil – O primeiro compromisso da ministra Nilma acontece em Joinville (SC). Às 10h da segunda-feira (8/6), ela participa da solenidade de adesão do município ao Sistema Nacional de ...

    Leia mais
    blank

    Ministra participa de debates sobre igualdade racial em Belém

    Programação será promovida nos dias 27 e 28 de abril. Iniciativa prevê uma série de debates e encontros com autoridades locai Do G1 Nilma Lino Gomes foi a primeira reitora negra deuma universidade federal no país.(Foto: Emília Silberstein/UnB Agência) A ministra Nilma Lino Gomes, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, estará em Belém nos dias 27 e 28 de abril para participar de debates sobre igualdade racial. A iniciativa prevê uma série de debates e encontros com autoridades locais, representantes de universidades e da sociedade civil. Na segunda-feira (27), a partir das 14h, a ministra Nilma Gomes realizará a palestra “A Efetivação dos Direitos da Igualdade Racial” durante a VI Conferência Internacional de Direitos Humanos, realizada pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Já na terça-feira (28), ela ...

    Leia mais
    Foto: Divulgação/Presidência da República

    Abertura da Licenciatura em Estudos Africanos contará com a ministra da Igualdade Racial

    A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, foi a primeira reitora negra de uma universidade federal no País e presidiu a Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) Por  Luciano Santos, do  UFMA Foto: Divulgação/Presidência da República SÃO LUÍS – Mesmo antes de começar, o novo curso de graduação da UFMA, a Licenciatura Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros, já chama a atenção no Brasil. Tanto que, no dia 5 de maio, às 18h30m, no Auditório Central da Cidade Universitária, a Aula Inaugural será proferida pela ministra da Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, que foi a primeira reitora negra de uma universidade federal no País – a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), com sede em Redenção, Ceará – e presidiu, de 2004 a 2006, a Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) (ABPN). Ela vem celebrar ...

    Leia mais
    blank

    Comunicação é central para o combate ao racismo, diz ministra Nilma Lino Gomes

    "Fizemos avanços na luta pela promoção da igualdade racial e pelo enfrentamento ao racismo. No entanto, ainda há muito trabalho pela frente para realizarmos uma completa superação", declarou Nilma Lino Gomes, ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir/PR), em entrevista ao Portal Áfricas, ao falar sobre a importância de se aprimorar as ferramentas de ação da Secretaria. Dentre os assuntos tratados pela ministra está a questão da mídia. Segundo ela, as chamadas mídias negras ocupam um importante lugar no processo de comunicação e circulação de informação sobre a temática racial no Brasil. "Meu desejo é conhecer um pouco mais estes veículos, compreender seus objetivos, visão política e midiática e formas de abordagem para depois pensarmos juntos propostas de fortalecimento dentro dos objetivos, missão institucional e condições da SEPPIR. Para se fortalecer, o trabalho das mídias negras deverá ser conhecido não só pela população negra e militante, ...

    Leia mais
    Nilma Lino Gomes foi a primeira reitora negra de uma universidade federal no país. (Foto: Emília Silberstein/UnB Agência)

    Cotas têm o potencial de mudar o perfil da sociedade brasileira, afirma Nilma Lino Gomes

    A nova ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Nilma Lino Gomes, afirmou, em entrevista ao “Fala, Ministro”, que considera as políticas afirmativas – como a inclusão de cotas para o ingresso de negros em universidades federais e no serviço público – fundamentais para correção de desigualdades históricas no Brasil. Para a ministra essas políticas têm o potencial, de no médio e longo prazo, mudar o perfil da sociedade brasileira, tornando-a realmente justa e democrática. no Planeta Osasco Além disso, a ministra também falou sobre a polêmica envolvendo o parecer que assinou, quando era integrante do Conselho Nacional de Educação (CNE), sobre a obra “Caçadas de Pedrinho” do escritor infantil Monteiro Lobato. Confira abaixo. Nilma Lino: “As pessoas leram muito mais manchetes por vários veículos e redes sociais. Criou-se a ideia que o parecer estava vetando a obra do Lobato.” Foto: RafaB – Gabinete Digital/PR A senhora é uma ...

    Leia mais
    blank

    Para nova ministra da Igualdade Racial, desafio é político e educativo

    Em discurso, Nilma Lino Gomes enfatizou a importância do trabalho em conjunto com outros órgãos do governo Nilma Lino Gomes é a nova ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (SEPPIR/PR). Nilma recebeu o cargo da ministra Luiza Bairros em cerimônia de transmissão realizada nessa sexta-feira (02), no Conselho Nacional de Educação (CNE), em Brasília (DF). “É uma grande responsabilidade assumir a SEPPIR após as gestões anteriores e, principalmente, após a gestão de Luiza Bairros. O desafio de estar frente à Secretaria é grande, pois o racismo e a discriminação racial incidem de formas diferenciadas, expressando sua perversidade, subordinando as pessoas. Entender isso e articular com as políticas de todos os outros ministérios e órgãos de governo é um trabalho desafiador", afirmou a nova ministra. Sobre a pauta da Secretaria, Nilma Lino Gomes enfatizou a importância do trabalho em conjunto com outros órgãos ...

    Leia mais
    Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

    Ministra Nilma da Seppir toma posse em Brasília

    Tomou posse hoje, 02,  como ministra de estado da Secretaria de Política de Promoção da Igualdade Racial, a pedagoga Nilma Lino Gomes. A nova ministra substitui a socióloga Luiza Bairros na pasta. A ex- ministra, que é militante histórica do movimento negro brasileiro e participou de projetos do PNUD de combate ao racismo, estava no cargo desde início do primeiro mandato da presidenta Dilma, em 2011. Em seu discurso de despedida, Luiza Bairros ressaltou a importância da conjuntura política enquanto esteve no governo e que permitiu avanço da Pauta Racial. Ela ainda agradeceu a parceiros nacionais e internacionais que contribuíram para que sua gestão tivesse marcos  significativos,   a  exemplo do Estatuto da Igualdade Racial, Cotas no Serviço Público e em especial ao Movimento Negro por sua  vigilância  que  permitiu o fortalecimento do enfrentamento ao racismo. por Luciane Reis no Correio Nagô A   ex-ministra, agradeceu também aos parlamentares negros que segundo ...

    Leia mais
    blank

    Luma Nogueira: mulher, travesti e futura reitora da Unilab?

    (Luma, à esq., assume cargo como professora da Unilab) Depois da primeira reitora negra, Nilma Lino dos Santos, atualmente Ministra de Políticas de Igualdade Racial, a Unilab (Universidade Federal da Lusofonia Afro-brasileira) pode ter a primeira reitora travesti do país. Por Fernando Vieira no Brasil Post  Luma Nogueira de Andrade, cearense, doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará-UFC, mestra em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela UECE e primeira travesti brasileira a receber o título de doutora, poderá ser a nova reitora. Especialista em Gestão, Luma representa bem o perfil da universidade. A Unilab foi criada para a integração Brasil-África, um espaço de diversidade, multiculturalismo e inclusão. Sua presença, no Interior do Ceará e na Bahia representa imenso avanço na construção de um ensino superior vanguardista e humanitário. Luma é conhecida como uma das maiores intelectuais nos estudos de Gênero e Sexualidade no país. Pesquisadora do Núcleo de Políticas de Gênero da ...

    Leia mais
    blank

    Primeira negra a chefiar universidade federal, Nilma Lino Gomes assume SEPPIR

    Nilma Lino Gomes é a atual reitora da Unilab. Ela é pedagoga formada pela UFMG e não tem vínculo com partidos. Do: Portal Áfricas Mineira de Belo Horizonte, a nova ministra da Secretaria de Política de Promoção da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, é pedagoga, graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 1988. Concluiu o mestrado em educação também pela UFMG em 1994. É doutora em antropologia social pela Universidade de São Paulo (USP). Mudou-se para Portugal onde fez o pós-doutorado em sociologia pela Universidade de Coimbra, em 2006. Nilma Lino Gomes coordenou o Programa de Ações Afirmativas da UFMG. Em abril de 2013, tornou-se a primeira mulher negra do Brasil a comandar uma universidade federal, ao ser nomeada reitora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab). Leia mais sobre Mulher Negra leia também: Conselho Nacional de Educação emite parecer sobre livro de Monteiro Lobato em escola  ...

    Leia mais
    Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

    Universidade da Integração da Lusofonia Afro-brasileira inaugura campus no município baiano de São Francisco do Conde

    Ministra Luiza Bairros participa de solenidade na tarde de hoje, assim como o o ex-presidente Lula, o governador da Bahia, Jaques Wagner, e o ministro da Educação, José Henrique Paim, e a reitora da Unilab, Nilma Lino Gomes Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil Situado a 67 quilômetros de Salvador, São Francisco do Conde celebra hoje (12/05), a inauguração do campus da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) no município. A ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), participa  da solenidade assim como o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, o governador da Bahia, Jaques Wagner, e o ministro da Educação José Henrique Paim, e a reitora da Unilab, Nilma Lino Gomes. As atividades acadêmicas do Campus de São Francisco do Conde foram iniciadas em fevereiro de 2013, com cursos de graduação e pós-graduação a distância. Mas é a partir ...

    Leia mais
    Gradyreese via Getty Images

    Por que ensinar relações étnico-raciais e história da África nas salas de aula?

    Já faz alguns anos que se fala da importância de a Educação brasileira incorporar temáticas relativas à História da África e da Cultura Afro-Brasileira nos currículos escolares. Esse foi, justamente, o objetivo da Lei 10.639/03, sancionada pelo ex-presidente Lula no início de seu mandato. Conforme aponta a professora Nilma Lino Gomes (2008), mais do que uma iniciativa do Estado, esse marco legal reflete uma vitória do movimento negro na luta contra o racismo. Mas, afinal, o que a escola tem a ver com isso e por que essa lei existe? Gradyreese via Getty Images Reflitamos, por um momento, no que aprendemos sobre a África, a cultura de matriz afro-brasileira e negros/as na escola. Além da escravidão, quase nada – a não ser que o/a leitor/a tenha tido a felicidade de encontrar um ou uma docente com preparo e disposição suficientes para lecionar esses temas.Caso contrário, a implantação curricular de ...

    Leia mais
    blank

    Nilma Lino Gomes: Integração para a igualdade

    Primeira mulher negra a ocupar o cargo de reitora em universidade federal, Nilma Lino Gomes considera-se resultado da luta pela igualdade O currículo de Nilma Lino Gomes é extenso: pedagoga, mestra em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo, pós-doutora em Sociologia pela Universidade de Coimbra, integrante da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação e ex-presidenta da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros. Em abril, tomou posse como reitora pro tempore da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). E tem muitos planos para a universidade, com sede em Redenção (CE), cidade que aboliu a escravatura em 25 de março de 1884, quatro anos antes da Lei Áurea. Qual o significado de sua nomeação como reitora? É mais que o reconhecimento de uma trajetória individual como professora, pesquisadora, conselheira do CNE, representante do movimento negro de longa data. É o ...

    Leia mais
    blank

    Ela é negra do Brasil

    Nilma Lino Gomes assume a Unilab como a primeira reitora negra do País. Entre tantos desafios, está ampliar as relações internacionais com os países de língua de expressão portuguesa A professora mineira Nilma Lino Gomes tomou um susto quando foi convidada para ser reitora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) no início deste ano. A proposta veio do colega Paulo Speller, reitor-fundador da primeira universidade internacionalizada do Brasil, fincada no Maciço de Baturité, em Redenção, a 40 quilômetros de Fortaleza. Passada a surpresa, veio a percepção do contexto. Seria a primeira mulher negra no comando de uma universidade brasileira. "Senti-me honrada e, depois do choque, compreendi que o convite tinha a ver com minha trajetória", afirmou a reitora Nilma Lino ao O POVO em meados de abril, 20 dias após desembarcar em Redenção. Com um sorriso largo e palavras sob medida, à moda de Minas, a doutora ...

    Leia mais
    blank

    Primeira reitora negra de universidade federal diz que compete à sociedade debater o racismo

    Brasília – A reitora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Nilma Gomes, entra para a história do país como a primeira mulher negra a comandar uma universidade federal. Empossada em abril, ela acredita que sua escolha para o cargo representa um avanço na luta em favor de políticas raciais no Brasil. "É o reconhecimento de um grupo etnorracial, de brasileiros negros e negras, que há anos lutam por construção de espaços, por maior democracia, maior igualdade racial na sociedade brasileira", disse Nilma em entrevista exclusiva à Agência Brasil. Apesar dos avanços conquistados ao longo de séculos, Nilma afirma que ainda existe uma grande desigualdade racial no país. A reitora defende que compete à sociedade debater o racismo e procurar maneiras de superá-lo. A seguir, os principais trechos da entrevista com a reitora. Agência Brasil – A senhora acredita que os negros estão conseguindo conquistar mais espaços no ...

    Leia mais
    blank

    Primeira reitora negra, de instituição federal, Nilma Lino Gomes, toma posse

    Pela primeira vez o Brasil terá uma mulher negra no comando de uma universidade federal. A professora Nilma Lino Gomes tomou posse esta semana como reitora pro tempore da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab), localizada em Redenção, a 63 quilômetros de Fortaleza no Ceará. A instituição não poderia ficar em local mais simbólico. Há 130 anos, a cidade foi a primeira localidade a libertar os escravos durante a campanha abolicionista brasileira — cinco anos antes da assinatura da Lei Áurea, que só ocorreu em 1889. — Tem algo que não é só meu (sobre a nomeação). É da luta coletiva de políticas raciais no Brasil. Tudo isso soma para a minha nomeação, que envolve a minha trajetória profissional, pessoal e o processo de luta por democracia e igualdade racial — contou Nilma. — O fato de a universidade ser localizada em Redenção é um gesto de reconhecimento ...

    Leia mais
    Página 1 de 2 1 2

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist